20/09/2020

25º Domingo do Tempo Comum

 

 

Na Vinha do Senhor há trabalho para todos e Ele está sempre pronto a nos contratar. Trabalhar na Vinha do Senhor significa dedicar tempo e esforço para que frutifiquem as boas obras em favor dos mais necessitados. Quando assumimos essa tarefa fazemos por amor e não para receber elogios. Quem busca reconhecimento ainda não entendeu o que significa ser um operário do Evangelho. É o Senhor quem nos recompensa em seu amor.  

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Aquele que se coloca ao lado do Senhor aprende a fazer sua vontade e ajuda no crescimento da obra da salvação. Viver em Cristo é nossa maior recompensa.  

 

 

1ª Leitura - Is 55,6-9

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-o, enquanto ele está perto. Abandone o ímpio seu caminho, e o homem injusto, suas maquinações; volte para o Senhor, que terá piedade dele, volte para nosso Deus, que é generoso no perdão.

Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos, e vossos caminhos não são como os meus caminhos, diz o Senhor.

Estão meus caminhos tão acima dos vossos caminhos e meus pensamentos acima dos vossos pensamentos, quanto está o céu acima da terra.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 144

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

 

Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre. Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.

 

Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.

 

É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.   

 

 

2ª Leitura - Fl 1,20c-24.27a

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:

Irmãos: Cristo vai ser glorificado no meu corpo, seja pela minha vida, seja pela minha morte.

Pois, para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro. Entretanto, se o viver na carne significa que meu trabalho será frutuoso, neste caso, não sei o que escolher.

Sinto-me atraído para os dois lados: tenho o desejo de partir, para estar com Cristo — o que para mim seria de longe o melhor — mas para vós é mais necessário que eu continue minha vida neste mundo. Só uma coisa importa: vivei à altura do Evangelho de Cristo. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 20,1-16a

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos:

"O Reino dos Céus é como a história do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia, e os mandou para a vinha.

Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo, viu outros que estavam na praça, desocupados, e lhes disse: 'Ide também vós para a minha vinha! E eu vos pagarei o que for justo'. E eles foram.

O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa.

Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse: 'Por que estais aí o dia inteiro desocupados?' Eles responderam: 'Porque ninguém nos contratou'. O patrão lhes disse: 'Ide vós também para a minha vinha'.

Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: 'Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros!'

Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde e cada um recebeu uma moeda de prata. Em seguida vieram os que foram contratados primeiro, e pensavam que iam receber mais. Porém, cada um deles também recebeu uma moeda de prata.

Ao receberem o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: 'Estes últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro'.

Então o patrão disse a um deles: 'Amigo, eu não fui injusto contigo. Não combinamos uma moeda de prata? Toma o que é teu e volta para casa! Eu quero dar a este que foi contratado por último o mesmo que dei a ti. Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?'

Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

A justiça dos homens

Não foram poucas as ocasiões na história em que a humanidade quis ocupar o lugar de Deus. Conforme o livro do Gênesis, foi justamente por causa de sua pretensão de possuir o que cabia a Deus que o ser humano afastou-se de sua vocação original, sendo expulso do paraíso (Gn 3,1ss.).

Esquecer que somos pó e que também os nossos julgamentos estarão sempre marcados pela precariedade própria de nossa condição humana, representa um grande erro, muitas vezes com consequências desastrosas para nós mesmos e para nossos semelhantes. Por maior que seja nosso esforço em sermos justos, e esse esforço nunca pode faltar na vida dos cristãos, nossa justiça ainda será limitada pelos recursos do tempo e espaço em que vivemos.

A justiça de Deus

As leituras deste domingo recordam-nos que Deus nos surpreende constantemente com suas opções, tantas vezes fugindo do modo como pensamos e agimos. "Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos", diz o Senhor (Is 55,8).

De fato, uma das características mais marcantes das manifestações de Deus, tanto no Antigo como no Novo Testamento, está no jeito inesperado com que Ele alcança as pessoas, escolhendo os mais frágeis e desprezíveis deste mundo para confundir os que se acham fortes. É assim que podemos entender a inversão anunciada por Jesus no final do Evangelho de hoje: "os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos" (Mt 20,16).

O amor é o critério de Deus

A justiça de Deus não contrasta com a justiça dos homens, mas a transcende pelo amor. É a partir dessa constatação que alcançaremos compreender a parábola dos trabalhadores convidados para a vinha.

Nela Jesus nos revela que a bondade e o amor de Deus são dons totalmente gratuitos. Ele não nos ama apenas para retribuir nosso amor, nem conforme o tempo em que gastamos servindo-o. Foi essa experiência do amor como dom gratuito que fez Paulo deixar um belíssimo testemunho de perseverança para nós. Ele viveu unicamente para Deus, não em função de recompensas por méritos pessoais.

Que todos aceitemos de todo o coração o convite que hoje o Senhor nos faz para trabalhar na sua vinha.

Pe. Fábio Evaristo R. Silva, C.Ss.R.

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (20/09/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, vossa Palavra nos guia, fazei-nos compreender o que vós esperais, e acolhei nossos rogos que, humildemente, vos apresentamos.

 

1. Senhor, que a Igreja seja sempre a feliz portadora de vossa Palavra, e vossos Ministros ordenados, padres, bispos e diáconos sejam verdadeiros proclamadores do Evangelho, nós vos clamamos.

- Senhor, vossa Palavra nos traga a luz e a paz!

 

2. Fazei com que nossas Comunidades cristãs aprendam a valorizar cada dia mais a força de vossa Palavra e que em nossas celebrações e em nosso coração ela tenha um lugar muito especial, nós vos clamamos.

- Senhor, vossa Palavra nos traga a luz e a paz!

 

3. Senhor, que nas famílias, nos pequenos grupos de reflexão, nos encontros da Comunidade e em nossa vida, haja lugar para vossa Palavra e assim alcancemos a vida e a salvação, nós vos clamamos.

- Senhor, vossa Palavra nos traga a luz e a paz!

 

4. Ajudai-nos a viver intensamente vosso Reino, e iluminados por vossa Palavra os cristãos sejam sal, luz, fermento e santidade no meio de nossa sociedade e nas decisões de nossa pátria, nós vos clamamos.

- Senhor, vossa Palavra nos traga a luz e a paz!

 

5. Outras intenções...

 

Senhor Deus, que vossa graça abra nosso coração, e trabalhando na fidelidade e na vivência da caridade, construamos sem cessar vosso Reino entre nós. Vós que sois Deus, e viveis e reinais para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil