Campanha da Fraternidade 2017

   

Basílica
 Dados Gerais do Carmo
 Basílica Tombada
 Significado Histórico
 Pobre Matriz Rica
 Basílica na História
 Outras Informações
 Livro da Basílica
 Pinturas
 Iconografia
 Órgão Tamburini
 Coral Vozes do Carmo
 Horários de Missas
 Horários de Confissões
Paróquia
 Histórico
 Párocos
 Pastorais
 Atividades
 Calendário Anual
 Horários
 Batizados
 Casamentos
 Escola Paroquial
 Capela N.Sra.Boa Morte
 Templo Votivo
 
N. Sra. do Carmo
 Festa: 16 de Julho
 Devoção e História
 Novena
 Cânticos
 Oração
 Reza do Terço

 

 

 

 

 

 

 Recomende este site

 

 

 

 
 

14 de setembro

Exaltação da Santa Cruz

 

Da cruz do Cristo nos veio a salvação! Contemplamos o Deus da vida pendido no lenho da cruz, confirmando as palavras de Simeão: "Esse Menino será sinal de contradição". Por sua morte nos veio a vida. Os homens lhe deram a morte, e Ele nos ofereceu a vida. Há sinal mais contraditório do que este? No seguimento dele descobrimos a cruz do pobre, do oprimido, do doente, dos jovens, das crianças: "Eu tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber..." (Mt 25,35 ss.)

 

 

 

Liturgia da Palavra

 

Deus nos fala

Deus socorre seu povo com sua misericórdia, devolvendo-lhe a vida. Jesus humilhou-se fazendo-se obediente ao Pai até à morte. A serpente levantada no deserto salvava de uma morte imediata, mas Jesus, levantado na cruz, nos dá a vida eterna. Nasce de novo quem nele crê.

 

 

Primeira Leitura - Nm 21,4b-9

Leitura do Livro dos Números:

Naqueles dias, os filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom. Durante a viagem o povo começou a impacientar-se, e pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: "Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável". Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam, e morreu muita gente em Israel. O povo foi ter com Moisés e disse: "Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes". Moisés intercedeu pelo povo, e o Senhor respondeu: "Faze uma serpente de bronze e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá". Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

— Palavra do Senhor.

Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 77

Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

 

— Escuta, ó meu povo, a minha Lei, ouve atento as palavras que eu te digo; abrirei a minha boca em parábolas, os mistérios do passado lembrarei.

 

— Quando os feria, eles então o procuravam, convertiam-se correndo para ele; recordavam que o Senhor é sua rocha e que Deus, seu Redentor, é o Deus Altíssimo.

 

— Mas apenas o honravam com seus lábios e mentiam ao Senhor com suas línguas; seus corações enganadores eram falsos e, infiéis, eles rompiam a Aliança.

 

— Mas o Senhor, sempre benigno e compassivo, não os matava e perdoava seu pecado; quantas vezes dominou a sua ira e não deu largas à vazão de seu furor.

 

 

Evangelho - Jo 3,13-17

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo João:

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: "Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.

Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele".

― Palavra da Salvação.

Glória a vós, Senhor!

 

 

 

Quando o Filho do Homem for levantado!

Entre os mistérios da encarnação, da paixão e da ressurreição de Jesus existe uma necessária vinculação. Nessa perspectiva, a negação de um só desses mistérios torna-se total rejeição a toda revelação de Deus manifestada à humanidade por Jesus Cristo. A Festa da Exaltação da Cruz, de forma pedagógica, reforça o sentido da unidade de todo o mistério redentor instaurado por Cristo. 

Um Deus verdadeiramente amor

A história do povo de Israel descreve as mesmas contradições da história humana. O povo, frente ao desafio de crescer em liberdade, prefere as amarras da escravidão, que aparentemente lhe davam segurança (alimento), quando estava no Egito. As serpentes que atacam o povo, símbolo do poder opressor, mostram que a rejeição à proposta divina torna-se fonte de morte. O arrependimento provoca o abandono da arrogância e faz o povo reconhecer Deus como a fonte única de vida e liberdade. Dessa forma, a imagem da serpente de bronze levantada não tem valor em si mesma. Mas, colocada à vista de todos, provoca a consciência em relação à rejeição a Deus, tornando-se convite permanente à conversão. Só em Deus o povo poderá encontrar a vida verdadeira.

Essa imagem da serpente de bronze, na comunidade de João, é associada à figura de Jesus. A cruz, ao mesmo tempo em que revela a tragicidade do pecado, exalta em sua mais alta grandeza a misericórdia de Deus que, por Jesus, aceita a morte para nos comunicar a vida. Nela, Jesus revela de forma límpida sua condição de Filho de Deus e de redentor da humanidade.

Na Cruz está presente o Filho de Deus

A veneração da cruz (Crucificado) pelos cristãos católicos, portanto, longe de ser adoração a um "deus morto", é a mais viva expressão de reconhecimento da grandeza do amor de Deus por nós. Sem a cruz, jamais experimentaríamos da misericórdia do amor. A imagem do Crucificado quebra a imagem de um "deus violento", pronto a castigar todos os pecadores e enviá-los ao inferno. Diante do Crucificado, dobrem-se todos os joelhos. Nele, Deus deixa impressa a máxima revelação de seu amor salvador!

Pe. Marcelo C. Araújo, C.Ss.R  

Este texto faz parte do folheto litúrgico Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

 

Saiba mais

Pároco Atual  

Liturgia Dominical  

  Liturgia Diária  

Horários da Basílica  

Carmelitas em Campinas  

Imagens e Idolatria  

Links  
  AVISOS  
Escapulário

Origem  

Espiritualidade

 

 

 

 

 

 

Google

 

 

 

 

 

 

 

 
© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil