06/08/2017

Ano Mariano Nacional - N. Sra. Aparecida - 300 anos de bênçãos

Vocação à Vida Sacerdotal

Transfiguração do Senhor

"Seu rosto brilhou como o sol!"

 

 

Jesus chamou Pedro, Tiago e João e subiu com eles no monte Tabor. Lá, transfigurou-se diante deles e suas vestes ficaram resplandecentes. O Pai mostrou-nos o que devemos fazer: "Este é o meu Filho, o Escolhido. Escutai o que ele diz". Viver a fé é viver do jeito que Cristo nos ensina a viver. É preciso ver sua face resplendente nos pobres e sofredores de nossos dias.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O próprio Jesus, ele mesmo, permanece vivo no meio de nós. Seus gestos e suas palavras revelam toda a força da ação de Deus em nossas vidas. Transfigura-se nele quem o ama e o serve com amor.  

 

 

1ª Leitura - Dn 7,9-10.13-14

Leitura da Profecia de Daniel:

Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um Ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como a lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos.

Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho do homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 96

Deus é Rei , é o Altíssimo, muito acima do universo.

 

Deus é Rei! Exulte a terra de alegria, e as ilhas numerosas rejubilem! Treva e nuvem o rodeiam no seu trono, que se apoia na justiça e no direito.

 

As montanhas se derretem como cera ante a face do Senhor de toda a terra; e assim proclama o céu sua justiça, todos os povos podem ver a sua glória.

 

Porque vós sois o altíssimo, Senhor, muito acima do universo que criastes, e de muito superais todos os deuses.

 

 

2ª Leitura - 2Pd 1,16-19

Leitura da Segunda Carta de São Pedro:

Caríssimos, não foi seguindo fábulas habilmente inventadas que vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, mas sim, por termos sido testemunhas oculares da sua majestade. Efetivamente, ele recebeu honra e glória da parte de Deus Pai, quando do seio da esplêndida glória se fez ouvir aquela voz que dizia: "Este é o meu Filho bem-amado, no qual ponho o meu bem-querer".

Esta voz, nós a ouvimos, vinda do céu, quando estávamos com ele no monte Santo. E assim se nos tornou ainda mais firme a palavra da profecia, que fazeis bem em ter diante dos olhos, como lâmpada que brilha em lugar escuro, até clarear o dia e levantar-se a estrela da manhã em vossos corações.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 17,1-9

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. Então Pedro tomou a palavra e disse: "Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias". Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: "Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!" Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. Jesus se aproximou, tocou neles e disse: "Levantai-vos, e não tenhais medo". Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: "Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

A festa da Transfiguração celebra antecipadamente a realidade futura e definitiva da Ressurreição de Jesus. Durante sua vida pública, com gestos e palavras, Jesus revelou-se um profeta, semelhante aos outros profetas do Antigo Testamento. Mas a vida e a prática desses outros profetas terminaram com a morte. Apenas suas palavras foram preservadas. O evangelho quer nos mostrar que a vida e a prática libertadora de Jesus não terminam com sua paixão e morte. O próprio Jesus, ele mesmo, permanece vivo no meio de nós. Seus gestos e suas palavras revelam toda a força da ação de Deus em nossas vidas. Embora chamando-se a si mesmo de o Filho do Homem, Jesus não é em tudo igual aos antigos profetas. Jesus é também o Messias, o Ungido de Deus para nos trazer a Palavra da Verdade. Ele veio nos revelar a presença do Reino de Deus entre nós. O salmo de hoje canta esta realeza de Deus que se torna realidade no meio de uma humanidade idólatra. Essa foi a missão de Jesus.

O livro de Daniel descreve a chegada deste novo e definitivo Reino, profundamente humano, substituindo os antigos reinos violentos e animalescos (cf Dn 7,3-8). Mostra o Ancião transferindo sua autoridade para alguém "semelhante a um filho de homem". Este "filho de homem", uma expressão que na língua deles significava simplesmente um ser humano, é o próprio Jesus. Aqui, ele nos é apresentado como o Salvador do povo que vivia oprimido pelas bestas feras dos reinos violentos e animalescos. Ao ler esta passagem de Daniel, associando-a a Jesus, a Comunidade cristã aponta para a origem divina do Cristo. É isso que nos mostra a leitura da segunda Carta de Pedro. Jesus não é um estranho, mas é o Filho que recebeu do Pai todo o poder. No episódio da Transfiguração essa filiação é mostrada de uma maneira única: a voz do próprio Deus confirma a autoridade de Jesus. Essa autoridade é única e insubstituível. Nenhum outro título expressa tão adequadamente o mistério que envolve a pessoa de Jesus. Jesus é o Filho! Ouvir a voz de Deus é colocar-se no seguimento do Filho. Esse mesmo Filho que, em sua obediência, revela a riqueza da sua filiação divina. Através dele nós também podemos dizer Abba - Pai!

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters  

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil