04/10/2020

27º Domingo do Tempo Comum

 

 

Deus é generoso e fiel em seu amor. Convida-nos a pertencer à sua Vinha. Ele nos confia sua Vinha, que é seu Reino, e espera que dela cuidemos para que produza muitos e bons frutos. Diante de seu convite não é possível ficar indiferente. Trazemos para esta celebração aqueles que se dedicam tão vigorosamente ao anúncio do Evangelho, Palavra de Salvação para a humanidade inteira. 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Rejeitar o que Deus nos oferece, como sua Vinha, é querer sobrepor-se ao que é divino. Cuidar de sua Vinha é cuidar de nossa salvação.

 

 

1ª Leitura - Is 5,1-7

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Vou cantar para o meu amado o cântico da vinha de um amigo meu: Um amigo meu possuía uma vinha em fértil encosta. Cercou-a, limpou-a de pedras, plantou videiras escolhidas, edificou uma torre no meio e construiu um lagar; esperava que ela produzisse uvas boas, mas produziu uvas selvagens.

Agora, habitantes de Jerusalém e cidadãos de Judá, julgai a minha situação e a de minha vinha. O que poderia eu ter feito a mais por minha vinha e não fiz? Eu contava com uvas de verdade, mas por que produziu ela uvas selvagens? Pois agora vou mostrar-vos o que farei com minha vinha: vou desmanchar a cerca, e ela será devastada; vou derrubar o muro, e ela será pisoteada. Vou deixá-la inculta e selvagem: ela não será podada nem lavrada, espinhos e sarças tomarão conta dela; não deixarei as nuvens derramar a chuva sobre ela. Pois bem, a vinha do Senhor dos exércitos é a casa de Israel, e o povo de Judá, sua dileta plantação; eu esperava deles frutos de justiça — e eis a injustiça; esperava obras de bondade — e eis a iniquidade.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 79

A vinha do Senhor é a casa de Israel!

 

Arrancastes do Egito esta videira, e expulsastes as nações para plantá-la; até o mar se estenderam seus sarmentos, até o rio os seus rebentos se espalharam.

 

Por que razão vós destruístes sua cerca, para que todos os passantes a vindimem, o javali da mata virgem a devaste, e os animais do descampado nela pastem?

 

Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a!

 

Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

 

E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! Convertei-nos, ó Senhor Deus do universo, e sobre nós iluminai a vossa face! Se voltardes para nós, seremos salvos!  

 

 

2ª Leitura - Fl 4,6-9

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:

Irmãos: Não vos inquieteis com coisa alguma, mas apresentai as vossas necessidades a Deus, em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças. E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento, guardará os vossos corações e pensamentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, ocupai-vos com tudo o que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, honroso, tudo o que é virtude ou de qualquer modo mereça louvor.

Praticai o que aprendestes e recebestes de mim, ou que de mim vistes e ouvistes. Assim, o Deus da paz estará convosco. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 21,33-43

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus disse aos sumos sacerdotes e aos anciãos do povo: "Escutai esta outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, fez nela um lagar para esmagar as uvas, e construiu uma torre de guarda. Depois, arrendou-a a vinhateiros, e viajou para o estrangeiro. Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos. Os vinhateiros, porém, agarraram os empregados, espancaram a um, mataram a outro, e ao terceiro apedrejaram. O proprietário mandou de novo outros empregados, em maior número do que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. Finalmente, o proprietário enviou-lhes o seu filho, pensando: 'Ao meu filho eles vão respeitar'.

Os vinhateiros, porém, ao verem o filho, disseram entre si: 'Este é o herdeiro. Vinde, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança!' Então agarraram o filho, jogaram-no para fora da vinha e o mataram. Pois bem, quando o dono da vinha voltar, o que fará com esses vinhateiros?"

Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: "Com certeza mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entregarão os frutos no tempo certo".

Então Jesus lhes disse: "Vós nunca lestes nas Escrituras: 'A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isto foi feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos?' Por isso, eu vos digo: o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Os frutos que Deus espera

Abrimos o mês missionário e o mês do rosário. Festejamos Maria, aquela que nos deu o Bendito Fruto, Jesus. Agradeçamos ao Senhor porque também nós, com Maria de Nazaré, somos chamados à missão!

A liturgia da Palavra nos apresenta duas vinhas, ambas se referindo à infidelidade do povo em colaborar com o plano salvífico de Deus. Na primeira leitura, fica evidente a confiança que Deus deposita em seu povo. Por isso, age com zelo e cuida com carinho. Porém, a infidelidade do povo se mostra ao não corresponder com seus frutos bons, mas com uvas selvagens. Com essa imagem, o profeta denuncia as atitudes injustas e violentas de Israel. Esqueceram-se da aliança com Deus e deixaram-se levar pela ganância, produzindo injustiças e iniquidades.

A vinha da parábola do Evangelho traz a mesma temática. Jesus leva seus interlocutores a perceberem que Deus confiou sua vinha a eles, ou seja, os elegeu e os colocou como luz das nações. Mas também mostra que eles se desviaram a tal ponto da meta proposta que chegaram a ser aqueles que buscavam apagar a luz de Deus que brilhava nos profetas e até mesmo no próprio Filho de Deus encarnado. E Jesus, então, afirma que a predileção de Deus pelo povo se embasa na fidelidade à aliança. Todo povo que disser sim e viver intensamente a proposta do Reino de Deus, esse é seu povo predileto, pois produz os frutos de paz, justiça e amor, ou seja, os frutos que Deus espera.

Os frutos da fraternidade

Quando se fala em missão, vêm à tona tantos desafios, especialmente aqueles presentes na evangelização das grandes cidades. A violência gera insegurança, a situação econômica gera desemprego e pobreza, os condomínios se fecham hermeticamente... Como viver a vocação missionária nesses ambientes? Paulo, a seu tempo, enfrentou também a realidade dos centros urbanos. Sua orientação é clara. Primeiramente, é preciso ter serenidade e não se inquietar. Mas como? Aí vem a segunda orientação: confiar a Deus e a Ele apresentar as necessidades, bem como as ações de graças! Assim o coração se abre à paz que vem de Deus, a qual nos permite olhar o mundo com mais serenidade e visar os frutos bons que ali podem surgir.

Enquanto Comunidade cristã, somos todos chamados a nos ocupar com a verdade, o respeito, a justiça, a pureza, a amabilidade, a honra. Eis os frutos que a fraternidade construída em Cristo pode dar ao mundo de hoje. No impulso da "Igreja em saída", insistentemente proposta pelo Papa Francisco, empenhemo-nos na missão, manifestando assim a fidelidade à vocação batismal que recebemos.

Redação Deus Conosco

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (04/10/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, em vossa compaixão escutai nosso clamor, pois, confiantes, elevamos a vós nossos clamores, dizendo:

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

1. Inspirai a ação missionária de vossa Igreja, e que ela seja vossa Vinha fecunda, produzindo frutos de vosso Reino, nós vos pedimos, Senhor.

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

2. Iluminai os ministros e líderes de nossas Comunidades, para que sejam fiéis à vossa Vinha e servidores humildes e compassivos, nós vos pedimos, Senhor.

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

3. Olhai com bondade para os dedicados missionários e missionárias, que labutam no anúncio do Evangelho, e dai-lhes a força necessária, nós vos pedimos, Senhor.

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

4. Despertai entre nós e na sociedade, o respeito à vida e a consciência de seu valor irrevogável, nós vos pedimos, Senhor.

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

5. Sustentai na fé e no testemunho evangélico os missionários e missionárias além-fronteiras, para que sua presença produza frutos de acolhida ao Reino de Deus, nós vos pedimos, Senhor.

- Senhor, fazei-nos missionários de vosso Reino!

 

6. Outras intenções...

 

Acolhei-nos, Senhor Deus, e dai-nos a graça de perseverar em vosso Reino, atentos aos sinais de vossa salvação aqui e agora. Vós, que viveis e reinais para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil