26/08/2018

Ano do Laicato: "Sal da terra e Luz do mundo" (Mt 5,13-14)

21º Domingo do Tempo Comum

"Tu tens palavras de vida eterna!"

 

 

Jesus quer a salvação de todos os homens e mulheres, e não apenas de muitos ou alguns somente. Seu amor misericordioso abarca a todos os povos e nações. O Reino que começa aqui na terra e alcança sua plenitude no céu, tem suas exigências. Nosso esforço precisa ser o de acolher e de se decidir diante da proposta de Jesus. Nada é fácil, mas se torna possível, e mesmo suave, com a graça de Deus, e em virtude de um amor que não prova ninguém além de suas próprias forças. 

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Todos somos chamados à pertença ao Reino, porém, depende de nossa conversão para acolher a verdade de Cristo. Ouvir o chamado de Cristo é dispor-se a viver sua Palavra libertadora e salvadora: "Ele tem palavras de vida eterna". 

 

 

1ª Leitura - Js 24,1-2a.15-17.18b

Leitura do Livro de Josué:

Naqueles dias, Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel e convocou os anciãos, os chefes, os juízes e os magistrados, que se apresentaram diante de Deus.

Então Josué falou a todo o povo: "Se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses, a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor".

E o povo respondeu, dizendo: "Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses estranhos. Porque o Senhor, nosso Deus, ele mesmo é quem nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão. Foi ele quem realizou esses grandes prodígios diante de nossos olhos, e nos guardou por todos os caminhos por onde peregrinamos, e no meio de todos os povos pelos quais passamos. Portanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é o nosso Deus".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 33

Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor, que ouçam os humildes e se alegrem!

 

O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, e seu ouvido está atento ao seu chamado; mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança.

 

Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta. Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido.

 

Muitos males se abatem sobre os justos, mas o Senhor de todos eles os liberta. Mesmo os seus ossos ele os guarda e os protege, e nenhum deles haverá de se quebrar.

 

A malícia do iníquo leva à morte, e quem odeia o justo é castigado. Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, e castigado não será quem nele espera.

 

 

 

2ª Leitura - Ef 5,21-32

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: Vós que temeis a Cristo, sede solícitos uns para com os outros. As mulheres sejam submissas aos seus maridos como ao Senhor. Pois o marido é a cabeça da mulher, do mesmo modo que Cristo é a cabeça da Igreja, ele, o Salvador do seu Corpo. Mas, como a Igreja é solícita por Cristo, sejam as mulheres solícitas em tudo pelos seus maridos. Maridos, amai as vossas mulheres, como o Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. Ele quis assim torná-la santa, purificando-a com o banho da água unida à Palavra. Ele quis apresentá-la a si mesmo esplêndida, sem mancha nem ruga, nem defeito algum, mas santa e irrepreensível. Assim é que o marido deve amar a sua mulher, como ao seu próprio corpo. Aquele que ama a sua mulher ama-se a si mesmo.

Ninguém jamais odiou a sua própria carne. Ao contrário, alimenta-a e cerca-a de cuidados, como o Cristo faz com a sua Igreja; e nós somos membros do seu corpo!

Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne. Este mistério é grande, e eu o interpreto em relação a Cristo e à Igreja. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 6,60-69

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Naquele tempo, muitos dos discípulos de Jesus, que o escutaram, disseram: "Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?"

Sabendo que seus discípulos estavam murmurando por causa disso mesmo, Jesus perguntou: "Isto vos escandaliza? E quando virdes o Filho do Homem subindo para onde estava antes? O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada. As palavras que vos falei são espírito e vida. Mas entre vós há alguns que não creem". Jesus sabia, desde o início, quem eram os que não tinham fé e quem havia de entregá-lo. E acrescentou: "É por isso que vos disse: ninguém pode vir a mim, a não ser que lhe seja concedido pelo Pai".

A partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele. Então, Jesus disse aos doze: "Vós também vos quereis ir embora?" Simão Pedro respondeu: "A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

As leituras da celebração de hoje querem reforçar em nós a opção que fizemos pelo projeto de Deus. Na Primeira Leitura, o juiz Josué, estando para se aposentar, convoca todo o povo. Ele pede que todos façam uma escolha e assumam um compromisso. Em sua fala, Josué coloca o povo diante de dois projetos. De um lado, o projeto de dominação e de opressão, simbolizado pelos ídolos falsos e mortos. Do outro lado, o projeto libertador de Deus, que os tirou do Egito, da casa da escravidão. Diante de todo o povo, Josué reafirma sua fé no Deus libertador. O povo, seguindo seu exemplo, reafirma também sua fé: "Nós serviremos ao Senhor, pois ele é o nosso Deus". Na opção de fé não pode haver dúvida e nem meio-termo. Ou o povo se empenha na construção de uma Comunidade justa e fraterna, ou volta para o sistema do faraó, que gera a escravidão e a morte. 

Com seus ensinamentos sobre a Eucaristia também Jesus coloca seus seguidores e seguidoras diante de uma escolha e de um compromisso. Assumir o projeto de Jesus implica em comer a sua carne e beber o seu sangue. O texto do Evangelho de hoje nos mostra que essas palavras de Jesus não foram bem acolhidas por seus discípulos. Muitos acharam que Jesus estava indo longe demais. É que essa catequese de Jesus não combinava com as antigas tradições e celebrações da Páscoa. Foi difícil para muitos aceitar que a antiga Páscoa estava ultrapassada. Por isso, muita gente se desligou da Comunidade e abandonou os ensinamentos de Jesus. Mas Jesus foi bem claro. Mesmo com o risco de ficar sozinho, Ele se volta para os Doze, o seu grupo mais íntimo, e os provoca: "Vocês também querem ir embora?" Jesus tem clareza absoluta de suas palavras.

Mesmo perdendo seus discípulos, Ele não muda seu ensinamento sobre a Eucaristia. Simão Pedro, então, renova sua fé nas palavras de Jesus: "Só tu tens palavras de vida eterna!" As palavras de Jesus são Espírito e Vida. Muitas vezes nós também temos dificuldades com os ensinamentos de Jesus e ficamos em dúvida diante de escolhas e compromissos a serem assumidos por causa da opção que fizemos pelo projeto de Deus. Somente com a luz do Espírito Santo é que podemos entender o sentido pleno de tudo o que Jesus nos ensinou.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Com confiança elevemos nossos rogos ao Senhor, nosso Deus, unidos a todos que trabalham incansavelmente pela construção do Reino, e digamos:

Fazei-nos, Senhor, construtores de vosso Reino!

 

1. Guardai aos Ministros de vossa Igreja, para que respondendo com alegria ao vosso chamado, possam com renovado ardor missionário anunciar ao mundo a vida nova em Cristo, roguemos.

Fazei-nos, Senhor, construtores de vosso Reino!

 

2. Purificai a consciência dos governantes, para que tenham a justiça e a ética sempre em conta, e assim governem promovendo uma vida digna para todos, roguemos.

Fazei-nos, Senhor, construtores de vosso Reino!

 

3. Fortalecei na fé nossa Comunidades, para que sejam lugares de vivência cristã, de labuta em favor da vida e da promoção da paz, roguemos.

Fazei-nos, Senhor, construtores de vosso Reino!

 

4. Abençoai com a força de vosso amor, os Catequistas e os cristãos Leigos, para que sejam fortes na vivência batismal e testemunhal do Evangelho, roguemos.

Fazei-nos, Senhor, construtores de vosso Reino!

 

5. Outras intenções...

 

Ó Pai celestial, em vossas mãos divinas colocamos nossos pedidos, pois confiamos plenamente em vossa bondade e misericórdia. Isto vos pedimos, por Cristo, nosso Senhor.

Amém.

 

 

Oração do Laicato

Ó Trindade Santíssima, amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como vossa "imagem terrena": Nós vos agradecemos pelos dons e carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de vosso povo realizam como "Igreja em saída", para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, em vista de vosso Reino.

Nós vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora.

Nós vos pedimos que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família e no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o planeta, nossa "casa comum".

Nós vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres.

Isto vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil