06/09/2020

23º Domingo do Tempo Comum

 

 

A vocação do cristão é testemunhar a força transformadora de Cristo. No amor somos corresponsáveis uns pelos outros. Devemos sempre alertar o irmão para que esteja no bom caminho, colocando em prática os ensinamentos divinos. O maior mandamento, sabemos, é o amor. Portanto, caminhemos para a vida de santidade e de comunhão com Deus e com os irmãos.  

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Na Comunidade dos discípulos de Jesus, a reconciliação deve ser visível e experimentada por todos. É no amor que cumprimos a Lei do Senhor.  

 

 

1ª Leitura - Ez 33,7-9

Leitura da Profecia de Ezequiel:

Assim diz o Senhor: "Quanto a ti, filho do homem, eu te estabeleci como vigia para a casa de Israel. Logo que ouvires alguma palavra de minha boca, tu os deves advertir em meu nome. Se eu disser ao ímpio que ele vai morrer, e tu não lhe falares, advertindo-o a respeito de sua conduta, o ímpio vai morrer por própria culpa, mas eu te pedirei contas da sua morte. Mas, se advertires o ímpio a respeito de sua conduta, para que se arrependa, e ele não se arrepender, o ímpio morrerá por própria culpa, porém, tu salvarás tua vida".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 94

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

 

Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!

 

Vinde, adoremos e prostremos-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

 

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: "Não fecheis os corações como em Meriba, como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras".    

 

 

2ª Leitura - Rm 13,8-10

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: não fiqueis devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo, pois quem ama o próximo está cumprindo a Lei.

De fato, os mandamentos: "Não cometerás adultério", "não matarás", "não roubarás", "não cobiçarás", e qualquer outro mandamento, se resumem neste: "Amarás ao teu próximo como a ti mesmo". O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 18,15-20

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: "Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão. Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um pecador público.

Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.

De novo, eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos céus. Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Se o teu irmão pecar...

A Palavra de Deus lembra-nos sobre nossa responsabilidade para com as pessoas com as quais convivemos em casa, no trabalho, na vizinhança, nos círculos de amizade, na Igreja. Amar um irmão significa ajudá-lo a crescer em todos os níveis e querer concretamente a sua "libertação". Como membros de uma mesma família, não é possível que sejamos coniventes com a perdição e a infelicidade de nossos semelhantes.

Quem não se compadece e nem age em favor do progresso humano do próximo compromete a própria vida. É justamente por este motivo que em nosso Batismo fomos constituídos por Deus "um povo de profetas": tal como o profeta Ezequiel (Ez 33,7-9), precisamos estar de prontidão para atuar prudentemente quando vemos nosso próximo enveredar-se pelo caminho da morte.

 

A correção fraterna

O Evangelho de hoje oferece-nos um itinerário para o exercício de nossa responsabilidade frente ao nosso próximo. Não se trata de uma receita a ser seguida cegamente em todas as situações. O mais importante a ser observado no processo de correção fraterna apresentado é o princípio de caridade e de respeito aos que estão em pecado. Aquele que é encontrado no erro não pode ser humilhado pela exposição de suas misérias. O amor, como diz Paulo, "não faz mal contra o próximo" (Rm 13,10).

Todavia, também não podemos deixar de exortar os que caíram, pois o amor não quer o mal para os outros. Infelizmente, tantas vezes, por medo ou frieza de coração, fazemos opção pela omissão, pois é mais cômodo "lavar as nossas mãos", como fez Pilatos. Pior ainda é quando preferimos criticar e condenar os que erram, julgando-nos superiores a eles.

 

Misericórdia em primeiro lugar

No processo de correção fraterna que encontramos no Evangelho são oferecidas diversas oportunidades para ajudar o irmão na superação de seu erro, todas elas sempre com participação de alguém ou da própria Comunidade.

Isso ajuda-nos a lembrar que nenhum caminho de conversão pode ser feito sozinho: precisamos uns dos outros para superar nossos limites. Jesus nos ensina que quando estamos reunidos em seu nome, isto é, quando buscamos zelar pelo bem uns dos outros, ele estará presente no meio de nós (Mt 18,20).

 

Pe. Fábio Evaristo R. Silva, C.Ss.R.

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (06/09/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Ó Pai, por vossa misericórdia, olhai para vossos filhos que na sua fragilidade, confiantes, suplicam vosso amparo. Atendei nossas preces e socorrei-nos em nossas necessidades. Humildes, nós vos suplicamos:

- Seja feita, Senhor, vossa vontade!

 

1. Olhai com misericórdia para nós e dai-nos a força de que precisamos para promover a vida entre os sofredores, e o perdão e a paz aos que estão distantes, nós vos pedimos, Senhor.

- Seja feita, Senhor, vossa vontade!

 

2. Abençoai os Ministros de vosso amor, para que possam repartir a esperança e o perdão, e assim as pessoas experimentem a verdadeira liberdade e a plenitude da vida, nós vos pedimos, Senhor.

- Seja feita, Senhor, vossa vontade!

 

3. Abri nosso coração para o amor e o auxílio fraterno, e cresça em nós a consciência da partilha e do cumprimento de vossa vontade, nós vos pedimos, Senhor.

- Seja feita, Senhor, vossa vontade!

 

4. Fazei-nos dóceis à vossa Palavra e assim ela ocupe o centro de nossa vida, de nossa família e Comunidade, nós vos pedimos, Senhor.

- Seja feita, Senhor, vossa vontade!

 

5. Outras intenções...

 

Deus nosso Pai, inclinai para nós vossa face e ouvi os pedidos que depositamos confiantes em vosso coração, fonte de amor e bondade. Atendei-nos, por Jesus Cristo vosso Filho e nosso irmão, que convosco vive e reina eternamente.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil