Basílica
 Dados Gerais do Carmo
 Basílica Tombada
 Significado Histórico
 Pobre Matriz Rica
 Basílica na História
 Outras Informações
 Livro da Basílica
 Pinturas
 Iconografia
 Órgão Tamburini
 Coral Vozes do Carmo
 Horários de Missas
 Horários de Confissões
Paróquia
 Histórico
 Párocos
 Pastorais
 Atividades
 Calendário Anual
 Horários
 Batizados
 Casamentos
 Escola Paroquial
 Capela N.Sra.Boa Morte
 Templo Votivo
 
N. Sra. do Carmo
 Festa: 16 de Julho
 Devoção e História
 Novena
 Cânticos
 Oração
 Reza do Terço

 

 

 

 

 

 

 Recomende este site

 

 

 

 
 

Capela da Santa Casa de Misericórdia de Campinas

 

Como foi construída

A capela da Santa Casa de Misericórdia de Campinas foi construída por José Bonifácio de Campos Ferraz, Barão de Monte-Mor, que nasceu em Campinas e foi batizado no dia 14 de março de 1815, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição (Matriz Velha, atual Basílica Nossa Senhora do Carmo), pelo vigário padre Joaquim José Gomes.

 

Muito religioso, com influência política do antigo Partido Liberal, era abastado fazendeiro nos municípios de Campinas e de Monte-Mor, possuindo espírito eminentemente caritativo. Quando o inolvidável padre Joaquim José Vieira, mais tarde bispo de Fortaleza e arcebispo titular de Cyrro, angariava os recursos financeiros para a construção da Santa Casa de Misericórdia de Campinas, encontrou forte apoio por parte de José Bonifácio de Campos Ferraz, que mandou erigir, à custa exclusiva, a bela Capela de Nossa Senhora da Boa Morte, anexa ao edifício do hospital.

 

Trata-se de um templo finamente acabado e bastante elegante. O altar-mor, único altar ali existente, é todo trabalhado em mármore e de fino lavor. Ladeando a entrada da capela-mor, encontram-se duas artísticas imagens de mármore, representando São Vicente de Paulo e Santa Isabel, apóstolos da caridade cristã.

 

A nave é abobadada, com galerias sustentadas sobre colunas. Nela acha-se localizado o riquíssimo esquife de madeira entalhada e cristal, onde repousa a bela imagem de Nossa Senhora da Boa Morte, padroeira da Santa Casa.

 

Adornam o frontispício da igreja três artísticas estátuas de mármore, simbolizando a Fé, a Esperança e a Caridade. Para completar a sua obra, José Bonifácio de Campos Ferraz dotou a Capela de Nossa Senhora da Boa Morte de ricas alfaias, prataria e demais pertences necessários.

 

 

Com este seu gesto de desprendimento e grande benemerência, despendeu ele quantia bastante elevada. Pouco tempo depois foi elevado a Irmão Benemérito da Irmandade de Misericórdia e o seu retrato a óleo colocado em lugar de destaque na galeria existente no salão nobre da Instituição. Ao Governo Imperial não passou despercebido o ato altamente meritório de José Bonifácio de Campos Ferraz, agraciando-o, por decreto de 22 de julho de 1874, com o título de Barão de Monte-Mor.

 

Como pessoa caritativa, o Barão de Monte-Mor era sobejamente conhecido. A virtude da caridade constituiu a sua característica, fazendo com que o seu nome fosse sempre pronunciado com profundo respeito e acatamento.

 

Este benemérito titular faleceu em Campinas aos 69 anos de idade, a 08 de novembro de 1884, sem deixar descendência.

 

Barão de Monte-Mor

 

 

Referências:

Câmara Municipal de Campinas. Monografia Histórica do Município de Campinas. Rio de Janeiro: Serviço Gráfico do IBGE, 1952.

 

 

 

 

Saiba mais

Pároco Atual  

Liturgia Dominical  

  Liturgia Diária  

Horários da Basílica  

Carmelitas em Campinas  

Imagens e Idolatria  

Links  
  AVISOS  
Escapulário

Origem  

Espiritualidade

 

 

 

 

 

 

Google

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil