Basílica do Carmo:

História de fé no coração de Campinas

 

José Pedro Soares Martins

 

Campinas, Ed.Komedi, 2010

 

 

Apresentação

Introdução

Síntese Introdutória

Primeira Parte

Antecedentes da Paróquia de N.Sra.do Carmo

Fase I

Primórdios da criação da Freguesia

1730-1774

Fase II

Instalação da Paróquia N.Sra.da Conceição

1774-1779

Fase III

Paróquia de N.Sra.da Conceição até a divisão e criação da Paróquia de Sta.Cruz do Carmo

1779-1870

Segunda Parte

Paróquia N.Sra.do Carmo

Fase IV

Paróquia e Matriz Sta.Cruz do Carmo

1870-1938

Fase V

Matriz e Basílica N.Sra.do Carmo

(desde 1939)

1939-2000

Fase VI

Transição para o Terceiro Milênio

2000 - e o futuro...

 

PARTE I

Antecedentes da Paróquia do Carmo

Fase I

Primórdios da criação da Paróquia

A carteira de identidade de Campinas

Pousos de tropeiros no meio do mato grosso

Busca da autonomia e assistência espiritual

Autorização para ereção da capela

Mandado de Comissão ao Vigário de Jundiaí em vista da construção da capela

A fundação de Campinas e da Paróquia (Freguesia) de N.Sra.da Conceição

Barreto Leme, tradição de desbravamento

Frei Antonio de Pádua Teixeira, o co-fundador

Os outros pioneiros da Cidade e da Igreja

Dom Frei Manuel da Ressurreição, atuação decisiva

Fase II

Instalação da Paróquia N.Sra.da Conceição

Largo do Carmo, marco zero de Campinas

Pe. José de Santa Maria Cunha

Inauguração da Matriz

Pe. André da Rocha Abreu

Pe. Manoel Joaquim de Freitas e outros Vigários

Pe. Joaquim José Gomes, a Vila de São Carlos e ideia de nova Matriz

Pe. Fasijó em sua passagem por Campinas

Igreja do Rosário, um marco no centro da cidade

Fase III

Paróquia de N.Sra.da Conceição até a divisão e criação da Paróquia de Sta.Cruz

Pe. Manoel José Ferreira Pinto

Pe. Joaquim Anselmo de Oliveira, crítico da escravidão, enquanto Campinas se torna cidade

Carlos Gomes, a música de Campinas para o mundo

Pe. Dr. João de Almeida Barbosa e o começo da ascensão do café

Primeira visita de Dom Pedro II (1846) e transferência da Matriz para a Igreja do Rosário

Situação do prédio da Matriz Velha

Pe. Antonio Cândido de Mello: novo susto e peste no Paço Municipal

Pe. Joaquim José Vieira, fundador do primeiro hospital de Campinas: a Santa Casa

Polêmica antes da criação da Paróquia de Sta.Cruz

 

Parte II

Paróquia N.Sra.do Carmo

Fase IV

Paróquia e Matriz de Sta.Cruz

Criação e instalação da Paróquia de Sta.Cruz, depois do Carmo

Auto de instalação da Nova Freguesia de Sta.Cruz na cidade de Campinas

Matriz de Sta.Cruz do Carmo na década de ouro do café e seu 1º Pároco

2º Pároco, Côn. Nery, no combate à febre amarela: um novo Bispo

Côn. Scipião, 3º Pároco. Pe. Landell de Moura, o "Pai do Rádio"

Pe. Landell, humildade de um grande cientista

Pe. D'Avila, 4º Pároco de Sta.Cruz do Carmo: Campinas pós febre amarela

Diocese de Campinas, no paroquiato de Côn. Barreto, 5º Pároco do Carmo

Côn. Otávio, 6º Pároco: guerra no mundo, bibliotecas em Campinas

Mons. Ribas D'Avila, 7º Pároco, quando a gripe espanhola assusta Campinas

Côn. Fragoso, 8º Pároco: centenário da Independência e novo Bispo

Côn. Idilio, 9º Pároco: uma nova Matriz, oficialização do nome definitivo da Paróquia do Carmo

Um escultor italo-brasileiro que fez história

Côn. Amaral, 10º Pároco: conclusão da Matriz do Carmo

Lélio Coluccini, o escultor de Campinas

O pintor das igrejas

Fase V

Matriz e Basílica de N.Sra.do Carmo

(desde 1939)

Côn. Aniger, 11º Pároco e o Congresso Eucarístico

Morte de Dom Barreto

Congresso Eucarístico

Côn. Raphael Roldan, 12º Pároco e o final da II Guerra Mundial

Mons. Lázaro, 13º Pároco: pintura e órgão para a Matriz

Vocação para a música

Côn. Geraldo Azevêdo, 14º Pároco: a Matriz se torna "Basílica do Carmo"

Breve papal de criação da Basílica Menor de N.Sra.do Carmo

1. O título de Basílica e o seu significado histórico

Símbolos da Basílica

2. A Igreja nas ondas do rádio e do povo

3. Campanha da Fraternidade

Celebrações

4. Transformações no Carmo

5. Outras Campanhas

6. Doença de Mons. Geraldo

7. Atuação pastoral e administração

8. Tempo de mudanças

Mais um Bispo do Carmo

9. Reestruturação para o futuro

10. Chegada do novo milênio e falecimento de Mons. Geraldo

Fase VI

Basílica no Terceiro Milênio

Côn. Pedro Carlos Cipolini, 15º Pároco: o protagonismo dos leigos e a missão na cidade

1. Comunhão e participação

2. Sólida formação para servir

3. Continuidade do restauro da Basílica, agora Patrimônio Histórico

4. Incentivo à participação e acolhimento: pólo missionário

Olhar para a comunicação

Celebrações emocionantes

5. Aprofundando o planejamento

Datas importantes para a Paróquia de Nossa Senhora do Carmo

 

 

 

 

Fase II – Instalação da Paróquia Nossa Senhora da Conceição

1774-1779

 

·         Entre 1774 e 1779 Frei  Antônio de Pádua Teixeira fica à frente da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, cuja Matriz foi erguida onde hoje está a Basílica do Carmo. Era uma Igreja muito pobre, que vivia das esmolas dadas pelos poucos paroquianos e tropeiros que transitavam pelo Caminho de Goiás.

 

·         A primeira nota histórica sobre Campinas é de autoria de frei Antônio de Pádua Teixeira, co-fundador e, portanto, primeiro historiador da cidade.

 

·         A família de Teixeira foi fundamental para o estabelecimento do núcleo urbano. Dois de seus irmãos estão entre os introdutores da cana-de-açúcar no município. 

 

MUNDO E BRASIL NA FASE II

MUNDO

 

1774 – No mesmo ano de fundação de Campinas, Luís XVI é nomeado rei da França e Goethe publica “Werther”.

 

BRASIL

 

1769 - 1778 – Período de Luís de Almeida Silva Mascarenhas, o marquês do Lavradio, como vice-rei do Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

Fase III – Paróquia de N. Sra da Conceição,

até a divisão e criação da Paróquia de Santa Cruz do Carmo

1779-1870

 

·         O século entre as décadas de 1770 e 1870 é o da transformação da pequena Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso na Vila de São Carlos (1797) e, depois, na cidade de Campinas, em 1842, já com grande destaque no cenário político e econômico de São Paulo. Primeiro com a cana-de-açúcar, e depois com o café, Campinas é séria candidata a se tornar capital da província.

 

·         No terreno religioso, a primeira Matriz de Campinas, onde hoje está a Basílica de Nossa Senhora do Carmo, é a grande referência, assim como o Largo do Carmo é o epicentro dos acontecimentos políticos – é onde se instala a sede da Câmara Municipal.

 

·         Com o café, Campinas se urbaniza, em um processo acelerado pelas ferrovias. O crescimento econômico e populacional é contínuo. Parte da comunidade se engaja na construção de uma nova Matriz, onde a partir de 1870 funcionará a sede da paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Nesse ano é criada a paróquia de Santa Cruz, sediada na então Matriz Velha, hoje Basílica do Carmo.

 

MUNDO E BRASIL NA FASE III

MUNDO

 

1774 – 1799 – Papa Pio VI (nome de nascimento: Giovanni Angelo Braschi, 1717-1799), em um dos mais longos papados da história. Em 1786 Wolfgang Amadeus Mozart entrega ao mundo a beleza de “As Bodas  de Fágaro”. 

 

1789 – Revolução Francesa, deflagrada a 14 de julho com a Tomada da Bastilha, provoca profundas transformações no cenário político, cultural e social mundial. No mesmo ano, George Washington é escolhido primeiro presidente dos Estados Unidos, até 1797.

 

1791 – Revolta dos escravos negros no Haiti, com clara influência da Revolução Francesa. A independência do Haiti acontecerá em 1804.

 

1799 – Napoleão Bonaparte chega ao poder na França.

 

1800 – 1823 – Papa Pio VII (nome de batismo, Barnaba Chiaramonti, 1742-1823), que estabeleceu uma Concordata com Napoleão em 1802.

 

1800 – A primeira bateria é confeccionada na Itália, por Alessandro Volta, um marco na era industrial.

 

1814 – Napoleão deixa o poder. No mesmo ano, a locomotiva a vapor é inventada por Stephenson -  em menos de seis décadas depois da invenção, Campinas se tornaria o principal pólo ferroviário do Brasil.

 

1823 – 1829 – Papa Leão XII (Annibale Francesco Clemente Melchiore Girolamo Nicola della Genga, 1760-1829).

 

1829 – 1830 – Papa Pio VIII (Francesco Saverio Maria Felice Castiglioni, 1761 – 1830).

 

1831 – 1846 – Papa Gregório XVI (batizado como Bartolomeu Alberto Capellari, 1765 – 1846).

 

1846 – 1878 – Papa Pio IX (nascido Giovanni Maria Mastai-Ferretti, 1792-1878). Nesse período aconteceu o final dos Estados papais, com a unificação e proclamação da república italiana.

 

1848 – Publicação do Manifesto Comunista, de Karl Marx e F. Engels. Um marco na história do socialismo.

 

1857 – “A Origem das Espécies” é publicada por Charles Darwin. No mesmo ano é perfurado o primeiro poço de petróleo, nos Estados Unidos. O mundo industrial começa a ser desenhado.

 

1861 – Começa a Guerra Civil nos EUA. A questão da escravidão está presente. No ano seguinte o presidente Abraham Lincoln liberta os escravos, com grande resistência do Sul. Lincoln é assassinado em 1864, no ano em que começa a Guerra do Paraguai, envolvendo Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

 

BRASIL

 

1778-1808 – Nesse período de três décadas, o Brasil tem quatro vice-reis consecutivos. O último, Marcos de Noronha e Brito, o Conde dos Arcos, permanece até 1808, na chegada da Corte Portuguesa ao Rio de Janeiro.

 

1789 – Inconfidência Mineira, uma das várias revoltas contra Portugal no período. Tiradentes é executado a 21 de abril de 1792.

 

1797 – Com a força da cana-de-açúcar, que insere a região na economia mundial, a Freguesia de Campinas já se torna Vila, com o nome de São Carlos.

 

1808 – Fugindo do avanço de Napoleão Bonaparte, que projeta a expansão francesa em toda Europa, a Corte Portuguesa se instala no Brasil. Começa  nova fase econômica, social e política. O café será incentivado como importante meio econômico, e a região de Campinas se destaca nesse sentido, sempre com a presença da mão-de-obra escrava.  

 

1817 -  Revolução Pernambucana, liderada por padre Frei Caneca e Domingos José Martins, quando chegou a ser proclamada a República. Alguns dos líderes participariam, depois, da Confederação do Equador, em 1824, como o caso de Frei Caneca, nascido Joaquim da Silva Rabelo, fuzilado em 1825, porque os carrascos não quiseram enforcá-lo.

 

1820 - Revolução Constitucionalista no Porto, que irá desencadear grandes mudanças políticas em Portugal, com repercussão no Brasil. Contribuiu para a própria Independência.

 

1822 – Independência do Brasil, a 7 de setembro, por Pedro I, primeiro imperador do Brasil.

 

1831 – 1840 – Nesse período, em que D.Pedro I tinha sido forçado a ir a Portugal, o filho não tinha maioridade para assumir o trono. O governo ficou a cargo de regentes, e o primeiro foi o padre Diogo Antônio Feijó, que começou sua carreira em Campinas.

 

1840 – D.Pedro II assume como segundo imperador do Brasil. Seu pai havia retornado a Portugal, onde ainda governaria por um período.

 

1842 – Em 5 de fevereiro a Vila de São Carlos se transforma na cidade de Campinas, que no mesmo ano se torna um dos focos da Revolução Liberal, com padre Feijó à frente.

 

1850 - É declarado extinto o tráfico de escravos no Brasil, com a Lei Eusébio de Queiroz – Campinas era, na época, um dos maiores pólos de comércio de escravos no país.

 

1870 – Fim da Guerra do Paraguai, no mesmo ano em que o campineiro Carlos Gomes compõe “O Guarani”, símbolo da Década de Ouro de Campinas, pela força do café.

 

 

 

 

 

 

 

SEGUNDA PARTE

 

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO CARMO (*)

 

      Período de funcionamento da Paróquia do Carmo, nascida inicialmente como Paróquia de Santa Cruz, em 1870, pelo desmembramento da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Em 1939 seria inaugurada a nova Matriz de Nossa Senhora do Carmo, totalmente reformada, assumindo o belo estilo gótico que a caracteriza. Em 1974 ela se tornaria Basílica Menor, por decreto papal, após grande esforço do Cônego Geraldo Azevedo, falecido em 2000, após 37 anos à frente da paróquia. O Terceiro Milênio começou com o Cônego Pedro Cipolini à frente da paróquia, enfrentando os múltiplos desafios da primeira Igreja erguida em Campinas, que da pequena freguesia se tornou sede de uma das regiões metropolitanas do Brasil.

 

(*) Jolumá Brito, no segundo volume de sua História de Campinas (página 143), informa que o vigário capitular da diocese de São Paulo, atendendo a uma representação que lhe foi dirigida pelo pároco da Matriz Velha, declarou padroeira da Freguesia de Santa Cruz a Nossa Senhora de Monte Carmelo (do Carmo), por provisão de 15 de abril de 1871, autorizando o pároco a receber a imagem para ser venerada na Matriz, oferecida por devotos (cf. VVVA, “Arquidiocese de Campinas: subsídios para a sua história”, Editora Komedi, Campinas, 2004, página 27). Por isso, daqui em diante acrescentaremos “do Carmo” quando aparecer Matriz de Santa Cruz, a qual em 1939 será definitivamente denominada somente como Paróquia de Nossa Senhora do Carmo em termos jurídicos.

 

 

 

 

 

 

Fase IV – Paróquia e Matriz de Santa Cruz do Carmo

1870-1938

 

·         A criação da paróquia de Santa Cruz coincide com o momento de expansão urbana e econômica de Campinas, em função da força do café. Passam pela paróquia, como vigários titulares, aqueles que seriam os primeiros bispos da diocese de Campinas, criada em 1908: d..João Baptista Corrêa Nery e d.Francisco de Campos Barreto.

 

·         O padre Nery, ainda à frente da paróquia de Santa Cruz e depois como pároco de Nossa Senhora da Conceição (a Matriz Nova), se destacou por incentivar o teatro, no atendimento às vítimas da febre amarela em 1889 e como co-criador do Liceu de Artes e Ofícios, depois Liceu Salesiano.

 

·         A remodelação da Matriz do Carmo, com cônegos Idílio Soares e Francisco Borja do Amaral, é um símbolo do renascimento de Campinas, das catástrofes provocadas pela febre amarela, Gripe Espanhola e crise do café, após a queda da Bolsa de Nova York em 1929.

 

MUNDO E BRASIL NA FASE IV

MUNDO

 

1878 – 1903 – Papa Leão XIII (Vincenzo Gioacchino Raffaele Luigi Pecci, 1810 – 1903), que dirigiu a Igreja na tensa transição dos séculos 19 e 20. Publica a encíclica Rerum Novarum em 1891, colocando a Igreja na questão social e defesa dos direitos humanos

 

1885 – O primeiro carro a gasolina é produzido na Alemanha.

 

1895 – Aparecimento do cinema, pela invenção do cinematógrafo pelos Irmãos Lumière.

 

1903 – 1914 – Papa Pio X (Giuseppe Melchiorre Sarto, 1835-1914), que lançou as bases do Código de Direito Canônico de 1917. Canonizado em 1954.

 

1906 – Vôo do 14 Bis, em Paris, com Santos Dumont, inaugura a era da aviação.

 

1914-18 – Primeira Guerra Mundial, que assombra o planeta pelo número de mortos.

 

1914 – 1922 - Papa Bento XV (Giacomo della Chiesa, 1854-1922), responsável por conduzir a Igreja durante o conflito mundial.

 

1922 – 1939 – Papa Pio XI (Ambrogio Damiano Achille Ratti, 1857- 1939), que assinou o Tratado de Latrão com Benito Mussolini, configurando a autonomia papal sobre o Estado do Vaticano.

 

1929 – A instabilidade mundial continua e se aprofunda, com a queda da Bolsa de Nova York, com efeitos globais.

BRASIL

 

1888 – A 13 de maio, a Princesa Isabel declara extinta a escravidão no Brasil, com a Lei Áurea.

 

1889 – No mesmo ano em que a febre amarela devastou Campinas, o movimento republicano, que teve a cidade como um dos grandes centros, se torna vitorioso, pela força do café.

 

1897 – No ano do último surto de febre amarela em Campinas, a Guerra de Canudos acaba, com a vitória das forças governamentais. O conflito é narrado com brilhantismo por Euclides da Cunha em “Os Sertões”, publicado em 1903.

 

1930 – Getúlio Vargas chega ao poder, derrotando a política do “café com leite”, a aliança entre os cafeicultores de São Paulo e pecuaristas de Minas Gerais.

 

1932 - Revolução Constitucionalista, liderada por São Paulo e deflagrada a 9 de julho. O movimento pedia a instalação da Assembléia Nacional Constituinte, o que aconteceria um ano depois.

 

1935 – A Intentona Comunista, liderada por Luis Carlos Prestes, é derrotada pelo governo Vargas, com apoio dos integralistas de Plínio Salgado.

 

1937-1945 – Período do Estado Novo, em que Getúlio Vargas governou com mão de ferro. 

 

 

 

 

 

 

 

Fase V – Matriz e Basílica de NS do Carmo (desde 1939)

1939-2000

 

·         Inaugurada em 1939, a nova Matriz de Nossa Senhora do Carmo continua sendo grande referência para os católicos e a vida em geral de Campinas.

 

·         Em 1974, a Matriz se torna Basílica Menor de Nossa Senhora do Carmo, a única na Arquidiocese de Campinas.

 

·         Em 2000, ano da morte de Monsenhor Geraldo Azevedo, o Cônego Pedro Carlos Cipolini assume a paróquia de Nossa Senhora do Carmo, no início de um novo milênio de grandes desafios para a Igreja e para a sociedade global.

 

MUNDO E BRASIL NA FASE V

MUNDO

 

1939-1945 – Segunda Guerra Mundial resulta em  60 milhões de mortes, abre a Era Nuclear e detona a Guerra Fria

 

1939 – 1958 – Papa Pio XII  (Eugenio Giuseppe Maria Giovanni Pacelli, 1876-1958).

 

1945 – Criação da Organização das Nações Unidas, pela Conferência de São Francisco.

 

1948 - Declaração Universal de Direitos Humanos. 

 

1957 – Tratado de Roma, criando a Comunidade Econômica Européia.

 

1958 – 1963 – Papa João XXIII  (Angelo Giuseppe Roncalli (1881 – 1963)  o “Papa Bom” que marcou

A Igreja no século XX.

 

1960 – da Organização dos Países Exportadores do Petróleo (OPEP) é criada, inaugurando nova era geopolítica.

 

1962 – Início do Concílio Vaticano II, que se desenvolve até 1965.

 

1963 – Manifestação pelos Direitos Civis, nos EUA, liderada por Martin Luther King, a 28 de agosto; no mesmo ano (22.11) é assassinado o presidente John Kennedy. Nesse mesmo ano o padre Geraldo Azevedo assume a paróquia do Carmo.

 

1963 – 1978 – Papa Paulo VI (Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montini, 1897 – 1978). Em seu papado foi concluído o Concílio Vaticano II, iniciado pelo antecesso.

 

1964 – IBM lança computadores com circuito integrado.

 

1972 – Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente Humano, em Estocolmo, inaugura preocupação planetária com crise ambiental.

 

1978 – O curto papado de João Paulo I durou um mês, entre agosto e setembro, quando faleceu. O “papa sorriso” nasceu em 1912, batizado como Albino Luciani.

 

1978 – 2005 – Papa João Paulo II (Carol Woytila, 1920-2005), polonês, primeiro papa não-italiano em séculos. Viajou o mundo todo, protagonizou acontecimentos cruciais no mundo contemporâneo.

 

1981 – Anunciada a existência da AIDS, que se tornará grande preocupação global; lançamento do Personal Computer (PC)

 

1985 – Mikhail Gorbatchev inicia reformas na União Soviética.

 

1990 – Conferência de Jomtien, na Tailândia, de Educação para Todos, marco de novo olhar para a educação. Libertação de Nelson Mandela indica fim do Apartheid, no ano seguinte, mesmo da dissolução da União Soviética

 

1992 – Tratado de Maastricht, de fevereiro, sela união política e monetária da Comunidade Européia. Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro, em junho, consagra conceito de desenvolvimento sustentável.

 

1995 – Em vigor o Mercado Comum do Sul (Mercosul), um ano após o Nafta (Acordo de Livre Comércio Norte-Americano)

 

BRASIL

 

1949 – Criação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência expressa preocupação com avanços científicos e tecnológicos

 

1952 – Criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

 

1955 – 1960 – Período conhecido como Era JK, em que é acelerado o esforço pelo desenvolvimento nacional

 

1960 – Brasília é inaugurada, como um dos símbolos daEra JK.

 

1964 – Movimento militar depõe o presidente João Goulart e abre novo momento da vida brasileira, com ciclo de governos militares.

 

1964 – Primeiro ano da abrangência nacional da Campanha da Fraternidade, que se tornará importante momento para a vida da Igreja no Brasil, com temas anuais.

 

1979 – Lei da Anistia permite o retorno de vários exilados, como Leonel Brizola, Luis Carlos Prestes e Fernando Henrique Cardoso e José Serra.

 

1982 – Primeiras eleições diretas para governadores estaduais no Brasil depois de 22 anos. Franco Montoro eleito governador em São Paulo.

 

1984 – Movimento nacional pela eleições diretas para a presidência da República. Emenda das diretas-já é derrotada no Congresso Nacional.

 

1985 – Tancredo Neves é eleito presidente da República pelo Colégio Eleitoral, mas morre antes de tomar posse. O vice, José Sarney, assume o mandato, até 1989. Nesse período foram lançados dois Planos Cruzados.

 

1987 – Eleição para a Assembléia Nacional Constituinte, que entre 1987 e 88 redige nova Constituição brasileira.

 

1988 – A 5 de outubro é promulgada a nova Constituição.

 

1988 – A 22 de dezembro é assassinado o líder seringueiro e ecologista Chico Mendes, reforçando a preocupação global sobre o futuro da Amazônia.

 

1989 – Primeira eleição direta para presidente da República após governo militar, com vitória de Fernando Collor Mello.

 

1990 – Edição do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que modifica o olhar da sociedade brasileira para a infância e juventude.

 

1992 – Após várias denúncias e grande mobilização popular, o presidente Collor de Mello renuncia. Assume o vice, Itamar Franco.

 

1993 – Brasil incluído no EFA 9, grupo de países com maiores números absolutos de pessoas analfabetas, ao lado de Bangladesh, China, Egito, Índia, Indonésia, México, Nigéria e Paquistão

 

1994 – Lançamento do Plano Real e eleição de Fernando Henrique como presidente da República, com dois mandatos consecutivos, até 2002.

 

 

 

 

 

 

 

FASE VI: Transição para o Terceiro Milênio

2000 – e o futuro...

 

·         Cônego dr. Pedro Carlos Cipolini é o pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, assumindo desafios de uma realidade metropolitana, distante da Freguesia de 1774. Instalação do CPP (Conselho de Pastoral Paroquial) e CAE (Conselho de Assuntos Econômicos) e realização da Assembléia Paroquial.

 

·         Campanha pela reforma dos vitrais da Basílica do Carmo e reforma do telhado, como um marco do resgate de sua importância histórica. A Basílica é tombada pelo Condepacc.

 

MUNDO E BRASIL NA FASE VI

MUNDO

 

2000 – No Ano Internacional da Cultura de Paz, a Cúpula do Milênio, em Nova York, lança  Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Fórum Mundial da Educação em Dakar faz balanço dos dez anos da Conferência de Jomtien

 

2001 – Atentados ao World Trade Center em Nova York e ao Pentágono em Washington inauguram nova era nas relações internacionais.

 

2005 –  O furacão Katrina, que arrasa New Orleans, reforça estado de atenção global para mudanças climáticas e desequilíbrio ambiental.

 

19 de abril de 2005 – Posse de Bento XVI como novo papa. É o cardeal Joseph Ratzinger, nascido em 16 de abril de 1927 na Alemanha. 

 

BRASIL

 

Janeiro 2001 – Primeiro Fórum Social Mundial, em Porto Alegre (RS).

 

2002 – Luis Inácio Lula da Silva eleito presidente da República, sendo reeleito em 2006.

 

2003 – Fórum Mundial da Educação, em Porto Alegre, ratifica compromisso de educação de qualidade para todos. O Estatuto do Idoso é sancionado.

 

 

 

 

 

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil