22/07/2018

Ano do Laicato: "Sal da terra e Luz do mundo" (Mt 5,13-14)

16º Domingo do Tempo Comum

"Teve compaixão da multidão!"

 

 

A compaixão é o sentimento fundamental do coração de Jesus. Ele partilha de nossas dores e nos faz companhia nos momentos de tristeza. Essa presença é simbolizada pela figura do pastor que tem amor por suas ovelhas. A liturgia de hoje é um convite pessoal e comunitário à busca dessa compaixão, bálsamo que podemos levar ao mundo ferido pelo descuido dos maus pastores. Ainda que caminhemos pelos vales da morte, ao nosso lado está aquele que nos redimiu pelo sangue derramado na cruz.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O profeta denuncia o desleixo dos maus pastores e anuncia o surgimento do verdadeiro Pastor, Jesus Cristo, que reunirá o rebanho pelo sangue a ser derramado na Cruz. O Bom Pastor vela sobre suas ovelhas e delas tem compaixão, e com elas caminha pela vida, favorecendo o bem e desviando-as do mau caminho. 

 

 

1ª Leitura - Jr 23,1-6

Leitura do Livro do profeta Jeremias:

"Ai dos pastores que deixam perder-se e dispersar-se o rebanho de minha pastagem, diz o Senhor! Deste modo, isto diz o Senhor, Deus de Israel, aos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes o meu rebanho, e o afugentastes e não cuidastes dele; eis que irei verificar isso entre vós e castigar a malícia de vossas ações, diz o Senhor. E eu reunirei o resto de minhas ovelhas de todos os países para onde foram expulsas, e as farei voltar a seus campos, e elas se reproduzirão e multiplicarão. Suscitarei para elas novos pastores que as apascentem; não sofrerão mais o medo e a angústia, nenhuma delas se perderá, diz o Senhor. Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei nascer um descendente de Davi; reinará como rei e será sábio, fará valer a justiça e a retidão na terra. Naqueles dias, Judá será salvo e Israel viverá tranquilo; este é o nome com que o chamarão: 'Senhor, nossa Justiça'".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 22

O Senhor é o pastor que me conduz; felicidade e todo bem hão de seguir-me!

 

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

 

Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei; estais comigo com bastão e com cajado; eles me dão a segurança!

 

Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; o meu cálice transborda.

 

Felicidade e todo bem hão de seguir-me por toda a minha vida; e na casa do Senhor habitarei pelos tempos infinitos.

 

 

2ª Leitura - Ef 2,13-18

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: Agora, em Jesus Cristo, vós, que outrora estáveis longe, vos tornastes próximos, pelo sangue de Cristo. Ele, de fato, é a nossa paz: do que era dividido, ele fez uma unidade. Em sua carne ele destruiu o muro de separação: a inimizade.

Ele aboliu a Lei com seus mandamentos e decretos. Ele quis, assim, a partir do judeu e do pagão, criar em si um só homem novo, estabelecendo a paz. Quis reconciliá-los com Deus, ambos em um só corpo, por meio da cruz; assim ele destruiu em si mesmo a inimizade. Ele veio anunciar a paz a vós, que estáveis longe, e a paz aos que estavam próximos. É graças a ele que uns e outros, em um só Espírito, temos acesso junto ao Pai.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 6,30-34

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, os apóstolos reuniram-se com Jesus e contaram tudo o que haviam feito e ensinado. Ele lhes disse: "Vinde sozinhos para um lugar deserto e descansai um pouco". Havia, de fato, tanta gente chegando e saindo que não tinham tempo nem para comer.

Então foram sozinhos, de barco, para um lugar deserto e afastado. Muitos os viram partir e reconheceram que eram eles. Saindo de todas as cidades, correram a pé, e chegaram lá antes deles. Ao desembarcar, Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor. Começou, pois, a ensinar-lhes muitas coisas.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O fio condutor da celebração de hoje é dado pelo Salmo de Meditação: O Senhor é meu Pastor. É o salmo mais rezado e conhecido de todo o Saltério. Nessa oração, a pessoa orante busca refúgio em Deus. Sua oração traz duas imagens fortes. A primeira imagem manifesta a confiança da ovelha no rumo dado pelo pastor. A segunda traz a segurança do hóspede na gentileza de seu hospedeiro. Assim como a ovelha é guiada e protegida pelo pastor, também nós devemos buscar em Deus as forças necessárias para continuar na caminhada. E assim como o hóspede é restaurado e defendido por seu hospedeiro, também nós devemos nos colocar totalmente sob a providência divina. Nossa verdadeira segurança está em Deus.

O Evangelho mostra Jesus pondo em prática aquilo que é rezado no Salmo. Ele é um bom hospedeiro para seus discípulos. Jesus se preocupa com o cansaço e o desgaste dos trabalhadores e trabalhadoras do Reino. A missão exige muito esforço e dedicação. Todos trabalham ativamente, acolhendo as pessoas que procuram conforto e segurança nos ensinamentos de Jesus. Há necessidade de tempo para atender os doentes e necessitados. Os discípulos não têm tempo nem para comer. Jesus então os convida para sair um pouco do trabalho e os leva para um lugar calmo e tranquilo. De vez em quando é necessário parar e se refazer. Os apóstolos são pessoas comuns, com os limites humanos. Assim como todos nós.

Mas o povo não lhes dá descanso. As pessoas querem continuar a ouvir e aprender de Jesus. Sabem que ele é um bom pastor. Suas palavras e seus ensinamentos trazem a todos a alegria e a paz. A multidão vai em busca de Jesus de maneira tão rápida, que chegou antes de Jesus lá no lugar deserto, para onde Jesus estava levando seus discípulos. Ao ver a multidão, Jesus sente enorme compaixão porque sabe das carências e necessidades dessas pessoas. Elas são como "ovelhas sem pastor". Não encontraram, até agora, quem as orientasse em suas buscas e angústias. Ora, havia muitos pastores na época de Jesus. Havia os sacerdotes, os escribas, os fariseus. A esses pastores, porém, cabe bem a denúncia feita pelo profeta Jeremias, na primeira leitura: Ai dos pastores que não cuidam do povo que lhes foi confiado! A segunda leitura lembra a preocupação do pastor de unir o rebanho. Paulo diz que em Jesus foi derrubado o muro da separação entre judeus e pagãos: "De dois povos fez um só!" Um só rebanho e um só pastor.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Vivendo a presença de Jesus que teve compaixão da multidão, rezemos pelos homens e mulheres abandonados no mundo de hoje, dizendo juntos: Senhor, Bom Pastor, tende compaixão de nós!

 

1. Guardai vossa Igreja missionária, que apoia e fortalece as Comunidades mais esquecidas e pobres, e que são verdadeira presença de Jesus Cristo entre os mais pobres, rezemos.

Senhor, Bom Pastor, tende compaixão de nós!

 

2. Dai vossa luz aos que labutam a favor dos moradores de rua, homens, mulheres e crianças, para que encontrem apoio entre os cristãos e instituições, e possam recuperar a dignidade e o convívio social, rezemos.

Senhor, Bom Pastor, tende compaixão de nós!

 

3. Favorecei aos que buscam sua dignidade e seus direitos, e que nem sempre recebem o apoio de que necessitam, rezemos.

Senhor, Bom Pastor, tende compaixão de nós!

 

4. Ajudai nossas famílias e inspirai-as no cuidado com os idosos e doentes, para que sejam amparados e muito amados, e jamais desrespeitados, rezemos.

Senhor, Bom Pastor, tende compaixão de nós!

 

Ó Pai Santo, vós conheceis nossas necessidades, acolhei nossas súplicas e enchei nossos corações da mesma compaixão de vosso Filho, e fazei-nos perseverantes no serviço da vida e da esperança. Por Cristo, nosso Senhor.

Amém.

 

 

Oração do Laicato

Ó Trindade Santíssima, amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como vossa "imagem terrena": Nós vos agradecemos pelos dons e carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de vosso povo realizam como "Igreja em saída", para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, em vista de vosso Reino.

Nós vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora.

Nós vos pedimos que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família e no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o planeta, nossa "casa comum".

Nós vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres.

Isto vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil