19/07/2020

16º Domingo do Tempo Comum

 

 

A Palavra nos revela a paciência de Deus para conosco. Jesus garante que o Reino está presente entre nós, caminhando para sua realização definitiva, independente das condições adversas da história. No tempo da espera, do cultivo e do desenvolvimento até a colheita, somos convidados a prestar atenção ao Reino de Deus que se realiza no silêncio, sem grandes publicidades, só percebido pelos pequenos e pelos que aderem ao projeto de Deus.  

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Aprender com a paciência de Deus é saber que é preciso ter um coração brando, e ser paciente e misericordioso para com as pessoas.

 

 

1ª Leitura - Sb 12,13.16-19

Leitura do Livro da Sabedoria:

Não há, além de ti, outro Deus que cuide de todas as coisas e a quem devas mostrar que teu julgamento não foi injusto. A tua força é princípio da tua justiça, e o teu domínio sobre todos te faz para com todos indulgente.

Mostras a tua força a quem não crê na perfeição do teu poder; e nos que te conhecem, castigas o seu atrevimento. No entanto, dominando tua própria força, julgas com clemência e nos governas com grande consideração; pois, quando quiseres, está ao teu alcance fazer uso do teu poder.

Assim procedendo, ensinaste ao teu povo que o justo deve ser humano; e a teus filhos deste a confortadora esperança de que concedes o perdão aos pecadores.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 85

Ó Senhor, vós sois bom, sois clemente e fiel!

 

Ó Senhor, vós sois bom e clemente, sois perdão para quem vos invoca. Escutai, ó Senhor, minha prece, o lamento da minha oração!

 

As nações que criastes virão adorar e louvar vosso nome. Sois tão grande e fazeis maravilhas; vós somente sois Deus e Senhor!

 

Vós, porém, sois clemente e fiel, sois amor, paciência e perdão. Tende pena e olhai para mim! Confirmai com vigor vosso servo.  

 

 

2ª Leitura - Rm 8,26-27

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: O Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mt 13,24-43

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Mateus:

Naquele tempo, Jesus contou outra parábola à multidão: "O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo, e foi embora. Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram: 'Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?'

O dono respondeu: 'Foi algum inimigo que fez isso'. Os empregados lhe perguntaram: 'Queres que vamos arrancar o joio?'

O dono respondeu: 'Não! Pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. Deixai crescer um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!'"

Jesus contou-lhes outra parábola: "O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos".

Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola: "O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado".

Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, para se cumprir o que foi dito pelo profeta: "Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo".

Então Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: "Explica-nos a parábola do joio!"

Jesus respondeu: "Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifeiros são os anjos. Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: o Filho do Homem enviará os seus anjos, e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; e depois os lançarão na fornalha de fogo. Aí haverá choro e ranger de dentes. Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Eu sou o Caminho

Desde o início da humanidade, uma pergunta sempre foi intrigante: como surgiu o mal? Na parábola do trigo e do joio, transparece um pouco a diferença entre a boa semente e pertencer ao Reino, e o joio, aos que pertencem ao Maligno. Longe de ser um tratado sobre a origem do mal, Jesus quer mostrar o quanto o Pai celeste é misericordioso e que são nossas atitudes no campo do mundo que nos fazem participantes do bem ou do mal.

 

A Verdade

É comum ouvir: por que Deus permite que exista o mal no mundo? Na parábola de hoje: por que não permite aos empregados arrancarem o joio do meio do trigo? Por que permite que os dois cresçam juntos no campo?

Na Primeira Leitura vimos que é a sabedoria de Deus que governa a história (Sb 10—19) e ensina ao povo "que o justo deve ser humano". São Paulo diz que: "o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza". Temos a liberdade em ser ou não fermento, ou seja, praticar ou não as obras de amor, justiça e misericórdia na massa que é a Comunidade.

Deus quer salvar a todos e na sua infinita misericórdia permite que bons e maus caminhem juntos. E com o nosso modo de ser e agir, podemos semear amor, carinho, dignidade e contribuir para que a semente boa cresça no mundo ou que o mal (joio) prevaleça em várias circunstâncias. Deus nos dá a liberdade e cabe a nós decidirmos, com nosso modo de ser, como será o final dessa parábola. Aqui é necessário entender um segredo dito por Jesus: "o homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, mas o homem mau tira do seu mal coisas más" (Lc 6,45).

 

E a vida

Já dizia o Pequeno Príncipe: "Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos". Tudo começa no coração, pois, na verdade, a vida nos oferece várias opões e situações, nas quais podemos ser boa semente ou joio, tudo é uma questão de decisão. Jesus nos ensina que são nossas atitudes no campo do mundo que nos fazem participantes do bem ou do mal. "Quem tem ouvidos, ouça".

 

Pe. Francisco Albertin - Campestre-MG

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (19/07/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Elevemos nossas súplicas a Deus Pai, rico em misericórdia e paciência, pedindo a força de que precisamos para produzir bons frutos do Reino, rezando:

- Senhor, conservai-nos em vosso Reino!

 

1. Conduzi, Senhor, vossa Igreja a fim de que, por meio de vossos Ministros ordenados e os cristãos Leigos, seja autêntica testemunha da presença de vosso Reino no mundo. Nós vos pedimos, confiantes.

- Senhor, conservai-nos em vosso Reino!

 

2. Sustentai as lideranças das Comunidades, a fim de que sejam perseverantes no amor, na paciência e na doação de suas vidas junto ao vosso povo. Nós vos pedimos, confiantes.

- Senhor, conservai-nos em vosso Reino!

 

3. Fortalecei, Senhor, nossas famílias, inspirando-as a ser fermento do amor, da solidariedade e da misericórdia em nossa sociedade. Nós vos pedimos, confiantes.

- Senhor, conservai-nos em vosso Reino!

 

4. Ajudai-nos a superar pelo diálogo, pela escuta e pelo encontro sereno e fraterno, as tensões causadas por diferenças de opiniões em nossa casa, em nossas Comunidades e na sociedade. Nós vos pedimos, confiantes.

- Senhor, conservai-nos em vosso Reino!

 

5. Outras intenções...

 

Senhor Deus, ajudai vossa Igreja a viver na fidelidade e na caridade, sempre atenta aos sinais dos tempos e cheia de compreensão e misericórdia para com os mais fracos. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil