18/10/2020

Dia Mundial das Missões e da Infância Missionária

29º Domingo do Tempo Comum

 

 

     Todo domingo às 10h00

 

 

 

Outubro, Mês Missionário, e hoje vimos celebrar o Dia Mundial das Missões e da Infância Missionária. Ser discípulo e missionário de Jesus em nosso tempo não é fácil, pois diariamente os valores da nossa fé são confrontados com os valores do mundo. A moeda é de César, mas o povo é de Deus. Não somos deste mundo, somos cidadãos do infinito. Pelo Batismo, somos todos missionários, comunicadores do Reino.

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Fiel à sua Aliança, Deus revigora aqueles que se comprometem com sua Palavra e não permite que seja ferida a dignidade de seus filhos e filhas.

 

 

1ª Leitura - Is 45,1.4-6

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Isto diz o Senhor sobre Ciro, seu Ungido: "Tomei-o pela mão para submeter os povos ao seu domínio, dobrar o orgulho dos reis, abrir todas as portas à sua marcha, e para não deixar trancar os portões. Por causa do meu servo Jacó, e de meu eleito Israel, chamei-te pelo nome; reservei-te, e não me reconheceste. Eu sou o Senhor, não existe outro: fora de mim não há deus. Armei-te guerreiro, sem me reconheceres, para que todos saibam, do oriente ao ocidente, que fora de mim outro não existe. Eu sou o Senhor, não há outro".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 95

Ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória!

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

 

Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses, porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

 

Ó família das nações, dai ao Senhor, ó nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

 

Adorai-o no esplendor da santidade, terra inteira, estremecei diante dele! Publicai entre as nações: "Reina o Senhor!", pois os povos ele julga com justiça. 

 

 

2ª Leitura - 1Ts 1,1-5b

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

Paulo, Silvano e Timóteo, à Igreja dos tessalonicenses, reunida em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: a vós, graça e paz!

Damos graças a Deus por todos vós, lembrando-vos sempre em nossas orações. Diante de Deus, nosso Pai, recordamos sem cessar a atuação da vossa fé, o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo.

Sabemos, irmãos amados por Deus, que sois do número dos escolhidos. Porque o nosso Evangelho não chegou até vós somente por meio de palavras, mas também mediante a força que é o Espírito Santo; e isso, com toda a abundância.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 22,15-21

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, os fariseus fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra. Então mandaram os seus discípulos, junto com alguns do partido de Herodes, para dizerem a Jesus: "Mestre, sabemos que és verdadeiro e que, de fato, ensinas o caminho de Deus. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências. Dize-nos, pois, o que pensas: É lícito ou não pagar imposto a César?"

Jesus percebeu a maldade deles e disse: "Hipócritas! Por que me preparais uma armadilha? Mostrai-me a moeda do imposto!" Levaram-lhe então a moeda. E Jesus disse: "De quem é a figura e a inscrição desta moeda?" Eles responderam: "De César". Jesus então lhes disse: "Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Deus se revela para o ser humano na história

Do começo ao fim, os relatos bíblicos mostram Deus embrenhado na história humana, em seus conflitos e realizações. A ação divina não é desconexa da lida do dia a dia do povo. Não há uma história divina e outra história humana, mas somente uma história da salvação, na qual o divino e o humano se entrelaçam.

A primeira leitura nos mostra como as questões políticas são lidas à luz da fé. Ciro é um rei Persa e, portanto, pagão. Diante de seu poder político crescente, o povo de Deus exilado na Babilônia o vê como libertador enviado por Deus. Assim, Isaías catequisa o povo para fortalecê-lo na esperança. Aos poucos, compreende-se que as escolhas de Deus não se deixam restringir somente ao povo de Israel, mas todos participam, a seu modo, da ação salvífica de Deus. 

O Evangelho nos apresenta a resposta dos interlocutores de Jesus diante das parábolas que ouvimos na liturgia dos últimos domingos. Eles querem pegar Jesus em alguma palavra. Na passagem que ouvimos, eles propõem a Jesus a delicada questão do tributo que o povo tinha de pagar ao imperador de Roma. Dizer sim era o mesmo que compactuar com o sistema injusto e opressor. Dizer que não, significava afrontar o sistema estabelecido de modo imprudente, pois seria associado a tantos movimentos revolucionários da época.

Jesus trata da questão de modo profundo, pois não visa apenas questionar o sistema tributário, mas mostra que toda a ordem social deve ter por centralidade a fonte de todos os bens, Deus. E quando se dá a Deus, a justiça acontece e a fraternidade triunfa.

Dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus

A segunda leitura apresenta a Comunidade de Tessalônica sendo louvada por Paulo, Silvano e Timóteo. Os tessalonicenses abraçaram de tal modo o Evangelho a ponto de serem transformados pela mensagem de salvação. As obras e as ações do Espírito complementam as palavras do anúncio e geram vida.

Diante desse testemunho, pensemos como vai o testemunho de fé de nossas Comunidades. Viemos no emaranhado de nossa história, também nós marcados pelo peso insuportável dos tributos e das tantas questões político-econômicas. Seria possível abraçar a fé como o fizeram os tessalonicenses? Não só é possível, como é nosso compromisso primeiro mostrar na prática que temos Deus como centro de nossa vida e dele partem todas as nossas relações sociais. Se não abraçarmos a fé com vivacidade e firmeza, dificilmente saberemos dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

Seguindo a Cristo, que se encarnou em nossa história e nela permanece vivo e ressuscitado, somos convidados a considerar mais de perto nossos compromissos sociais e fazer valer a civilização do amor, na qual a paz seja fruto da justiça e a caridade seja o caminho que una a humanidade inteira nas veredas da salvação. 

Redação Deus Conosco

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (18/10/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, fazei-nos instrumentos de um mundo novo, onde vivamos com dignidade, sem pobreza e divisão, um mundo de irmãos. Ouvi o clamor de vosso povo.

 

1. Dai-nos uma fé ativa, capaz de transformar em gestos concretos de solidariedade o que falamos e o que acreditamos. Humildes, nós vos pedimos:

- Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

 

2. Enviai-nos vosso Espírito Santificador, para que sejamos testemunhas da vossa misericórdia, principalmente em favor dos feridos da sociedade. Humildes, nós vos pedimos:

- Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

 

3. Continuai amparando e protegendo aos que são perseguidos por causa do compromisso com vossa Palavra. Humildes, nós vos pedimos:

- Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

 

4. Guardai, em vosso amor, o Santo Padre, o Papa, e vossa Igreja, para que sejam sinais vivos e presentes de vosso Reino. Humildes, nós vos pedimos:

- Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

 

5. Abençoai todas as iniciativas das Comunidades Eclesiais Missionárias que recordam que a vida de cada batizado é uma missão. Humildes, nós vos pedimos:

- Eis-me aqui, Senhor, envia-me!

 

6. Outras intenções...

 

Acolhei, Senhor, nossas preces e, por vossa bondade, socorrei-nos, pois somos todos precisados de vosso auxílio. Isso vos pedimos, por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil