07/10/2018

Ano do Laicato: "Sal da terra e Luz do mundo" (Mt 5,13-14)

27º Domingo do Tempo Comum

"O amor será sempre indissolúvel!"

 

 

O amor sincero, tanto do homem como da mulher, é parte do amor de Deus, que é eterno. Por isso, entre um homem e uma mulher, o amor é indissolúvel! O amor sincero não envelhece, mas amadurece, torna-se adulto, autêntico. Assim, ele cresce e se renova a cada dia. É ele que faz superar as dificuldades, pois o amor tem a força de Deus. Quem não faz a experiência do amor adulto e sincero, não pode também condená-lo. É por amor e no amor que agora também celebramos nossa fé em Comunidade.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O coração humano brando e humilde acolhe a Palavra do Senhor, que vem nos mostrar que nossa vocação é para o amor e a vida. A dureza, a indiferença e a autossuficiência não aceitam a liberdade verdadeira que o amor nos impõe. A simplicidade da criança nos dá um grande ensinamento. 

 

 

1ª Leitura - Gn 2,18-24

Leitura do Livro do Gênesis:

O Senhor Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe uma auxiliar semelhante a ele". Então o Senhor Deus formou da terra todos os animais selvagens e todas as aves do céu, e trouxe-os a Adão para ver como os chamaria; todo o ser vivo teria o nome que Adão lhe desse. E Adão deu nome a todos os animais domésticos, a todas as aves do céu e a todos os animais selvagens; mas Adão não encontrou uma auxiliar semelhante a ele.

Então o Senhor Deus fez cair um sono profundo sobre Adão. Quando este adormeceu, tirou-lhe uma das costelas e fechou o lugar com carne. Depois, da costela tirada de Adão, o Senhor Deus formou a mulher e conduziu-a a Adão.

E Adão exclamou: "Desta vez, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada 'mulher' porque foi tirada do homem". Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e eles serão uma só carne.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 127

O Senhor te abençoe de Sião, cada dia de tua vida.

 

Feliz és tu se temes o Senhor e trilhas seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos hás de viver, serás feliz, tudo irá bem! 

 

A tua esposa é uma videira bem fecunda no coração da tua casa; os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa.

 

Será assim abençoado todo homem que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião, cada dia de tua vida.

 

Para que vejas prosperar Jerusalém, e os filhos dos teus filhos. Ó Senhor, que venha a paz a Israel, que venha a paz ao vosso povo!

 

 

2ª Leitura - Hb 2,9-11

Leitura da Carta aos Hebreus:

Irmãos: Jesus, a quem Deus fez pouco menor do que os anjos, nós o vemos coroado de glória e honra, por ter sofrido a morte. Sim, pela graça de Deus em favor de todos, ele provou a morte. Convinha de fato que aquele, por quem e para quem todas as coisas existem, e que desejou conduzir muitos filhos à glória, levasse o iniciador da salvação deles à consumação, por meio de sofrimentos. Pois tanto Jesus, o Santificador, quanto os santificados, são descendentes do mesmo ancestral; por esta razão, ele não se envergonha de os chamar irmãos.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 10,2-16

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher. Jesus perguntou: "O que Moisés vos ordenou?"

Os fariseus responderam: "Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la". Jesus então disse: "Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu este mandamento. No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!"

Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto.

Jesus respondeu: "Quem se divorciar de sua mulher e se casar com outra, cometerá adultério contra primeira. E se a mulher se divorciar de seu marido e se casar com outro, cometerá adultério". Depois disso, traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: "Deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o Reino de Deus é dos que são como elas. Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele". Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O fio condutor das leituras deste domingo é a vida em família. Na sua Encíclica Amoris Laetitia, o papa Francisco ressalta as dificuldades da vida familiar nestes tempos que hoje vivemos. Por isso, assim diz o papa Francisco, é muito importante conversarmos sobre as relações que sustentam uma família.

Na Primeira Leitura, Deus mostra que a solidão e o fechamento das pessoas em si mesmas não são bons para o ser humano. "Não é bom que o ser humano esteja sozinho!" Deus, então, cria uma segunda pessoa; uma pessoa que quebre a solidão humana e permita o surgimento de relações. Tudo começa com o casal. Na confiança e na abertura mútuas, esse casal faz com que surjam novas vidas. Se o ser humano permanecesse em sua solidão, não surgiria a vida. O texto ensina que Deus não criou apenas o homem. Deus criou o casal, como ressalta Jesus: "Nunca leste que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher? (cf. Mt 19,4)". Todo casal, vivendo o amor familiar, tem a capacidade de gerar a vida. A família é o caminho escolhido por Deus, onde se desenrola a História da Salvação.

A vida do casal se desenrola em meio a grandes desafios e ameaças. Entre eles estão o individualismo e o egoísmo. É o que Jesus chama de "dureza de coração". Esse sentimento mata o amor. Mata justamente o sentimento que deveria ser a força que sustenta a vida de um casal. Quando morre o amor, surgem as soluções humanas e legais, como o libelo do divórcio, dado pela lei de Moisés.

Jesus busca reconduzir o casamento ao seu sentido original: uma aliança entre duas pessoas que se amam e estão dispostas a construir a vida juntos. Essa aliança exige gestos de ruptura e de riscos. O texto fala que ambos devem romper com os esquemas familiares, deixar pai e mãe, e se arriscarem em construir uma nova família. Esse projeto de ruptura e risco é abençoado por Deus.

Portanto, o que Deus uniu, que ninguém interfira nem queira destruir. Mas ambos, tanto o marido quanto a mulher, são responsáveis pela manutenção dessa relação. E, como lembra o Salmo de Meditação, eles devem levar em conta os filhos que surgem de seu relacionamento. Vale a pena notar que, após a conversa sobre o divórcio, Jesus acolhe as crianças que são levadas até ele.

De fato, o lado mais trágico, em qualquer processo de separação, são a guarda e a manutenção dos filhos. As crianças são o lado mais fraco e desprezado quando os pais se separam. Jesus lembra que Deus sempre estará do lado mais fraco e vulnerável.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Derramai sobre nós, Senhor Deus, vossa misericórdia, e iluminados por vossa verdade dai-nos seguir em vosso Reino. Acolhei, Senhor Deus, nossos rogos.

 

1. Olhai com bondade para vossa Igreja, fazei-a crescer na esperança e que ela seja, de fato, sinal de vosso Reino, nós vos pedimos confiantes.

- Ajudai-nos, Senhor, a crescer em vosso amor!

 

2. Conduzi a Comunidade cristã na força de vosso amor, e assim ela seja aberta e acolhedora dos necessitados e abandonados, nós vos pedimos confiantes.

- Ajudai-nos, Senhor, a crescer em vosso amor!

 

3. Confortai com vossa misericórdia as famílias e os casais, para que possam vencer as dificuldades e se alegrarem em vossa graça,nós vos pedimos confiantes.

- Ajudai-nos, Senhor, a crescer em vosso amor!

 

4. Iluminai o coração da juventude para que saiba escolher o que lhe dá a verdadeira vida, a liberdade e a  paz, nós vos pedimos confiantes.

- Ajudai-nos, Senhor, a crescer em vosso amor!

 

5. Dai-nos discernimento no exercício da cidadania para que através do voto consciente escolhamos nossos representantes governamentais, nós vos pedimos confiantes.

- Ajudai-nos, Senhor, a crescer em vosso amor!

 

6. Outras intenções...

 

Infundi, Senhor Deus e Pai, em nosso coração vosso amor, que nos torna capazes de viver na verdadeira liberdade e em vosso Filho Jesus, que convosco vive e reina para sempre.

Amém.

 

 

Oração pela vida 

(Dia do Nascituro)

Nós vos louvamos, Senhor, Deus da vida. Bendito sejais porque nos criastes por amor. Vossas mãos nos modelaram desde o ventre materno.

- Nós vos agradecemos por nossos pais, nossa família e por todas as pessoas que cuidam da vida humana, desde o início até o fim.

Em vós somos, vivemos e existimos. Abençoai todos e todas que zelam pela vida humana e a promovem.

- Abençoai as gestantes e todos os profissionais da saúde.

Dai às pessoas e às famílias o pão de cada dia, a luz da fé e o amor fraterno.

- Nossa Senhora Aparecida, intercedei por nossos nascituros, nossas crianças, nossos jovens, nossos adultos e nossos idosos, para que tenham vida plena em Jesus, que ofereceu sua vida em favor de todos.

Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil