Campanha da Fraternidade 2017

   

Basílica
 Dados Gerais do Carmo
 Basílica Tombada
 Significado Histórico
 Pobre Matriz Rica
 Basílica na História
 Outras Informações
 Pinturas
 Iconografia
 Órgão Tamburini
 Coral Vozes do Carmo
 Horários de Missas
 Horários de Confissões
Paróquia
 Histórico
 Párocos
 Pastorais
 Horários
 Batizados
 Casamentos
 Capela N.Sra.Boa Morte
 
N. Sra. do Carmo
 Festa: 16 de Julho
 Devoção e História
 Novena
 Oração
 Reza do Terço

 

 

 

 

 

 

 

08/12/2020

Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora

Catedral Metropolitana de Campinas

 

 

 

 

Maria, a nova Eva, é a escolhida do Pai para realizar seu plano eterno de amor e de redenção. Nela manifestam-se a grandeza e a beleza da graça divina. Maria é uma de nós e viveu como todas as mulheres de seu povo. Porém, ela se distingue de todos nós, pois Deus encontrou nela a disponibilidade plena, e ela tornou-se a fiel colaboradora de seu plano de salvação. Deus também espera que sejamos seus colaboradores fiéis.  

 

 

 

Liturgia da Palavra

Deus nos fala

Como Maria, a Palavra é a beleza de Deus entre nós. Ela nos ensina que a mentira tira a liberdade e que a bênção de Deus nos faz geradores de vida. 

 

 

 

Primeira Leitura - Gn 3,9-15.20

Leitura do Livro do Gênesis:

O Senhor chamou Adão, dizendo: "Onde estás?" E ele respondeu: "Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi".

Disse-lhe o Senhor Deus: "E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?"

Adão disse: "A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi".

Disse o Senhor Deus à mulher: "Por que fizeste isso?" E a mulher respondeu: "A serpente enganou-me e eu comi".

Então o Senhor Deus disse à serpente: "Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar".

E Adão chamou à sua mulher "Eva", porque ela é a mãe de todos os viventes.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

 

Salmo Responsorial - Sl 97

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

 

O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

 

Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

 

 

 

Segunda Leitura - Ef 1,3-6.11-12

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos abençoou com toda a bênção do seu Espírito em virtude de nossa união com Cristo, no céu.

Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob o seu olhar, no amor.

Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por intermédio de Jesus Cristo, conforme a decisão de sua vontade, para o louvor da sua glória e da graça com que ele nos cumulou no seu Bem-amado.

Nele também nós recebemos a nossa parte. Segundo o projeto daquele que conduz tudo conforme a decisão de sua vontade, nós fomos predestinados a sermos, para o louvor de sua glória, os que de antemão colocaram sua esperança em Cristo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

 

Anúncio do Evangelho - Lc 1,26-38

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas:

Naquele tempo, no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria.

O anjo entrou onde ela estava e disse: "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!"

Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação.

O anjo, então, disse-lhe: "Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim".

Maria perguntou ao anjo: "Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?"

O anjo respondeu: "O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível".

Maria, então, disse: "Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!" E o anjo retirou-se.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

 

A Imaculada Conceição de Maria

No dia 08 de dezembro a Igreja comemora a sua mais elevada e preciosa Solenidade, que é a Imaculada Conceição da Santíssima Virgem Maria, a Rainha de todos os Santos, a Mãe de Deus. A Imaculada Conceição de Maria é um dogma da Igreja, que são as verdades que não mudam e que fortalecem a fé que carregamos dentro de nós e às quais jamais renunciamos.

O dogma da Imaculada Conceição, ou seja, a pureza completa da Mãe de Deus, foi definido em 1854 pelo Papa Pio IX, através da bula “Ineffabilis Deus”. Antes disso, porém, a devoção popular a Imaculada Conceição de Maria já era extensa. A festa já existia no oriente e na Itália meridional, então dominada pelos bizantinos, desde o século VII.

A festa não existia oficialmente no calendário da Igreja. Os estudos e discussões teológicas avançaram através dos tempos, sem um consenso positivo. Quem resolveu a questão foi um frade franciscano escocês e grande doutor em teologia, chamado Beato João Duns Scoto, que morreu em 1308. Na linha de pensamento de São Francisco de Assis, ele defendeu a Conceição Imaculada de Maria como início do projeto central de Deus, que era o nascimento do seu Filho feito homem para a redenção da humanidade.

Transcorrido mais um longo tempo, a festa acabou sendo incluída no calendário romano em 1476. Em 1570 foi confirmada e formalizada pelo Papa Pio V, na publicação do novo ofício e, finalmente, no século XVIII, o Papa Clemente XI tornou-a obrigatória a toda a cristandade. Quatro anos mais tarde, as aparições de Lourdes foram as prodigiosas confirmações dessa verdade. De fato, Maria proclamou-se explicitamente com a prova de incontáveis milagres: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Deus quis preparar ao seu Filho uma digna habitação. No seu projeto de redenção da humanidade, manteve a Mãe de Deus, cheia de graça, ainda no ventre materno. Assim, toda a obra veio da gratuidade de Deus misericordioso. Foi Deus que concedeu a Ela o mérito de participar do seu projeto. Permitiu que nascesse de pais pecadores, mas, por preservação divina permanecesse incontaminada.

Maria então foi concebida sem a mancha do orgulho e do desamor que é o pecado original. Em vista disso, a Imaculada Conceição foi a primeira a receber a plenitude da bênção de Deus, por mérito do seu Filho, e que se manifestou na morte e na Ressurreição de Cristo, para redenção da humanidade que crê e segue seus ensinamentos.

 

Fonte: www.paulinas.org.br

 

 

 

Reflexão

Solenidade da Imaculada Conceição! Sem desconsiderar a beleza, o conteúdo e a profundidade desse dogma, reflito, a partir do Evangelho de hoje, para chegar ao sentido do que celebramos. Talvez por este caminho, o dogma da imaculada possa aproximar-se mais dos homens e mulheres de fé.

Poucos são os relatos evangélicos que dão voz a Maria. Em algumas passagens é apenas mencionada, e não é possível saber o conteúdo do dito. Por isso, muitas vezes, Maria é chamada a "Virgem do silêncio". Esse silêncio tem dois aspectos: 1) o centro das narrativas do Evangelho é Jesus e não sua mãe; 2) os Evangelhos lhe dão a palavra em ocasiões na qual ela mesma evidencia ou reclama a ação de Deus. O texto da Anunciação coloca-se nessa perspectiva.

Maria recebe o anúncio do Anjo. O medo e a dúvida rompem seu silêncio e ela se põe a dialogar com o mensageiro que lhe encoraja. Apesar disso, ainda lhe dizendo da bondade divina, ela segue interrogando-o de tudo para compreender, de fato, o que se passa. Essa atitude de Maria revela-nos coisas muito simples e profundas: 1) é uma mulher de humanidade profunda e, por isso, duvida, pergunta, questiona a Deus; 2) é alguém que se coloca em atitude de discernimento, ao buscar compreender se o que escutava era voz divina ou sua própria voz idolátrica; 3) ao confrontar-se com Deus, eliminar as vozes exteriores e individuar a única voz que lhe fala, seu Senhor, ela assume o projeto com todas as suas forças: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra" (v.38) e se cala.

Agora não é mais necessária sua palavra, ecoa o Verbo que está sendo gerado a partir de seu silêncio fecundo. Ao encontro com sua prima Isabel, Maria rompe o silêncio para cantar as maravilhas do Deus da vida, que fecunda os ventres estéreis da humanidade (Isabel e Zacarias) e se recorda dos pequenos e pobres (Magnificat).

É com essa atitude mariana que somos convidados a entrar na dinâmica do dogma da Imaculada Conceição. É muito fácil repetirmos frases feitas: "Maria foi concebida sem pecado!" Isso pode dizer muito ou simplesmente nada e representar a incapacidade de nossa fé em adentrar nesse conteúdo. Acreditamos nisso?

Maria expôs sua beleza tão humana ao duvidar e não ter medo de pôr sua própria fé à prova; ao mesmo tempo, ao dar razões a sua própria fé, revela uma beleza tão pura, tão virgem que a torna imaculada, porque se entrega ao projeto de Deus com todo o seu ser, com suas dúvidas, com seus desejos e seu amor sem medida que, por não ter nenhuma contradição em si, Deus a elege para cumprir seu projeto de redenção.

Por ser tão humana, Deus se silencia para contemplar nela a nova humanidade nascida do Verbo, que se fez carne.    

Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R.

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (08/12/2020)

 

 

 

Preces da Comunidade

Elevemos o coração em prece a Deus Pai todo-poderoso, Ele que é a fonte de toda santidade, e supliquemos com humildade:

- Senhor, Deus de misericórdia, socorrei-nos!

 

1. Conduzi vossa Igreja em sua missão, que vossa misericórdia a alimente no anúncio do Evangelho e ela se torne sinal vivo e transparente de vosso Reino, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, socorrei-nos!

 

2. Libertai os povos e nações oprimidos, e que surjam no mundo e entre nós, construtores da paz e defensores da vida, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, socorrei-nos!

 

3. Guiai e inspirai a juventude e nossas famílias na vivência da fé, no compromisso com a justiça e a verdade de vosso Reino, seguindo o exemplo de Maria, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, socorrei-nos!

 

4. Fortalecei nossa Comunidade na escuta de vossa Palavra, e do jeito de Maria fazei-nos partilhar a vida e a riqueza de vossa graça, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, socorrei-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Senhor Deus, vós, que em vosso Filho Jesus, nascido de Maria, nos fizestes vencedores do pecado e da morte, fazei-nos também santos e imaculados em vosso amor, e assim alcancemos a vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

 

 

 

 

Saiba mais

Reitor  

Liturgia Dominical  

  Liturgia Diária  

Horários da Basílica  

Carmelitas em Campinas  

Imagens e Idolatria  

Links  
  AVISOS  
Escapulário

Origem  

Espiritualidade

 

 

 

 

 

 

Google

 

 

 

 

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil