29/10/2017

30º Domingo do Tempo Comum

"Amar a Deus e ao próximo!"

 

 

Somos criaturas criadas no amor de Deus. Tão grande é esse mistério e nada há de mais sublime do que a iniciativa amorosa do Senhor em nossa existência. Amar o próximo e nos amar mutuamente é amar a Deus, pois esse amor é uma única Aliança entre Ele e nossa humanidade. O encontro com Deus nos renova e nos aperfeiçoa na solicitude do amor. Somos, pois, sacramentos de seu amor. Não tenhamos reserva em amar a Deus no próximo e amar o próximo para amar a Deus.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

No amor, todos os excluídos têm direito à participação no banquete da vida. Se há amor a Deus, mas não há partilha, ainda estamos aquém da verdade de Cristo. A Comunidade fraterna e solidária vive e revive nesse amor autêntico.

 

 

1ª Leitura - Êx 22,20-26

Leitura do Livro do Êxodo:

Assim diz o Senhor: Não oprimas nem maltrates o estrangeiro, pois vós fostes estrangeiros na terra do Egito.

Não façais mal algum à viúva nem ao órfão. Se os maltratardes, gritarão por mim, e eu ouvirei o seu clamor. Minha cólera, então, se inflamará e eu vos matarei à espada; vossas mulheres ficarão viúvas e órfãos os vossos filhos.

Se emprestares dinheiro a alguém do meu povo, a um pobre que vive ao teu lado, não sejas um usurário, dele cobrando juros.

Se tomares como penhor o manto do teu próximo, deverás devolvê-lo antes do pôr do sol. Pois é a única veste que tem para o seu corpo, e coberta que ele tem para dormir. Se clamar por mim, eu o ouvirei, porque sou misericordioso.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 17

Eu vos amo, ó Senhor, sois minha força e salvação.

 

Eu vos amo, ó Senhor! Sois minha força, minha rocha, meu refúgio e Salvador! Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga, minha força e poderosa salvação.

 

Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga, sois meu escudo e proteção: em vós espero! Invocarei o meu Senhor: a ele a glória! E dos meus perseguidores serei salvo!

 

Viva o Senhor! Bendito seja o meu Rochedo! E louvado seja Deus, meu Salvador! Concedeis ao vosso rei grandes vitórias e mostrais misericórdia ao vosso Ungido.

 

 

2ª Leitura - 1Ts 1,5c-10

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

Irmãos: Sabeis de que maneira procedemos entre vós, para o vosso bem. E vós vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, acolhendo a Palavra com a alegria do Espírito Santo, apesar de tantas tribulações. Assim vos tornastes modelo para todos o fiéis da Macedônia e da Acaia.

Com efeito, a partir de vós, a Palavra do Senhor não se divulgou apenas na Macedônia e na Acaia, mas a vossa fé em Deus propagou-se por toda parte. Assim, nós já nem precisamos falar, pois as pessoas mesmas contam como vós nos acolhestes e como vos convertestes, abandonando os falsos deuses, para servir ao Deus vivo e verdadeiro, esperando dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos: Jesus, que nos livra do castigo que está por vir.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 22,34-40

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito calar os saduceus. Então eles se reuniram em grupo, e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo: "Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?"

Jesus respondeu: "'Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento!' Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: 'Amarás ao teu próximo como a ti mesmo'. Toda a Lei e os profetas dependem desses dois mandamentos".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Vivemos uma época em que Jesus está cada vez mais presente nos meios de comunicação social. Até parece que nossa época está mais evangelizada e cristã. Parece! Pois a realidade é outra. Aumenta cada vez mais a concentração da riqueza. Nesta sociedade desigual e injusta, como viver a proposta de Jesus? Vamos meditar as leituras da celebração de hoje em busca de um caminho. O livro do Êxodo traz as leis em defesa dos pobres. Os pobres são as pessoas mais vulneráveis numa sociedade. No mundo da Bíblia os pobres são as viúvas, os órfãos, os migrantes, os mendigos, os enfermos. O texto lembra que todos merecem os maiores cuidados e proteção. Deus não quer ninguém sofrendo exploração e marginalização. Por isso mesmo deixa claro que atenderá sempre ao grito angustiado dos pobres, oprimidos pelos poderes violentos e gananciosos. Deus é o defensor dos pobres. O salmo de meditação canta esta certeza: a presença de Deus no meio de nós exige da nossa parte que lutemos contra a injustiça e a violência que causam dor, pobreza, abandono e doenças. Deus está em nosso meio para, através de nós, poder atender ao grito dos marginalizados. Deus vem a nós para nos defender de todo poder explorador.

No Evangelho de hoje, Jesus enfrenta novamente as provocações dos fariseus. Os fariseus são legalistas, fiéis observantes da letra da lei de Deus. Eles procuram saber de Jesus qual é o maior mandamento da Lei. Jesus lhes diz que o espírito que sustenta toda a Lei é o amor. Este amor deve ser vivido e praticado num único ato de amar. Ou seja, devemos, ao mesmo tempo e com a mesma intensidade, amar a Deus e amar o próximo. Mostramos que amamos a Deus de verdade na mesma medida em que acolhemos, defendemos, valorizamos a vida de quem está próximo de nós. Mostramos nossa fidelidade ao projeto de Deus construindo relações solidárias com pessoas bem concretas. Nada de desejos idealizados. O amor se traduz em gestos e em opções. É o que Paulo louva na comunidade de Tessalônica. Diante da proposta do Evangelho pregado pela equipe missionária, muitas pessoas já estão abandonando seus projetos pessoais e egoístas para viver a solidariedade proposta por Jesus. Elas estão abandonando os ídolos, falsos e mortos, para aderir ao Deus vivo e verdadeiro. Também hoje devemos nos deixar transformar pela Palavra para sermos fiéis seguidores de Jesus e do Evangelho.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters  

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil