10/11/2019

32º Domingo do Tempo Comum

"Em Cristo, a vida é plenitude!"

 

 

Reunidos no Dia do Senhor, na força da Palavra e da Eucaristia, renovemos nele nossa esperança. Deus, em Jesus Cristo, revela seu plano de amor: somos chamados ao testemunho e à fidelidade. A existência de sofrimentos que levam à angústia e, às vezes, até à morte, não intimidam os seguidores de Jesus. Graças à nossa fé, permanece em nós a certeza de que, apesar dos sofrimentos e desafios da vida terrena, viveremos eternamente com o Senhor e contemplaremos sua face, como os anjos do céu.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Diante da opressão e da morte, os que são perseguidos encontram na fé e na confiança em Deus a esperança e a força para enfrentar os desafios e suportar as dores. Aqueles que são fiéis à Palavra do Senhor viverão eternamente junto dele. Deus é fiel e cuida de cada um de nós guardando-nos até nos ter definitivamente em sua presença.

 

 

1ª Leitura - 2Mc 7,1-2.9-14

Leitura do Segundo Livro dos Macabeus:

Naqueles dias aconteceu que foram presos sete irmãos, com sua mãe, aos quais o rei, por meio de golpes de chicote e de nervos de boi, quis obrigar a comer carne de porco, que lhes era proibida. Um deles, tomando a palavra em nome de todos, falou assim: "Que pretendes? E que procuras saber de nós? Estamos prontos a morrer, antes que violar as leis de nossos pais".

O segundo, prestes a dar o último suspiro, disse: "Tu, ó malvado, nos tiras desta vida presente. Mas o Rei do universo nos ressuscitará para uma vida eterna, a nós que morremos por suas leis".

Depois deste, começaram a torturar o terceiro. Apresentou a língua logo que o intimidaram e estendeu corajosamente as mãos. E disse, cheio de confiança: "Do Céu recebi estes membros; por causa de suas leis os desprezo, pois do Céu espero recebê-los de novo".

O próprio rei e os que o acompanhavam ficaram impressionados com a coragem desse adolescente, que considerava os sofrimentos como se nada fossem.

Morto também este, submeteram o quarto irmão aos mesmos suplícios, desfigurando-o. Estando quase a expirar, ele disse: "Prefiro ser morto pelos homens tendo em vista a esperança dada por Deus, que um dia nos ressuscitará. Para ti, porém, ó rei, não haverá ressurreição para a vida!"

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 16

Ao despertar, me saciará vossa presença e verei a vossa face!

 

Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, escutai-me e atendei o meu clamor! Inclinai o vosso ouvido à minha prece, pois não existe falsidade nos meus lábios!

 

Os meus passos eu firmei na vossa estrada, e por isso os meus pés não vacilaram. Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

 

Protegei-me qual dos olhos a pupila e guardai-me, à proteção de vossas asas. Mas eu verei, justificado, a vossa face e ao despertar me saciará vossa presença. 

 

 

2ª Leitura - 2Ts 2,16-3,5

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

Irmãos: Nosso Senhor Jesus Cristo e Deus nosso Pai, que nos amou em sua graça e nos proporcionou uma consolação eterna e feliz esperança, animem os vossos  corações e vos confirmem em toda boa ação e palavra.

Quanto ao mais, irmãos, rezai por nós, para que a palavra do Senhor seja divulgada e glorificada como foi entre vós. Rezai também para que sejamos livres dos homens maus e perversos, pois nem todos têm a fé!

Mas o Senhor é fiel; ele vos confirmará e vos guardará do mal. O Senhor nos dá a certeza de que vós estais seguindo e sempre seguireis as nossas instruções. Que o Senhor dirija os vossos corações ao amor de Deus e à firme esperança em Cristo. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 20,27-38

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, que negam a ressurreição, e lhe perguntaram: "Mestre, Moisés deixou-nos escrito: se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a viúva, a fim de garantir a descendência para o seu irmão.

Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem deixar filhos. Também o segundo e o terceiro se casaram com a viúva. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos.

Por fim, morreu também a mulher. Na ressurreição, ela será esposa de quem? Todos os sete estiveram casados com ela".

Jesus respondeu aos saduceus: "Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram. Que os mortos ressuscitam, Moisés também o indicou na passagem da sarça, quando chama o Senhor de 'o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó'. Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

As leituras de hoje nos ensinam a ter fé na vida que vem de Deus. A Primeira Leitura é um trecho de uma das páginas mais emocionantes de toda a Bíblia. Trata-se do martírio dos irmãos Macabeus juntamente com sua mãe. O testemunho dessa família de mártires se passa durante a perseguição do rei Antioco, século II a.C. O rei quer acabar com as tradições da fé do povo judeu, proibindo qualquer manifestação religiosa popular.

Na insistência do perseguidor, a mãe pede aos filhos para resistirem através da fé na ressurreição. A ressurreição é a grande esperança dos pobres e dos pequenos frente à tirania dos poderosos. O poder de Deus se manifesta na vitória da vida contra as forças da morte. Por mais violentos que sejam os que buscam destruir a vida, sempre maior será a força divina capaz de recriar a vida. Firmes nessa fé, os irmãos resistem ao rei e entregam sua vida terrena na certeza da vitória da vida celeste.

No Evangelho de hoje, Jesus está no templo, ensinando o povo e anunciando a Boa Nova (cf. Lc 20,1). Aqui ele enfrenta os saduceus. Esse partido religioso congregava os poderosos daquela época. Nele se reuniam os aristocratas, os príncipes do povo e alguns sacerdotes. Nenhum deles acreditava na ressurreição. Para provocar Jesus, eles colocam um caso com bastante criatividade. Na vida futura, com quem fica uma viúva que teve sete  maridos, sem ter filhos com nenhum deles? Jesus responde com bastante discernimento.

Em primeiro lugar, ele questiona o caso em si, dizendo que não é possível comparar uma situação desta vida presente com o que vai acontecer na vida futura. A ressurreição não pode ser comparada com as situações vigentes neste mundo. Tudo será diferente. Na ressurreição já não teremos as mesmas relações que temos aqui neste mundo. Jesus deixa claro que os que ressuscitam já são, desde agora, filhos de Deus e vivem a realidade nova da vida divina. Para concluir, Jesus lembra o episódio de Moisés no deserto quando Deus se apresenta como um Deus dos vivos, e não como Deus dos mortos, "pois todos vivem para ele!" 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (10/11/2019)

 

 

Preces da Comunidade

Ó Pai, vossas promessas e fidelidade são eternas. Escutai nossa oração e olhai nosso coração, pois queremos continuar no caminho do testemunho de vossa bondade, do anúncio corajoso do vosso amor e do serviço dedicado aos nossos irmãos.

 

1. Ainda em nossos dias, muitos são os cristãos perseguidos! Senhor, que eles não desanimem e seu testemunho fortaleça e aumente nosso compromisso cristão, nós vos rogamos.

- Fortalecei-nos, Senhor, em vosso amor!

 

2. A violência está presente em nossa sociedade! Olhai, Senhor, para as vítimas da maldade, violência e intolerância, e que a paz e a justiça ocupem o lugar do medo e da indiferença, nós vos rogamos.

- Fortalecei-nos, Senhor, em vosso amor!

 

3. O comodismo enfraquece a solidariedade! Ajudai-nos, Senhor, a abrir as mãos e o coração e nunca fechar os olhos e os ouvidos aos irmãos e irmãs vítimas da ganância e da indiferença, nós vos rogamos.

- Fortalecei-nos, Senhor, em vosso amor!

 

4. Somos missionários da esperança e da vida! Que nunca nos falte, Senhor, uma palavra de apoio e solidariedade àqueles que estão cansados e desanimados no caminho, nós vos rogamos.

- Fortalecei-nos, Senhor, em vosso amor!

 

5. A igualdade haverá com nossa ação no mundo! Fortalecei, Senhor, todas as pessoas que se empenham na defesa dos direitos do próximo e constroem a paz buscando mais igualdade, nós vos rogamos.

- Fortalecei-nos, Senhor, em vosso amor!

 

5. Outras intenções...

 

Pai bondoso, Deus fiel, voltai para nós vossa face, inclinai vosso ouvido às nossas preces e dai-nos vossa paz. Por Cristo, vosso Filho e nosso irmão, que convosco vive e reina eternamente.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil