19/09/2021

25º Domingo do Tempo Comum

 

 

 

Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor. Se clamar por mim em qualquer provação eu o ouvirei e serei seu Deus para sempre. 

 

 

O Senhor nos convida a relativizar a "sabedoria do mundo" e escolher a "sabedoria de Deus", pois, somente a "sabedoria de Deus" nos possibilitará o acesso à vida plena, à felicidade sem-fim. Jesus nos mostra que a grandeza da sociedade não está na riqueza e nem no poder, mas no serviço sem pretensão e interesse. Esse serviço faz com que cada um de nós nos tornemos servos uns dos outros, pois para Deus não somos maiores ou menores, somos irmãos. Será que apostamos nessa verdade?  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Jesus revela-se o Messias e como realizará sua missão. Será rejeitado e deverá morrer na cruz para depois ressuscitar.

 

 

1ª Leitura - Sb 2,12.17-20

Leitura do Livro da Sabedoria:

Os ímpios dizem: "Armemos ciladas ao justo, porque sua presença nos incomoda: ele se opõe ao nosso modo de agir, repreende em nós as transgressões da lei e nos reprova as faltas contra a nossa disciplina.

Vejamos, pois, se é verdade o que ele diz, e comprovemos o que vai acontecer com ele. Se, de fato, o justo é 'filho de Deus', Deus o defenderá e o livrará das mãos dos seus inimigos.

Vamos pô-lo à prova com ofensas e torturas, para ver a sua serenidade e provar a sua paciência; vamos condená-lo à morte vergonhosa, porque, de acordo com suas palavras, virá alguém em seu socorro".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 53

É o Senhor quem sustenta minha vida!

 

Por vosso nome, salvai-me, Senhor; e dai-me a vossa justiça! Ó meu Deus, atendei minha prece e escutai as palavras que eu digo!

 

Pois contra mim orgulhosos se insurgem, e violentos perseguem-me a vida; não há lugar para Deus aos seus olhos. Quem me protege e me ampara é meu Deus; é o Senhor quem sustenta minha vida!

 

Quero ofertar-vos o meu sacrifício, de coração e com muita alegria; quero louvar, ó Senhor, vosso nome, quero cantar vosso nome que é bom!

 

 

2ª Leitura - Tg 3,16-4,3

Leitura da Carta de São Tiago:

Caríssimos: Onde há inveja e rivalidade, aí estão as desordens e toda espécie de obras más.

Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento.

O fruto da justiça é semeado na paz para aqueles que promovem a paz. De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós?

Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 9,30-37

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: "O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará".

Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar.

Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: "O que discutíeis pelo caminho?"

Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior.

Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: "Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!"

Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles e, abraçando-a, disse: "Quem acolher em meu nome uma destas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Acolhendo os pequenos

Jesus desconstrói aquilo que pode danificar a pureza de seu ensinamento. Surpreende os discípulos em suas pretensões. Estavam ainda na visão de um reino messiânico igual aos outros. Já começavam a escolher os lugares para definir quem é o maior. No momento em que Jesus instruía justamente sobre o que iria acontecer com Ele, eles falam a linguagem do poder. Isso é comum na Igreja. Falamos uma língua e Jesus outra. O Evangelho não nos penetra.

Colocando-se como o menor que serve a todos, convida a que descubram a sabedoria de ser os servidores de todos: "Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último e aquele que serve a todos" (Mc 9,35). Ser o maior é servir os pequeninos. Ao acolher os pequenos por causa de Jesus, estará o acolhendo. E mais: quem recebe Jesus, recebe Aquele que o enviou, o Pai.

Nascente das maldades

Quando não seguimos os passos na vida cristã, acontece o contrário. Tiago diz que as guerras e lutas entre as pessoas nascem do coração onde guerreiam nossos prazeres; nascem da cobiça e da avidez. Até nossa oração perde a eficácia porque queremos receber de Deus para gastar com nossos prazeres. Diferentemente acontece com a sabedoria que é "pacífica, indulgente, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, isenta de parcialidade e de hipocrisia" (Tg 3,17). O coração pacificado pelo serviço fraterno aos frágeis produz um fruto de justiça semeado por quem promove a paz. O mal põe raízes profundas que escravizam e geram sempre maiores maldades.

O injusto e o justo

Jesus anuncia aos discípulos seu caminho de Paixão (Mc 9,31). Esse momento sem explicação humana corresponde ao que o Livro da Sabedoria fala sobre o justo e o injusto. A presença do justo, o santo, provoca a consciência das pessoas que querem abafar o mal que possuem. Assim se dá a perseguição ao Filho de Deus. Essas palavras são repetidas pelos judeus quando Jesus está na Cruz: "Se tu és o Filho de Deus, desce da cruz" (Mt 27,40). O justo confia em Deus, mas não cobra milagres. Milagre não converte. Só o amor pode mudar o coração humano.  

Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R.

Deus Conosco Semanário Litúrgico - Ed.Santuário (19/09/2021)

 

 

Preces da Comunidade

Na força do Espírito Santo, que nos anima e nos fortalece com sua presença consoladora, elevemos nossas súplicas ao Pai de bondade, e digamos:

- Conduzi-nos, Senhor, no caminho da vida!

 

1. Iluminai vossa Igreja, Comunidade em saída, para que seja no mundo sinal de solidariedade entre os povos, de compromisso com o diálogo e a justiça, nós vos suplicamos, Senhor.

- Conduzi-nos, Senhor, no caminho da vida!

 

2. Inspirai aqueles que têm responsabilidades em nossas Comunidades eclesiais, para que sejam servos humildes e fiéis à vossa Palavra, nós vos suplicamos, Senhor.

- Conduzi-nos, Senhor, no caminho da vida!

 

3. Guiai nossa vida conforme vossos desígnios e assim sejamos vossos servidores fiéis, nós vos suplicamos, Senhor.

- Conduzi-nos, Senhor, no caminho da vida!

 

4. Neste mês dedicado à Sagrada Escritura, ajudai-nos a abrir nosso coração e nossos ouvidos para acolher e praticar vossa Palavra, nós vos suplicamos, Senhor.

- Conduzi-nos, Senhor, no caminho da vida!

 

5. Outras intenções...

 

Senhor, Deus de misericórdia, ensinai-nos a viver conforme vossa vontade e ter os mesmos sentimentos de Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil