05/08/2018

Ano do Laicato: "Sal da terra e Luz do mundo" (Mt 5,13-14)

18º Domingo do Tempo Comum

"Quem vem a mim não terá mais fome!"

 

 

A vocação de todo batizado consiste em livremente viver como Jesus e amar como Ele ama. Isto significa assumir o Evangelho de maneira gratuita e generosa, sem esperar nenhuma recompensa ou reconhecimento. Para assim vivermos, nosso alimento precisa ser o próprio Jesus e seu amor por nós: é com Ele e para Ele que devemos viver cada instante de nossas vidas.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Tal como aconteceu outrora no deserto, onde Deus alimentou seu povo com o maná, hoje, Ele nos alimenta com sua própria Palavra. É ela que nos sustenta em nossa caminhada e nos ajuda a alcançar a verdadeira vida trazida por Jesus, o pão descido do céu. 

 

 

1ª Leitura - Êx 16,2-4.12-15

Leitura do Livro do Êxodo:

Naqueles dias, a comunidade dos filhos de Israel pôs-se a murmurar contra Moisés e Aarão, no deserto, dizendo: "Quem dera que tivéssemos morrido pela mão do Senhor no Egito, quando nos sentávamos junto às panelas de carne e comíamos pão com fartura! Por que nos trouxestes a este deserto para matar de fome a toda esta gente?"

O Senhor disse a Moisés: "Eis que farei chover para vós o pão do céu. O povo sairá diariamente e só recolherá a porção de cada dia, a fim de que eu o ponha à prova, para ver se anda ou não na minha lei. Eu ouvi as murmurações dos filhos de Israel. Dize-lhes, pois: 'Ao anoitecer, comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão. Assim sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus'".

Com efeito, à tarde, veio um bando de codornizes e cobriu o acampamento; e, pela manhã, formou-se uma camada de orvalho ao redor do acampamento. Quando se evaporou o orvalho que caíra, apareceu na superfície do deserto uma coisa miúda, em forma de grãos, fina como a geada sobre a terra.

Vendo aquilo, os filhos de Israel disseram entre si: "Que é isto?" Porque não sabiam o que era. Moisés respondeu-lhes: "Isto é o pão que o Senhor vos deu como alimento".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 77

O Senhor deu a comer o pão do céu.

 

Tudo aquilo que ouvimos e aprendemos, e transmitiram para nós os nossos pais, não haveremos de ocultar a nossos filhos, mas à nova geração nós contaremos: as grandezas do Senhor e seu poder.

 

Ordenou, então, às nuvens lá dos céus, e as comportas das alturas fez abrir; fez chover-lhes o maná e alimentou-os, e lhes deu para comer o pão do céu.

 

O homem se nutriu do pão dos anjos, e mandou-lhes alimento em abundância; conduziu-os para a Terra prometida, para o Monte que seu braço conquistou.

 

 

2ª Leitura - Ef 4,17.20-24

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: Eis, pois, o que eu digo e atesto no Senhor: não continueis a viver como vivem os pagãos, cuja inteligência os leva para o nada.

Quanto a vós, não é assim que aprendestes de Cristo, se ao menos foi bem ele que ouvistes falar, e se é ele que vos foi ensinado, em conformidade com a verdade que está em Jesus. Renunciando à vossa existência passada, despojai-vos do homem velho, que se corrompe sob o efeito das paixões enganadoras, e renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 6,24-35

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Naquele tempo, quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum. Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: "Rabi, quando chegaste aqui?" Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do Homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo". Então perguntaram: "Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?"

Jesus respondeu: "A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou".

Eles perguntaram: "Que sinal realizas, para que possamos ver e crer em ti? Que obra fazes? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está na Escritura: 'Pão do céu deu-lhes a comer'".

Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade vos digo, não foi Moisés quem vos deu o pão que veio do céu. É meu Pai que vos dá o verdadeiro pão do céu. Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo".

Então pediram: "Senhor, dá-nos sempre desse pão". Jesus lhes disse: "Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

As leituras deste domingo formam um conjunto catequético sobre a Ceia Eucarística. O Evangelho de hoje faz parte do discurso de Jesus sobre o Pão da Vida (Jo 6,22-71). Jesus explica seus ensinamentos sobre a Eucaristia, partindo de uma comparação com o maná.

Na Primeira Leitura vemos que o objetivo divino, ao oferecer o maná, não era matar a fome do povo. Deus, ao anunciar a Moisés que mandaria chover pão, diz claramente que está submetendo o povo a um teste: "para que eu os experimente e saiba se seguem ou não a minha Lei". Nesse teste, cada pessoa só pode pegar para si apenas tanto quanto lhe é necessário para seu sustento diário. Nem mais, nem menos! Aqui se revela a justiça divina, simbolizada no maná. A cada um será dado conforme a sua necessidade.

No Evangelho, Jesus vai trazer um ensinamento novo com o mesmo símbolo do pão. O Pão Eucarístico é sinal de algo mais elevado e mais profundo. Não se trata apenas do sustento necessário para o corpo e para a vida. Esse objetivo Jesus já tinha alcançado ao multiplicar o pão e saciar a multidão (Jo 6,1-12). Mas agora Jesus se dirige aos seus seguidores e seguidoras. Ele os convida a dar um passo adiante. Além de trabalhar pelo pão perecível, devem trabalhar também pelo Pão imperecível. Esse Pão é que garante a vida eterna.

Jesus ensina que o pão dado por Moisés não era o pão verdadeiro, pois não garantia a vida eterna. Todos os que comeram daquele pão morreram na longa travessia pelo deserto. O verdadeiro pão, aquele que vem de Deus, é o pão que vence a morte e garante a vida. Diante desse ensinamento de Jesus, todos nós pedimos: "Senhor dá-nos sempre deste pão!" E Jesus responde claramente: "Eu sou o pão da vida!" Comer o pão oferecido por Jesus é o mesmo que crer nele e aceitar sua proposta de vida. E essa proposta é fazer a vontade do Pai do céu. Esse é o alimento verdadeiro, que sustenta a vida da pessoa fiel e lhe dá um rumo.

Na Segunda Leitura, a Carta aos Efésios pede que nos deixemos renovar pelo Espírito. Esse é o objetivo da catequese eucarística de Jesus. Ao associar o maná com o pão da Eucaristia, Jesus quer que seus seguidores rompam com os esquemas do passado. Para Ele, fidelidade ao passado não significa fechar-se nas verdades antigas e recusar a novidade trazida pelo próprio Deus. Fidelidade ao passado é aceitar o novo que chega, através da ação do Espírito, como fruto da semente plantada antes.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Irmãos e irmãs, recorramos com confiança ao Senhor, que dá vida ao mundo, pedindo-lhe que nos alimente com sua Palavra e seu amor. Certos de seu auxílio divino, dirijamos-lhe nossos rogos.

 

1 - Inspirai, Senhor, e iluminai a vossa Igreja, fortalecendo-a em sua missão de anunciar e testemunhar a vossa Palavra no mundo, nós vos pedimos.

Alimentai, Senhor, vosso povo com vosso amor!

 

2 - Fortalecei, Senhor, os nossos sacerdotes que dedicam suas vidas ao anúncio do Evangelho, comunicando a vossa esperança e a vossa paz às pessoas, nós vos pedimos.

Alimentai, Senhor, vosso povo com vosso amor!

 

3. Suscitai, Senhor, em nossas famílias e nossa Comunidade, novas vocações sacerdotais que sejam generosas na caridade e no zelo apostólico, nós vos pedimos.

Alimentai, Senhor, vosso povo com vosso amor!

 

Alimentai, Senhor, com vosso amor, as pessoas que se encontram desanimadas e enfraquecidas em meio às lutas e desafios que a vida lhes apresenta, nós vos pedimos.

Alimentai, Senhor, vosso povo com vosso amor!

 

Senhor Deus, só vós podeis, verdadeiramente, saciar nossa fome e nossa sede com vosso amor. Concedei-nos o que hoje vos pedimos e jamais nos deixeis faltar vossa paz. Por Cristo, nosso Senhor.

Amém.

 

 

Oração do Laicato

Ó Trindade Santíssima, amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como vossa "imagem terrena": Nós vos agradecemos pelos dons e carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de vosso povo realizam como "Igreja em saída", para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, em vista de vosso Reino.

Nós vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora.

Nós vos pedimos que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família e no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o planeta, nossa "casa comum".

Nós vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres.

Isto vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil