15/07/2018

Ano do Laicato: "Sal da terra e Luz do mundo" (Mt 5,13-14)

15º Domingo do Tempo Comum

"Ele os enviou em missão!"

 

 

O cristão é chamado e enviado a uma missão profética na Igreja e no mundo. É escolhido e enviado por Deus para falar e agir em nome dele e, por isso, não teme as ameaças dos homens. Jesus chama os Doze primeiros discípulos e os reveste com poder para expulsar demônios e curar os enfermos. A Eucaristia nos reveste do mesmo espírito vencedor para continuarmos a mesma missão libertadora de Jesus.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Em Deus, a força do bem vence sempre a força do mal. Por isso, Ele chama e envia homens e mulheres corajosos com poder de expulsar demônios e libertar as pessoas de toda maldade. Quem acolhe essa Palavra e a põe em prática, torna-se vencedor, missionário, anunciador da verdade libertadora.

 

 

1ª Leitura - Am 7,12-15

Leitura da Profecia de Amós:

Naqueles dias, disse Amasias, sacerdote de Betel, a Amós: "Vidente, sai e procura refúgio em Judá, onde possas ganhar teu pão e exercer a profecia; mas em Betel não deverás insistir em profetizar, porque aí fica o santuário do rei e a corte do reino".

Respondeu Amós a Amasias, dizendo: "Não sou profeta nem sou filho de profeta; sou pastor de gado e cultivo sicômoros. O Senhor chamou-me, quando eu tangia o rebanho, e o Senhor me disse: 'Vai profetizar para Israel, meu povo'".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 84

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, e a vossa salvação nos concedei!

 

Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.

 

A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus.

 

O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.

 

 

2ª Leitura - Ef 1,3-10

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos abençoou com toda a bênção do seu Espírito em virtude de nossa união com Cristo, no céu. Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob o seu olhar, no amor. Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por intermédio de Jesus Cristo, conforme a decisão da sua vontade, para o louvor da sua glória e da graça com que nos cumulou no seu Bem-amado.

Pelo seu sangue, nós somos libertados. Nele, as nossas faltas são perdoadas, segundo a riqueza da sua graça, que Deus derramou profusamente sobre nós, abrindo-nos a toda a sabedoria e prudência. Ele nos fez conhecer o mistério da sua vontade, o desígnio benevolente que de antemão determinou em si mesmo, para levar à plenitude o tempo estabelecido e recapitular, em Cristo, o universo inteiro: tudo o que está nos céus e tudo o que está sobre a terra.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 6,7-13

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, Jesus chamou os doze, e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros.

Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas.

E Jesus disse ainda: "Quando entrardes numa casa, ficai ali até vossa partida. Se em algum lugar não vos receberem, nem quiserem vos escutar, quando sairdes, sacudi a poeira dos pés, como testemunho contra eles!" Então os doze partiram e pregaram que todos se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam numerosos doentes, ungindo-os com óleo.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O tema central das leituras da celebração deste domingo é a vocação que recebemos de Deus com suas exigências e seus frutos na vida das pessoas. A primeira leitura narra a vocação profética de Amós. Diante da violenta reação do sacerdote Amasias, Amós se apresenta como uma pessoa simples e comum, sem nada de extraordinário. Apenas um camponês, criador de gado e cultivador de frutas. Mas a Palavra de Deus o chamou e o lançou na missão. Amós sabe que é portador de uma mensagem e nada o impedirá de realizar a missão que Deus lhe deu. O salmo de meditação fala dos efeitos da vocação na vida das pessoas: "Amor e Fidelidade se encontram, Justiça e Paz se abraçam". A carta aos Efésios traz a letra de um cântico das comunidades, no qual transparece o lado sublime da nossa vocação. "Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por meio de Jesus Cristo conforme a benevolência da sua vontade".

O Evangelho narra como Jesus chamou os doze discípulos e os enviou em missão. Jesus nunca trabalhou sozinho. Ele chama outras pessoas para segui-lo e ajudá-lo a levar adiante o anúncio da chegada do Reino. Jesus os chama para irem em missão dois a dois. Assim testemunham a dimensão comunitária da vocação. Eles recebem poder sobre os espíritos impuros. Assim podem acolher os mais excluídos e humanizar o relacionamento entre as pessoas. Os discípulos não podem levar nada, nem pão, nem sacola, nem duas túnicas, nem dinheiro. Assim são obrigados a confiar na hospitalidade do povo. Eles não podem ir de casa em casa, mas devem ficar na mesma casa até partir, ou seja, devem integrar-se à Comunidade, e não ser como turistas sem compromisso. No Evangelho de Lucas, Jesus acrescenta: "Em qualquer casa que vocês entrarem, digam primeiro: A Paz esteja nesta casa!" Eles devem ser pessoas de paz e não de briga ou de divisão. Se eles fizerem tudo isso, poderão anunciar: "O Reino de Deus chegou!" Pois o Reino de Deus não é uma doutrina, nem um catecismo, nem uma lei. O Reino de Deus se faz presente quando as pessoas motivadas por sua fé em Jesus, decidem conviver em Comunidade. Assim, testemunham a todos que Deus é Pai e que nós, seres humanos, somos irmãos e irmãs uns dos outros. Jesus quer que a Comunidade seja novamente uma expressão do Reino do amor de Deus como Pai, que faz de todos irmãos e irmãs.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Senhor Deus, os Doze primeiros discípulos acolheram o convite de vosso Filho e o seguiram. Com poder e sabedoria, fizeram o bem dando vida às pessoas. Dai-nos vosso Santo Espírito para que, pela Palavra e pelo testemunho, possamos continuar a mesma missão em nossas Comunidades. Ouvi, Senhor, nossos rogos.

 

1. Senhor, abençoai o Santo Padre, o Papa, os bispos e todos os que têm a missão de orientar e coordenar vosso povo, nós vos pedimos.

Fazei-nos, Senhor, ouvir vosso chamado!

 

2. Encorajai, Senhor, os cristãos que testemunham sua fé e concedei a graça da conversão aos que não acolhem vossa Palavra, nós vos pedimos.

Fazei-nos, Senhor, ouvir vosso chamado!

 

3. Senhor, continuai a chamar homens e mulheres para o serviço de vosso Reino, e dai perseverança àqueles que já foram chamados e enviados em missão, nós vos pedimos.

Fazei-nos, Senhor, ouvir vosso chamado!

 

4. Livrai-nos, Senhor, do comodismo, do apego às coisas do mundo e da indiferença e frieza no trato e no respeito aos pobres e abandonados no mundo, nós vos pedimos.

Fazei-nos, Senhor, ouvir vosso chamado!

 

Ó Pai de bondade infinita, acolhei nossos pedidos, fortalecei-nos na esperança e socorrei-nos em vosso amor misericordioso. Vós, que viveis e reinais para sempre.

Amém.

 

 

Oração do Laicato

Ó Trindade Santíssima, amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como vossa "imagem terrena": Nós vos agradecemos pelos dons e carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros de vosso povo realizam como "Igreja em saída", para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, em vista de vosso Reino.

Nós vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora.

Nós vos pedimos que todos os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família e no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o planeta, nossa "casa comum".

Nós vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres.

Isto vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil