Basílica
 Dados Gerais do Carmo
 Basílica Tombada
 Significado Histórico
 Pobre Matriz Rica
 Basílica na História
 Outras Informações
 Livro da Basílica
 Pinturas
 Iconografia
 Órgão Tamburini
 Coral Vozes do Carmo
 Horários de Missas
 Horários de Confissões
Paróquia
 Histórico
 Párocos
 Pastorais
 Atividades
 Calendário Anual
 Horários
 Batizados
 Casamentos
 Escola Paroquial
 Capela N.Sra.Boa Morte
 Templo Votivo
 
N. Sra. do Carmo
 Festa: 16 de Julho
 Devoção e História
 Novena
 Cânticos
 Oração
 Reza do Terço

 

 

 

 

 

 

 Recomende este site

 

 

 

 
 

Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

 

"Mistério de amor e vínculo de unidade!"

 

Eucaristia: Oferta permanente do amor do Pai em seu Filho Jesus Cristo a toda a humanidade. Somos muitos, diversos, diferentes até, mas partilhamos de um único e mesmo pão. Bebemos na fonte do mesmo e eterno amor. Todos podem enriquecer-se com a graça da vida, da paz e da salvação. Sabemos que podemos contar sempre, sem cessar, com a oferta de vida e de salvação: a Eucaristia, que é o próprio Cristo presente no Pão do altar. Celebremos, pois, com dignidade, o mistério pascal de Cristo.  

 

 

 

Liturgia da Palavra

Deus nos fala

 

A Palavra nos aponta para a verdadeira liberdade, e se opõe à escravidão e opressão. Chama-nos à partilha e à vida: "Aquele que come este pão viverá para sempre".

 

 

Primeira Leitura - Dt 8,2-3.14b-16a

Leitura do Livro do Deuteronômio:

Moisés falou ao povo, dizendo: Lembra-te de todo o caminho por onde o Senhor teu Deus te conduziu, esses quarenta anos, no deserto, para te humilhar e te pôr à prova, para saber o que tinhas no teu coração, e para ver se observarias ou não seus mandamentos.

Ele te humilhou, fazendo-te passar fome e alimentando-te com o maná que nem tu nem teus pais conhecíeis, para te mostrar que nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca do Senhor.

Não te esqueças do Senhor teu Deus que te fez sair do Egito, da casa da escravidão, e que foi teu guia no vasto e terrível deserto, onde havia serpentes abrasadoras, escorpiões, e uma terra árida e sem água nenhuma. Foi ele que fez jorrar água para ti da pedra duríssima, e te alimentou no deserto com maná, que teus pais não conheciam.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

 

Salmo Responsorial - Sl 147

Glorifica o Senhor, Jerusalém; celebra teu Deus, ó Sião!

 

Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou!

 

A paz em teus limites garantiu e te dá como alimento a flor do trigo. Ele envia suas ordens para a terra, e a palavra que ele diz corre veloz.

 

Anuncia a Jacó sua palavra, seus preceitos e suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho, a nenhum outro revelou os seus preceitos.

 

 

 

Segunda Leitura - 1Cor 10,16-17

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: O cálice da bênção, o cálice que abençoamos, não é comunhão com o sangue Cristo? E o pão que partimos, não é comunhão com o corpo de Cristo? Porque há um só pão, nós todos somos um só corpo, pois todos participamos desse único pão. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

 

Sequência

Terra, exulta de alegria, louva teu pastor e guia, com teus hinos, tua voz!

Tanto possas, tanto ouses, em louvá-lo não repouses; sempre excede o teu louvor!

Hoje a Igreja te convida: ao pão vivo que dá vida vem com ela celebrar!

Este pão, que o mundo o creia! por Jesus, na santa ceia, foi entregue aos que escolheu.

Nosso júbilo cantemos, nosso amor manifestemos, pois transborda o coração!

Quão solene a festa, o dia, que da santa Eucaristia nos recorda a instituição!

Novo Rei e nova mesa, nova Páscoa e realeza, foi-se a Páscoa dos judeus.

Era sombra o antigo povo, o que é velho cede ao novo: foge a noite, chega a luz.

O que o Cristo fez na ceia, manda a Igreja que o rodeia repeti-lo até voltar.

Seu preceito conhecemos: pão e vinho consagremos para nossa salvação.

Faz-se carne o pão de trigo, faz-se sangue o vinho amigo: deve-o crer todo cristão.

Se não vês nem compreendes, gosto e vista tu transcendes, elevado pela fé.

Pão e vinho, eis o que vemos; mas o Cristo é que nós temos em tão ínfimos sinais...

Alimento verdadeiro, permanece o Cristo inteiro quer no vinho, quer no pão.

É por todos recebido, não em parte ou dividido, pois inteiro é que se dá!

Um ou mil comungam dele, tanto este quanto aquele: multiplica-se o Senhor.

Dá-se ao bom como ao perverso, mas o efeito é bem diverso: vida e morte traz em si...

Pensa bem: igual comida, se ao que é bom enche de vida, traz a morte para o mau.

Eis a hóstia dividida... Quem hesita, quem duvida? Como é toda o autor da vida, a partícula também.

Jesus não é atingido: o sinal é que é partido; mas não é diminuído, nem se muda o que contém.

Eis o pão que os anjos comem transformado em pão do homem; só os filhos o consomem: não será lançado aos cães!

Em sinais prefigurado, por Abraão foi imolado, no cordeiro aos pais foi dado, no deserto foi maná.

Bom pastor, pão de verdade, piedade, ó Jesus, piedade, conservai-nos na unidade, extingui nossa orfandade, transportai-nos para o Pai!

Aos mortais dando comida, dais também o pão da vida; que a família assim nutrida seja um dia reunida aos convivas lá do céu!

 

 

 

Evangelho - Jo 6,51-58

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo escrito por João:

Naquele tempo, disse Jesus às multidões dos judeus: "Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo".

Os judeus discutiam entre si, dizendo: "Como é que ele pode dar a sua carne a comer?"

Então Jesus disse: "Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue, verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que me recebe como alimento viverá por causa de mim.

Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram. Eles morreram. Aquele que come este pão viverá para sempre".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

 

Bênção do Santíssimo

Tão sublime Sacramento, adoremos neste altar, pois o Antigo Testamento deu ao novo o seu lugar. Venha a fé por suplemento os sentidos completar.

Ao eterno Pai, cantemos, e a Jesus, o Salvador. Ao Espírito exaltemos, na Trindade eterno amor. Ao Deus uno e trino demos a alegria do louvor. Amém.

 

¾ Do céu lhes destes o Pão.

¾ Que contém todo sabor.

¾ Oremos: Senhor Jesus Cristo, neste admirável Sacramento nos deixastes o memorial de vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continuamente os frutos da Redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

¾ Amém.

 

¾ "Deus vos abençoe e vos guarde!

Que Ele vos ilumine com a luz da sua face e vos seja favorável.

Que Ele vos mostre o seu rosto e vos traga a paz.

Que Ele vos dê a saúde do corpo e da alma".

 

¾ Nosso Senhor Jesus Cristo esteja perto de vós para vos defender; esteja em vosso coração para vos conservar; que Ele seja o vosso guia para vos conduzir; que vos acompanhe para vos guardar; olhe por vós e sobre vós derrame a sua bênção! Ele, que vive com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

¾ Amém.

 

Bendito seja Deus.

Bendito seja o seu santo nome.

Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem.

Bendito seja o nome de Jesus.

Bendito seja o seu sacratíssimo Coração.

Bendito seja o seu preciosíssimo Sangue.

Bendito seja Jesus no Santíssimo Sacramento do altar.

Bendito seja o Espírito Santo Paráclito.

Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima.

Bendita seja a sua santa e imaculada Conceição.

Bendita seja a sua gloriosa Assunção.

Bendito seja o nome de Maria, Virgem e Mãe.

Bendito seja São José, seu castíssimo esposo.

Bendito seja Deus nos seus anjos e nos seus santos.

 

¾ Deus e Senhor nosso,

¾ protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso santo Padre, o Papa, sobre o nosso Arcebispo, sobre o nosso Pároco e todo o clero; sobre o Chefe da Nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei, com os efeitos contínuos de vossa bondade, o Brasil, este Arcebispado, a Paróquia em que habitamos e a cada um de nós, em particular, e a todas as pessoas por quem somos obrigados a orar, ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna.

 

- Graças e louvores se deem a cada momento:

- Ao Santíssimo e diviníssimo Sacramento.

 

 

 

 

 

 

Saiba mais

Pároco Atual  

Liturgia Dominical  

  Liturgia Diária  

Horários da Basílica  

Carmelitas em Campinas  

Imagens e Idolatria  

Links  
  AVISOS  
Escapulário

Origem  

Espiritualidade

 

 

 

 

 

 

Google

 

 

 

 

*

 

 

 

 

 

 

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil