22/11/2020

Dia Nacional do Leigo e Leiga Cristãos

Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo

 

 

    

 

 

Reunidos em torno do altar, em Comunidade, nos pomos diante de Jesus, Rei do universo, Pastor cuidadoso do rebanho. Ele é o Pastor que é Rei e deseja o senhorio divino sobre a terra. Cristo é vencedor da morte e nos garante a herança do Reino, plantado entre nós por Ele e pelos discípulos. Tudo o que fizerdes ao menor dos meus irmãos é a mim que o fazeis! Pertencer ao Reino é praticar o bem e a justiça verdadeira. 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Somente agindo na caridade e na solidariedade é que reconheceremos o rosto de Cristo no rosto dos irmãos e irmãs mais sofredores.

 

 

1ª Leitura - Ez 34,11-12.15-17

Leitura da Profecia de Ezequiel:

Assim diz o Senhor Deus: "Vede! Eu mesmo vou procurar minhas ovelhas e tomar conta delas. Como o pastor toma conta do rebanho, de dia, quando se encontra no meio das ovelhas dispersas, assim vou cuidar de minhas ovelhas e vou resgatá-las de todos os lugares em que foram dispersadas num dia de nuvens e escuridão.

Eu mesmo vou apascentar as minhas ovelhas e fazê-las repousar ― oráculo do Senhor Deus. Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada, enfaixar a da perna quebrada, fortalecer a doente, e vigiar a ovelha gorda e forte. Vou apascentá-las conforme o direito. Quanto a vós, minhas ovelhas, ― assim diz o Senhor Deus ― eu farei justiça entre uma ovelha e outra, entre carneiros e bodes".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 22

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

 

Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças. 

 

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

 

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.

 

 

2ª Leitura - 1Cor 15,20-26.28

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte, e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos.

Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. Pois é preciso que ele reine, até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 25,31-46

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: 'Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar'.

Então os justos lhe perguntarão: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?'

Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!'

Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: 'Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'.

E responderão também eles: 'Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?' Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!' Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Neste último domingo do Ano Litúrgico celebramos, com muita alegria, a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo como Rei do Universo. O reconhecimento do senhorio de Jesus sobre o universo inteiro é apenas a primeira parte do significado que essa celebração tem para a vida da Igreja. A segunda parte desse significado consiste no compromisso, do qual todos somos encarregados, de promover as condições necessárias para o reinado de Jesus acontecer já nas situações concretas desta vida. A liturgia da Palavra de hoje nos ajuda a perceber isso e, por isso, deve nos comprometer.

Na Primeira Leitura, o profeta Ezequiel mostra Deus tomando a iniciativa de cuidar do seu próprio rebanho, destituindo os pastores que não exerceram com fidelidade a atividade de apascentar. Movido sempre pelo amor, Deus não permite que nenhuma de suas ovelhas se perca, por isso, assume ele a função de resgatar as ovelhas mais necessitadas, dispensando a elas um cuidado especial, e exercendo o pastoreio com justiça. Essa imagem do profeta é assumida por Jesus, o pastor em excelência, o qual mostra, no Evangelho de hoje, quais são os critérios para sermos reconhecidos como pertencentes ao seu rebanho, ou seja, ao seu reino.

No Evangelho, com a parábola do julgamento final, o evangelista Mateus nos faz entender quais são os critérios para participar do Reino de Jesus, nesta vida e na eternidade. Chega a ser surpreendente porque o que conta de verdade não é a religiosidade ou o conhecimento da doutrina, mas a atitude de cada um diante das situações de sofrimento e pobreza do próximo: a fome, a sede, a nudez, a doença, a prisão e o exílio. Diante de situações como essas, sendo crente ou não, o ser humano tem a oportunidade de entrar na proposta do reino.

É muito importante perceber que, para o reinado de Jesus acontecer de fato, é necessário que sejam observados somente seus critérios e ninguém pode isentar-se deles. Pelo contrário, todos são convocados a fazer essa experiência, não esperando uma outra vida, mas já nesta vida terrena adotando tais critérios e praticando-os no dia a dia.

A Segunda Leitura, ao reforçar a certeza da ressurreição de Jesus como primícias, e a nossa como consequência dessa, nos interpela ainda mais a viver e praticar os seus ensinamentos fundamentais, antecipando, já aqui, as maravilhas do seu reino definitivo. Isso se faz servindo a Ele nos mais necessitados que estão ao nosso redor.  

Pe. Francisco Cornélio Freire Rodrigues - Diocese de Mossoró - RN

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (22/11/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor, necessitados que somos, apresentamos diante de vossa bondade e misericórdia nossos pedidos. Escutai nossos rogos e amparai-nos na construção do vosso Reino de amor. Confiantes, nós clamamos a vós:

- Senhor, venha a nós vosso Reino!

 

1. Pastor bondoso e atento, guardião do rebanho, amparai nossos pastores. Pelo Papa, pelos Bispos, sacerdotes e religiosos, para que não lhes faltem sabedoria e bondade no cuidado de vosso povo, nós vos rogamos.

- Senhor, venha a nós vosso Reino!

 

2. Rei Eterno, que tudo governais, inspirai nossos governantes. Para que nossos líderes sempre estejam atentos às necessidades do povo, para que todos tenham saúde, segurança, educação e trabalho, nós vos rogamos.

- Senhor, venha a nós vosso Reino!

 

3. Senhor, fonte de santidade e justiça, olhai para vosso povo. Para que nossas comunidades, lideranças e pastorais vejam no próximo o rosto de vosso Filho, a quem devemos servir de coração aberto, nós vos rogamos.

- Senhor, venha a nós vosso Reino!

 

4. Senhor da vida, esperança dos aflitos. Visitai nossas casas, ambientes de trabalho, amparai nossos doentes, renovai a esperança de vossos filhos e filhas sofredores e todos possam resgatar a dignidade da vida, nós vos rogamos.

- Senhor, venha a nós vosso Reino!

 

5. Outras intenções...

 

Ó Deus, fonte de nossa felicidade e de todo bem, ouvi nossas súplicas, e que vosso Reino se realize plenamente entre nós. Por Cristo, nosso Rei e nosso Senhor.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil