20/10/2019

29º Domingo do Tempo Comum

"A Palavra penetra o coração humano!"

 

 

O Senhor nos faz compreender qual é o valor da oração perseverante e, por isso, nos apresenta uma viúva inoportuna e insistente diante de um juiz iníquo. Deus faz justiça àqueles que clamam em seu nome. A Palavra inspirada serve sempre para ensinar, repreender, corrigir, formar o ser humano na verdade. A oração e a Palavra de Deus têm o poder de nos transformar e mudar nossos sentimentos e pensamentos.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Com o coração despojado, aberto e disposto a servir, acolhamos a Palavra que nos fortalece e nos ensina como nos apresentar diante de Deus, que é doação amorosa absoluta. Escutemos com fervor e humildade.  

 

 

1ª Leitura - Êx 17,8-13

Leitura do Livro do Êxodo:

Naqueles dias, os amalecitas vieram atacar Israel em Rafidim. Moisés disse a Josué: "Escolhe alguns homens e vai combater contra os amalecitas. Amanhã estarei, de pé, no alto da colina, com a vara de Deus na mão".

Josué fez o que Moisés lhe tinha mandado e combateu os amalecitas. Moisés, Aarão e Ur subiram ao topo da colina. E, enquanto Moisés conservava a mão levantada, Israel vencia; quando abaixava a mão, vencia Amalec.

Ora, as mãos de Moisés tornaram-se pesadas. Pegando então uma pedra, colocaram-na debaixo dele para que se sentasse, e Aarão e Ur, um de cada lado, sustentavam as mãos de Moisés. Assim, suas mãos não se fatigaram até ao pôr-do-sol, e Josué derrotou Amalec e sua gente a fio de espada.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 120

Do Senhor é que me vem o meu socorro, do Senhor, que fez o céu e fez a terra.

 

Eu levanto os meus olhos para os montes: de onde pode vir o meu socorro? "Do Senhor é que me vem o meu socorro, do Senhor que fez o céu e fez a terra!"

 

Ele não deixa tropeçarem os meus pés, e não dorme quem te guarda e te vigia. Oh! Não! Ele não dorme nem cochila, aquele que é o guarda de Israel!

 

O Senhor é o teu guarda, o teu vigia, é uma sombra protetora à tua direita. Não vai ferir-te o sol durante o dia, nem a lua através de toda a noite.

 

O Senhor te guardará de todo o mal, ele mesmo vai cuidar da tua vida! Deus te guarda na partida e na chegada. Ele te guarda desde agora e para sempre! 

 

 

2ª Leitura - 2Tm 3,14-4,2

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo:

Caríssimo: Permanece firme naquilo que aprendeste e aceitaste como verdade; tu sabes de quem o aprendeste. Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras: elas têm o poder de te comunicar a sabedoria que conduz à salvação pela fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e qualificado para toda boa obra.

Diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de vir a julgar os vivos e os mortos, e em virtude da sua manifestação gloriosa e do seu Reino, eu te peço com insistência: proclama a palavra, insiste oportuna ou importunamente, argumenta, repreende, aconselha, com toda a paciência e doutrina. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 18,1-8

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir, dizendo:

"Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus, e não respeitava homem algum. Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: 'Faze-me justiça contra o meu adversário!'

Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: 'Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum. Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha a agredir-me!'"

E o Senhor acrescentou: "Escutai o que diz este juiz injusto. E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar?

Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?"

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O fio condutor das leituras deste domingo é a oração. A verdadeira oração. O Salmo de meditação é um dos salmos de romaria. Na peregrinação, os romeiros enfrentam muitos perigos. Nesse salmo, eles pedem proteção a Deus ao longo do caminho com seus perigos e ameaças. Na Primeira Leitura, os amalecitas simbolizam os perigos da travessia em busca da terra prometida. Enquanto Josué combate os inimigos, Moisés e seus companheiros sobem ao monte para rezar. O povo aprendeu que, para vencer os inimigos, deve haver, ao mesmo tempo, luta e oração; ação e contemplação. No Evangelho, Jesus recorre a uma parábola, tirada da vida do povo, para ensinar duas coisas a respeito da oração. Nossa reza deve ser, ao mesmo tempo, insistente (Lc 18,1-8) e humilde (Lc 18,9-14).

Neste domingo, o enfoque é sobre a insistência. No próximo domingo será sobre a humildade. O texto de hoje começa com a introdução do evangelista: "Contou-lhes uma parábola para mostrar a necessidade de orar sempre, sem jamais desanimar". Orar sem desanimar é uma característica da vida orante das primeiras comunidades cristãs (1Ts 5,17; Rm 12,12; Ef 6,18). Na parábola, Jesus fala sobre uma pobre viúva que luta por seus direitos. Só que diante dela existe um juiz impiedoso, sem consideração, nem por Deus nem pelos outros.

Com a parábola Jesus traz a situação de todos os pobres que lutam por seus direitos, diante de uma justiça parcial e impiedosa. Mas a viúva não desiste e continua a pedir e lutar por seus direitos. No fim, o juiz resolve atender ao pedido da viúva. Mas atende por motivo interesseiro: quer se ver livre da chateação da viúva! Mas, o que tem a ver esse episódio com a oração? Jesus faz, então, uma aplicação da parábola (18,6-8).

É como se Jesus nos dissesse: se até um juiz, que não vale nada, faz justiça diante da insistência de uma pobre viúva, quanto mais o Pai do céu saberá fazer justiça aos que lhe pedem alguma coisa. Portanto, em nossas orações devemos ter duas preocupações: estamos sendo insistentes? Estamos, de fato, rezando por justiça ou por nossos desejos mais imediatos?

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (20/10/2019)

 

 

Preces da Comunidade

Insistentes e confiantes, a exemplo da viúva, apresentemos ao nosso Deus nossas preces comunitárias, suplicando:

- Ajudai-nos, Senhor, a sermos justos e fraternos!

 

1. Abençoai, Senhor, vossa Igreja e dai ao nosso Papa, nossos Bispos, Sacerdotes, Religiosos e Leigos o discernimento e a sabedoria, a fim de anunciarem alegremente o Evangelho, nós vos pedimos, Senhor.

- Ajudai-nos, Senhor, a sermos justos e fraternos!

 

2. Dai-nos, Senhor, a graça de buscá-lo pela oração despojada e livre em todos os momentos e circunstâncias da vida, nós vos pedimos, Senhor.

- Ajudai-nos, Senhor, a sermos justos e fraternos!

 

3. Ajudai-nos, Senhor, a perceber a vossa presença nas pessoas simples, sofredoras, enfermas e abandonadas neste mundo ferido por tantas injustiças, nós vos pedimos, Senhor.

- Ajudai-nos, Senhor, a sermos justos e fraternos!

 

4. Fortalecei a todos os batizados, a fim de que na alegria da missão jamais deixem de proclamar as vossas maravilhas, nós vos pedimos, Senhor.

- Ajudai-nos, Senhor, a sermos justos e fraternos!

 

5. Outras intenções...

 

Acolhei, Senhor Deus, o que vos pedimos confiantes, renovai-nos na esperança de vosso amor e bondade, e fazei-nos anunciadores do Evangelho de Cristo, que convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil