29/09/2019

26º Domingo do Tempo Comum

Dia Nacional da Bíblia

"A misericórdia nos dá a vida e nos salva!"

 

 

A conquista do Reino do Céu acontece já na terra, pois o Reino pertence àqueles que praticam a Palavra e agem com misericórdia. Esses vencem o mal, superam o abismo que separa ricos e pobres e denunciam o acúmulo nas mãos de poucos diante da pobreza que humilha a incontáveis Lázaros em nossos dias. No Dia da Bíblia, que o Senhor nos toque profundamente pela força transformadora de sua Palavra e nos converta.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

A Palavra de Deus plenifica nossa vida e alimenta nossa alma, traz contentamento ao nosso ser, porque é o próprio Deus quem fala conosco. Como discípulos, acolhamos de ouvidos atentos e coração aberto o que o Senhor vai nos falar.  

 

 

1ª Leitura - Am 6,1a.4-7

Leitura da Profecia de Amós:

Assim diz o Senhor todo-poderoso: Ai dos que vivem despreocupadamente em Sião, os que se sentem seguros nas alturas de Samaria! Os que dormem em camas de marfim, deitam-se em almofadas, comendo cordeiros do rebanho e novilhos do seu gado; os que cantam ao som das harpas, ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais; os que bebem vinho em taças, e se perfumam com os mais finos unguentos e não se preocupam com a ruína de José.

Por isso, eles irão agora para o desterro, na primeira fila, e o bando dos gozadores será desfeito.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 145

Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

 

O Senhor é fiel para sempre, faz justiça aos que são oprimidos; ele dá alimento aos famintos, é o Senhor quem liberta os cativos.

 

O Senhor abre os olhos aos cegos, o Senhor faz erguer-se o caído; o Senhor ama aquele que é justo. É o Senhor quem protege o estrangeiro.

 

Ele ampara a viúva e o órfão, mas confunde os caminhos dos maus. O Senhor reinará para sempre! Ó Sião, o teu Deus reinará para sempre e por todos os séculos! 

 

 

2ª Leitura - 1Tm 6,11-16

Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo:

Tu, que és um homem de Deus, foge das coisas perversas, procura a justiça, a piedade, a fé, o amor, a firmeza, a mansidão.

Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e pela qual fizeste tua nobre profissão de fé diante de muitas testemunhas.

Diante de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu o bom testemunho da verdade perante Pôncio Pilatos, eu te ordeno: guarda o teu mandato íntegro e sem mancha até a manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

Esta manifestação será feita no tempo oportuno pelo bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, o único que possui a imortalidade e que habita numa luz inacessível, que nenhum homem viu, nem pode ver. A ele, honra e poder eterno. Amém. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 16,19-31

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus: "Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e fazia festas esplêndidas todos os dias.

Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão, à porta do rico. Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico. E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas.

Quando o pobre morreu, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão, com Lázaro ao seu lado.

Então gritou: 'Pai Abraão, tem piedade de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas'.

Mas Abraão respondeu: 'Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. E, além disso, há um grande abismo entre nós; por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós'.

O rico insistiu: 'Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai, porque eu tenho cinco irmãos. Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento'.

Mas Abraão respondeu: 'Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!'

O rico insistiu: 'Não, Pai Abraão, mas se um dos mortos for até eles, certamente vão se converter'.

Mas Abraão lhe disse: 'Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas, eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos'".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O fio condutor das leituras deste domingo é a justiça do Reino de Deus. O profeta Amós, com a força do Espírito, denuncia a injustiça presente na sociedade de seu tempo. Pois não existe justiça numa sociedade onde uns morrem de indigestão de tanto que comem e bebem, enquanto a maioria do povo morre de fome. Contra esses esbanjadores consumistas, que vivem da exploração do povo pobre, virá o castigo divino.

O Salmo de meditação canta a vitória da justiça no reinado de Deus. O grande sinal dessa vitória é a alegria dos pobres saciados em suas necessidades mais básicas. O Salmo mostra como a justiça de Deus se manifesta nas ações libertadoras em favor dos oprimidos, famintos, prisioneiros, cegos, encurvados, estrangeiros, órfãos e viúvas. Deus manifesta sua presença lá onde a vida humana está ameaçada.

Na parábola de hoje, Jesus denuncia o contraste e a imensa distância que existe entre o rico e o pobre. O quadro construído por Jesus é muito realista. Existe um rico que dá banquetes todos os dias. Naquela sociedade, três coisas indicavam riqueza: casa suntuosa, roupas finas e banquetes diários. Na soleira da porta do rico está o pobre. A distância entre a mesa do rico e o lugar do pobre é pequena. Só uma porta fechada os separa. Mas o abismo que existe entre a situação do rico e a situação do pobre é imenso! Sentado em sua mesa, o rico nem percebe o pobre.

Esse pobre tem nome. Chama-se Lázaro. Na língua de Jesus, Lázaro significa "aquele a quem Deus socorre". De fato, na parábola, o pobre é socorrido e acolhido por Deus. Lázaro não fala nem pede nada. Sua única companhia são os cães que lambem suas feridas. Ele morre e vai para junto de Deus apenas por ser um mendigo pobre. Já o rico morre e vai para o inferno, onde sofre e suplica, intercedendo por seu irmãos. 

Esse rico sem nome representa todas as pessoas que vivem às custas dos outros, sem se lembrar de ninguém. Só lembram quando já é tarde. Levado para o seio de Abraão, Lázaro representa o grito calado dos pobres do tempo de Jesus, do tempo de Lucas, de todos os tempos. Esse grito calado do pobre é a perfeita oração porque certamente chega a Deus. 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (29/09/2019)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, a vós dirigimos nossos rogos, pois há ricos esbanjadores e pobres Lázaros entre nós. Pela força de vossa Palavra, fazei-nos solidários e misericordiosos, superando as diferenças e os abismos que nos separam. Confiantes, nós vos pedimos.

 

1. Senhor, dai-nos hoje a graça de acolher vossa Palavra e que sejamos por ela transformados, nós vos pedimos.

- Senhor, atendei-nos e salvai-nos!

 

2. Dai, Senhor, inspiração e discernimento de espírito ao Santo Padre, o Papa, aos bispos e a todos que têm a bonita missão de coordenar e animar a vossa Igreja, nós vos pedimos.

- Senhor, atendei-nos e salvai-nos!

 

3. Fazei com que os cristãos sejam fiéis promotores da vida e da dignidade de cada criatura humana, nós vos pedimos.

- Senhor, atendei-nos e salvai-nos!

 

4. Senhor, que vossa Palavra desperte em nós o espírito missionário e nos faça testemunhas e comunicadores do vosso Reino, nós vos pedimos.

- Senhor, atendei-nos e salvai-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Acolhei, Senhor Deus, nossas súplicas e por vossa infinita misericórdia socorrei-nos sem cessar com vosso amor e bondade. Isso vos pedimos, por Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil