25/07/2021

17º Domingo do Tempo Comum

 

 

 

Deus habita em  seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo.

(Sl 67,6-7.36)

 

 

Jesus sentindo a necessidade da multidão, alimenta as pessoas com a Palavra e com o pão partilhado. Ele liberta as pessoas por inteiro: cura os doentes, sacia a multidão faminta e desafia a fé dos discípulos. Sua proposta é simples e ao mesmo tempo revolucionária: Quando há partilha, há vida, há fartura. Todos nós temos algo a ser partilhado! Que esta Eucaristia nos ensine e nos comprometa com a força transformadora do amor. 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Quem escuta a Palavra de Deus e se deixa guiar por ela, aprende o valor da partilha e se faz solidário na Comunidade.  

 

 

1ª Leitura - 2Rs 4,42-44

Leitura do Segundo Livro dos Reis:

Naqueles dias, veio também um homem de Baal-Salisa, trazendo em seu alforje para Eliseu, o homem de Deus, pães dos primeiros frutos da terra: eram vinte pães de cevada e trigo novo. E Eliseu disse: "Dá ao povo para que coma".

Mas o seu servo respondeu-lhe: "Como vou distribuir tão pouco para cem pessoas?" Eliseu disse outra vez: "Dá ao povo para que coma; pois assim diz o Senhor: 'Comerão e ainda sobrará'".

O homem distribuiu e ainda sobrou, conforme a palavra do Senhor.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 144

Saciai os vossos filhos, ó Senhor!

 

Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!

 

Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam e vós lhes dais no tempo certo o alimento; vós abris a vossa mão prodigamente e saciais todo ser vivo com fartura.

 

É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.  

 

 

2ª Leitura - Ef 4,1-6

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: Eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes; com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor.

Aplicai-vos a guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados.

Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 6,1-15

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Naquele tempo, Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com os seus discípulos.

Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.

Levantando os olhos e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: "Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?"

Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer.

Filipe respondeu: "Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um".

Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: "Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isto para tanta gente?"

Jesus disse: "Fazei sentar as pessoas". Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.

Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes.

Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: "Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!"

Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido.

Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: "Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo".

Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

A partilha gera a fartura e a vida!

Escutando a Palavra: A Palavra vem nos ensinar a partilhar. Partilhar é próprio de quem ama. O profeta Eliseu repartiu o pão com aqueles que estavam junto dele. Este é um gesto muito profundo de amor que gera a partilha. Manifesta a vontade divina em "saciar a fome do mundo", e nos indica o jeito de Deus, que vem ao encontro da humanidade para saciar-lhe a sede de vida e de liberdade.

Jesus também vai multiplicar os pães e saciar a fome da multidão. O Cristo não aprova a situação de fome gerada pela não partilha, reprova a ganância dos egoístas e autossuficientes.

Por isso, também, Paulo vem nos lembrar a necessidade da humildade, da mansidão e da paciência, pois essas atitudes se opõem ao egoísmo, ao orgulho e à autossuficiência.

Meditando a Palavra: A Palavra vem nos ensinar que somente por meio da partilha é que podemos nos realizar verdadeiramente. Sem amor, sem doação, sem entrega sincera de vida, não é possível se realizar. Só em Cristo está a verdadeira realização humana.

Aprendemos da Palavra dessa Liturgia, que é impossível resolver a partir da dimensão econômica, o que é para ser feito com amor, com partilha, com compaixão. "Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um". Sim, não dá mesmo, pois só o amor gera multiplicação, partilha e alegria.

A Palavra é exigente, mas nos mostra o verdadeiro caminho do Reino, que só pode existir a partir da partilha. Por isso, não é fácil para o egoísta e autossuficiente aceitar a proposta de Jesus. Mas, cada um é responsável por sua escolha.

Seguindo a Palavra: Jesus é Deus e se revestiu de nossa humanidade para morar entre nós. Mais ainda, para morar em nós. Se o sistema econômico baseado no capital, no lucro, reparte apenas as migalhas, Jesus vem nos dizer que o seguimento dele é partilha, a ponto de sobrar o que foi repartido.

Jesus nos convida a fazer da vida uma partilha, todos os dias. "Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?" Talvez a ideia de ajuntar para depois repartir está presente em nós. E ainda não acreditamos no pouco, nos "cinco pães e dois peixes". Jesus mostrou que quando há amor e compaixão, tudo se torna diferente. O pouco se tornou fartura, a ponto de sobrarem 12 cestos. Todo o povo de Deus pode ser saciado pela verdade e pela presença do Senhor.

Jamais nos afastemos dessa fonte eterna de vida e de salvação, o Cristo, o Senhor.       

Redação "Deus Conosco"

Deus Conosco Semanário Litúrgico - Ed.Santuário (25/07/2021)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, "quando repartimos os bens e a vida, não falta nada a ninguém". Dai-nos, hoje, um coração solidário capaz de amar e partilhar. Confiantes, vos pedimos:

- Senhor, ouvi-nos e transformai-nos!

 

1. Dai ao Santo Padre, o Papa, os dons necessários para desempenhar sua missão com coragem, alegria e eficácia em favor de toda a humanidade, nós vos pedimos.

- Senhor, ouvi-nos e transformai-nos!

 

2. Despertai em nós os sentimentos de compaixão e de solidariedade, principalmente com os mais necessitados, nós vos pedimos.

- Senhor, ouvi-nos e transformai-nos!

 

3. Libertai-nos da tentação da ganância, da indiferença e do egoísmo, buscando somente nossos interesses pessoais, sem nos voltarmos aos irmãos e irmãs, nós vos pedimos.

- Senhor, ouvi-nos e transformai-nos!

 

4. Tornai-nos capazes de acolher e praticar a verdade ensinada por vosso Filho, ajudando o mundo e a nós mesmos termos mais vida, nós vos pedimos.

- Senhor, ouvi-nos e transformai-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Pai de bondade, acolhei nossos pedidos que humildemente vos apresentamos e em vosso desígnio benevolente socorrei-nos em nossas necessidades. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil