11/10/2020

28º Domingo do Tempo Comum

 

 

     Todo domingo às 10h00

 

 

 

A Palavra do Senhor nos mostra que nossa redenção será copiosa, abundante, igual a um banquete de iguarias ou uma festa de casamento com muita fartura. Mas para participar desses momentos de redenção precisamos ouvir o chamado de Deus, responder imediatamente e estar convictos de que vale a pena seguir os ensinamentos que nos trazem a plena alegria. Participar da Eucaristia é participar do banquete eterno do amor. 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O Reino de Deus é um banquete, para o qual somos convidados, bastando para isso usar as vestes da conversão, do amor e da solidariedade, da justiça e da paz.  

 

 

1ª Leitura - Is 25,6-10a

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

O Senhor dos exércitos dará neste monte, para todos os povos, um banquete de ricas iguarias, regado com vinho puro, servido de pratos deliciosos e dos mais finos vinhos. Ele removerá, neste monte, a ponta da cadeia que ligava todos os povos, a teia em que tinha envolvido todas as nações.

O Senhor Deus eliminará para sempre a morte e enxugará as lágrimas de todas as faces e acabará com a desonra do seu povo em toda a terra; o Senhor o disse. Naquele dia, se dirá: "Este é o nosso Deus, esperamos nele, até que nos salvou; este é o Senhor, nele temos confiado; vamos alegrar-nos e exultar por nos ter salvo". E a mão do Senhor repousará sobre este monte.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 22

Na casa do Senhor habitarei, eternamente.

 

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Pelas águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

 

Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra de seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei; estais comigo com bastão e com cajado; eles me dão a segurança!

 

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

 

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e na casa do Senhor habitarei pelos tempos infinitos.  

 

 

2ª Leitura - Fl 4,12-14.19-20

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:

Irmãos: Sei viver na miséria e sei viver na abundância. Eu aprendi o segredo de viver em toda e qualquer situação, estando farto ou passando fome, tendo de sobra ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me dá força. No entanto, fizestes bem em compartilhar as minhas dificuldades.

O meu Deus proverá esplendidamente com sua riqueza a todas as vossas necessidades, em Cristo Jesus. Ao nosso Deus e Pai a glória pelos séculos dos séculos. Amém. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 22,1-14

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus voltou a falar em parábolas aos sumos sacerdotes e aos anciãos do povo, dizendo: "O Reino dos Céus é como a história do rei que preparou a festa de casamento do seu filho. E mandou os seus empregados para chamar os convidados para a festa, mas estes não quiseram ir. O rei mandou outros empregados, dizendo: 'Dizei aos convidados: já preparei o banquete, os bois e os animais cevados já foram abatidos e tudo está pronto. Vinde para a festa!'

Mas os convidados não deram a menor atenção: um foi para o seu campo, outro para os seus negócios, outros agarraram os empregados, bateram neles e os mataram. O rei ficou indignado e mandou suas tropas para matar aqueles assassinos e incendiar a cidade deles. Em seguida, o rei disse aos empregados: 'A festa de casamento está pronta, mas os convidados não foram dignos dela. Portanto, ide até as encruzilhadas dos caminhos e convidai para a festa todos os que encontrardes'.

Então os empregados saíram pelos caminhos e reuniram todos os que encontraram, maus e bons. E a sala da festa ficou cheia de convidados. Quando o rei entrou para ver os convidados, observou aí um homem que não estava usando traje de festa e perguntou-lhe: 'Amigo, como entraste aqui sem o traje de festa?' Mas o homem nada respondeu.

Então o rei disse aos que serviam: 'Amarrai os pés e as mãos desse homem e jogai-o fora, na escuridão! Aí haverá choro e ranger de dentes'. Porque muitos são chamados, e poucos são escolhidos".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

No banquete do Deus da vida somos todos irmãos

A liturgia da palavra deste domingo coloca-nos em torno do banquete do Deus da vida. Isaías profetisa que o cumprimento das promessas divinas e a consequente alegria em plenitude para o povo acontecerá num banquete. A refeição abundante é imagem da Salvação de Deus que sacia o ser humano no profundo de seu ser, dando-lhe vigor e força, esperança e vida nova.

Paulo faz a experiência de viver a abundância do amor de Deus mesmo nas dificuldades. O apóstolo nos ensina que a confiança que temos no Senhor não pode ser vivida ao sabor das situações oscilantes do cotidiano. Seja na abundância, seja na miséria, é sempre a fé viva em Deus que fortifica o coração fiel para dar testemunho da boa nova do Evangelho.

Tal atitude de abertura e perseverança no amor de Cristo requer um processo de conversão profunda para acolher, em todo tempo e circunstância, Cristo Jesus, o Senhor de nossa vida. Compreendendo assim nossa fé, poderemos alargar nossos laços de fraternidade para nos mantermos sempre firmes na fé e fortes na esperança. 

Todos são convidados para o banquete da vida

Jesus continua fazendo comparações para tornar mais compreensível o Reino de Deus. Aqui também a imagem do banquete permeia a narração. Porém, Jesus toca num ponto crítico e delicado ao falar daqueles que renunciaram o convite para a festa da vida por coisas passageiras. São aqueles que não acolhem sua proposta transformadora de vida. Não conseguem ver que o reino chegou e exige conversão para nele entrar e ser feliz. Se olhamos bem, essa não é uma realidade somente do tempo de Jesus, mas também de nossos dias. Quantos rejeitam os valores anunciados por Jesus: perdão, compaixão, solidariedade, fraternidade, justiça, paz...

Jesus também fala dos que entram na festa, mas para ela não se preparam. Aqui a parábola se refere aos que até aceitam o convite, mas querem apenas tirar proveito para si próprios. As vestes inadequadas podem ser traduzidas por atitudes que não condizem com a proposta de Jesus. Esses não entram no dinamismo do reino da vida doada que salva e liberta. Aqui cada um de nós temos de nos examinar diante de Cristo e dos irmãos e pensar seriamente como estamos vivendo a fé enquanto convidados para a festa no reino da vida.

O convite é feito a todos, bons e maus. Todos somos convidados não só a entrar no reino, mas a deixar que o reino entre em nosso coração e nos transforme desde o mais profundo de nosso ser. 

Redação Deus Conosco

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (11/10/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Deus nos convoca para participarmos do Banquete da Vida. Unidos pela Palavra e com o coração orante, a Ele clamemos, dizendo:

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

1. Fortalecei vossos Missionários e inspirai o santo padre, o Papa, em sua missão de promover na Igreja a unidade, a paz e a concórdia, nós vos rogamos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

2. Ajudai nossa Comunidade a caminhar na vossa verdade, e que ela, participando do Banquete Eucarístico, aproxime-se cada dia mais de vosso Reino, nós vos rogamos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

3. Guardai nossas famílias, e que elas saibam se alegrar nas horas abençoadas, e serem solidárias com os necessitados, partilhando o pão e a vida com os mais pobres e excluídos, nós vos rogamos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

4. Abençoai os que se dedicam com amor ao vosso Reino, e todos os que, nos Ministérios eclesiais, evangelizam com palavras, gestos e atitudes solidárias, fraternas e pacíficas, nós vos rogamos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

5. Fazei que, a exemplo de Maria, a Mãe Aparecida, estejamos sempre disponíveis para fazer de nossa vida uma missão na defesa e no cuidado das crianças e de pessoas mais necessitadas, nós vos rogamos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, missionários de vosso amor!

 

6. Outras intenções...

 

Ó Pai, acolhei nossos rogos, e esperamos que nos socorrais com vossa bondade, por meio de vosso Filho Jesus, que convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil