13/10/2019

28º Domingo do Tempo Comum

"Levanta-te e vai! Tua fé te salvou!"

 

 

Deus nos ama desde toda a eternidade e deposita em nós sua bondade. A menor de todas as palavras bíblicas, a palavra "fé", é a que mais fortemente está presente e participa de nossa vida espiritual. Ter fé é confiar em Deus sem reservas. A Palavra hoje nos traz fatos edificantes da fé e também a prece agradecida pela graça recebida. Cristo nos convida: "Levanta-te". E neste mês missionário, façamos valer as "águas de nosso batismo" que nos purificam e nos assemelham à mesma missão de Jesus.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Naamã, mesmo sendo um homem importante, foi humilde e escutou o que Deus lhe falou por meio do profeta Eliseu. Tudo é dom gratuito de Deus, até mesmo nossa fé. Só na humildade se é possível compreender o desígnio de Deus sobre nós.  

 

 

1ª Leitura - 2Rs 5,14-17)

Leitura do Segundo Livro dos Reis:

Naqueles dias, Naamã, o sírio, desceu e mergulhou sete vezes no Jordão, conforme o homem de Deus tinha mandado, e sua carne tornou-se semelhante à de uma criancinha, e ele ficou purificado.

Em seguida, voltou com toda a sua comitiva para junto do homem de Deus. Ao chegar, apresentou-se diante dele e disse: "Agora estou convencido de que não há outro Deus em toda a terra, senão o que há em Israel! Por favor, aceita um presente de mim, teu servo".

Eliseu respondeu: "Pela vida do Senhor, a quem sirvo, nada aceitarei". E, por mais que Naamã insistisse, ficou firme na recusa.

Naamã disse então: "Seja como queres. Mas permite que teu servo leve daqui a terra que dois jumentos podem carregar. Pois teu servo já não oferecerá holocausto ou sacrifício a outros deuses, mas somente ao Senhor".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 97

O Senhor fez conhecer a salvação e às nações revelou sua justiça.

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

 

O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

 

Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai! 

 

 

2ª Leitura - 2Tm 2,8-13

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo:

Caríssimo: Lembra-te de Jesus Cristo, da descendência de Davi, ressuscitado dentre os mortos, segundo o meu evangelho. Por ele eu estou sofrendo até às algemas, como se eu fosse um malfeitor; mas a palavra de Deus não está algemada. Por isso suporto qualquer coisa pelos eleitos, para que eles também alcancem a salvação, que está em Cristo Jesus, com a glória eterna.

Merece fé esta palavra: se com ele morremos, com ele viveremos. Se com ele ficamos firmes, com ele reinaremos. Se nós o negamos, também ele nos negará. Se lhe somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 17,11-19

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Aconteceu que, caminhando para Jerusalém, Jesus passava entre a Samaria e a Galileia. Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos vieram ao seu encontro. Pararam à distância, e gritaram: "Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!"

Ao vê-los, Jesus disse: "Ide apresentar-vos aos sacerdotes".

Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; atirou-se aos pés de Jesus, com o rosto por terra, e lhe agradeceu. E este era um samaritano. Então Jesus lhe perguntou: "Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? Não houve quem voltasse para dar gloria a Deus, a não ser este estrangeiro?" E disse-lhe: "Levanta-te e vai! Tua fé te salvou".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O enfoque das leituras de hoje é a salvação universal. O Salmo de meditação canta a salvação de Deus para todos os povos da terra. A humanidade toda se unirá num cântico de louvor ao reinado de Deus porque ele julgará o mundo com justiça e os povos com retidão. Deus não faz acepção de pessoas. Por isso, Deus não aceita as fronteiras construídas pelas diferenças e pelos preconceitos humanos.

A Primeira Leitura ressalta a ação de Deus para além das fronteiras do povo de Israel. O profeta Eliseu cura Naamã, um general estrangeiro, líder de um povo inimigo. A ação divina da cura, através do profeta do Senhor, é acolhida com júbilo por Naamã. Ele se converte e leva para sua terra o material necessário para construir um oratório para o Deus de Israel.

No Evangelho, Jesus continua sua caminhada em direção a Jerusalém. Ao longo do caminho, Jesus vai fazendo seus sinais de abertura e de acolhimento para todos. Dez leprosos se aproximam de Jesus e gritam pedindo ajuda. Um leproso era uma pessoa marginalizada e excluída. Através do grito, eles manifestam sua fé em Jesus, considerando-o um profeta que pode curá-los e devolver-lhes a possibilidade de serem reconhecidos como filhos de Deus. Jesus manda-os diretamente aos sacerdotes.

Tal gesto exige muita fé por parte dos leprosos. Apenas uma pessoa curada poderia se apresentar a um sacerdote. Mas eles acreditam nas palavras de Jesus e vão em direção ao sacerdote. E acontece que, enquanto estão caminhando, manifesta-se a cura e eles ficam purificados. Mas, dos dez, apenas um volta para louvar a Deus e agradecer a Jesus.

E esse único agradecido é um samaritano, um estrangeiro. Como Naamã, ele reconhece Jesus como o instrumento da ação divina da cura. O que esse episódio nos ensina? Por que os outros, que eram do povo eleito, não voltaram? Por que apenas o estrangeiro voltou? Esse samaritano nos ensina a acolher a ação gratuita da parte de Deus em nossas vidas. Tudo é graça, a começar pelo dom da própria vida. O louvor do samaritano nos ajuda a redescobrir essa dimensão da gratuidade divina.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (13/10/2019)

 

 

Preces da Comunidade

Elevemos com fervor e humildade nossos rogos a nosso Senhor, Deus de amor, e confiantes a Ele clamemos:

- Obrigado, Senhor, por vosso infinito amor!

 

1. Por vossa Igreja, sacramento de vosso Reino, que anuncia a Boa Notícia a todas as nações.

- Obrigado, Senhor, por vosso infinito amor!

 

2. Por todas as pessoas que estão ao lado dos pobres e sofredores, dos excluídos e necessitados.

- Obrigado, Senhor, por vosso infinito amor!

 

3. Por nossa Comunidade que escuta e se fortalece em vossa Palavra de vida e de salvação.

- Obrigado, Senhor, por vosso infinito amor!

 

4. Por todos os missionários que se entregam sem reservas pela causa de vosso Reino.

- Obrigado, Senhor, por vosso infinito amor!

 

5. Outras intenções...

 

Seja de vosso agrado, Senhor Deus, o que vos pedimos com fé e confiança, dai ao nosso tempo vossa paz e guiai-nos no caminho de Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil