23/06/2019

12º Domingo do Tempo Comum

"Renuncie a si mesmo e siga-me!"

 

 

É incondicional e incontestável o amor de Cristo por nós. Mas Ele quer também saber o que significa para nós sua proposta de amor: "E vós, quem dizeis que eu sou?" Sua Palavra nos leva a descobrir a pessoa de Cristo e seu sentido para toda a humanidade. Não basta saber de sua existência, é preciso viver o que Ele nos ensinou. Por isso, também nos diz: "Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia, e siga-me". Tomar a cruz desfaz toda vaidade humana. 

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

No seguimento de Cristo não cabe o desejo de glória, de poder e distinção. Jesus nos ensina a tomar a cruz da entrega, da doação, a cruz do amor que desfaz os tronos das vaidades. Só reconhecendo Cristo como Redentor, poderemos segui-lo fielmente.  

 

 

1ª Leitura - Zc 12,10-11;13,1

Leitura da Profecia de Zacarias:

Assim diz o Senhor: "Derramarei sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém um espírito de graça e de oração; eles olharão para mim. Ao que eles feriram de morte, hão de chorá-lo, como se chora a perda de um filho único, e hão de sentir por ele a dor que se sente pela morte de um primogênito. Naquele dia, haverá um grande pranto em Jerusalém, como foi o de Adadremon, no campo de Magedo.

Naquele dia, haverá uma fonte acessível à casa de Davi e aos habitantes de Jerusalém, para ablução e purificação".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 62

A minha alma tem sede de vós, como a terra sedenta, ó meu Deus!

 

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minha alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja. 

 

Como terra sedenta e sem água, venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

 

Quero, pois, vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minha alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios, ao cantar para vós meu louvor!

 

Para mim fostes sempre um socorro; de vossas asas à sombra eu exulto! Minha alma se agarra em vós; com poder vossa mão me sustenta.

 

 

2ª Leitura - Gl 3,26-29

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas:

Irmãos: Vós todos sois filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo. Vós todos que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo.

O que vale não é mais ser judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um só, em Jesus Cristo.

Sendo de Cristo, sois então descendência de Abraão, herdeiros segundo a promessa.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 9,18-24

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Certo dia, Jesus estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: "Quem diz o povo que eu sou?"

Eles responderam: "Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou".

Mas Jesus perguntou: "E vós, quem dizeis que eu sou?"

Pedro respondeu: "O Cristo de Deus".

Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém. E acrescentou:"O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia".

Depois Jesus disse a todos: "Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

As leituras da celebração de hoje nos colocam diante de uma questão de fé que para qualquer um de nós é fundamental: quem é Jesus para mim? Hoje Jesus está muito presente nos meios de comunicação. Falam dele em programas de rádio e televisão. O problema é que esse Jesus que nos é apresentado nem sempre é o Jesus dos Evangelhos. Falam e pregam um Cristo milagreiro, curandeiro e vitorioso, sempre em busca de coletas e donativos. Mais do que nunca continua de pé a pergunta que Jesus faz no Evangelho de hoje: "E vocês, quem dizem que eu sou?"

A Primeira Leitura, tirada do profeta Zacarias, fala de uma figura misteriosa, uma pessoa que "foi trespassada", ou seja, sofreu mutilações em seu corpo. Por essa pessoa muitos chorarão como se "chora por um filho primogênito". Com essas palavras, o profeta quer descrever todo o sofrimento do povo durante as amarguras do exílio. Mas a Comunidade cristã leu nessa passagem a figura de Jesus como o Messias, o servo sofredor crucificado. Querer falar de Jesus e omitir a cruz e o sofrimento seria manipular o Evangelho.

Quando Jesus faz essa pergunta aos discípulos, eles estão sozinhos, num lugar retirado, em forte momento de oração. Buscar responder a pergunta que Jesus nos faz exige silêncio e oração e não programas de auditório, com muitos gritos e barulho, som alto e línguas que ninguém entende. O encontro com a verdade Deus se faz é no recolhimento e no silêncio. Isso porque, muitas vezes, a proposta que vem de Deus não é bem aquilo que nós esperamos.

Quando Pedro proclama que Jesus é o Messias, ele ainda pensa no Messias vitorioso e triunfante. Era esse Messias que a multidão esperava. Mas Jesus ensina que o verdadeiro Messias, o ungido enviado por Deus, será muito diferente do que a multidão espera. O verdadeiro Messias deverá ser rejeitado, excluído, maltratado. Deverá acolher a cruz, ser humilhado e execrado. Mas o poder de Deus sempre é maior que a maldade humana. No terceiro dia, esse Messias ressuscitará. Nenhum poder é mais forte que a vida que vem de Deus. Ao ressuscitar, Jesus revelou-se como o verdadeiro Messias.

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (23/06/2019)

 

 

Oração da Comunidade

Senhor Deus, vós conheceis nosso desejo e sinceridade, confirmai-nos no vosso amor misericordioso, e ouvi, por vossa bondade, nossas preces.

 

1. Ajudai, com vossa bondade, vossa Igreja, para que ela seja geradora de vida e de esperança no meio de vosso povo, nós vos suplicamos, Senhor.

- Ouvi, Senhor, o clamor de vosso povo!

 

2. Inspirai nossas Comunidades na vivência da fé em Cristo, e seguindo seu ensinamento sejam carregadas de ternura e de compaixão, nós vos suplicamos, Senhor.

- Ouvi, Senhor, o clamor de vosso povo!

 

3. Despertai a consciência de nossos líderes e governantes, para que sejam defensores e promotores dos valores insubstituíveis da vida, nós vos suplicamos, Senhor.

- Ouvi, Senhor, o clamor de vosso povo!

 

4. Fazei-nos perseverantes no seguimento de Jesus, tomando a cruz da vida, da compaixão e da solidariedade para com nossos irmãos e irmãs, nós vos suplicamos, Senhor.

- Ouvi, Senhor, o clamor de vosso povo!

 

5. Outras intenções...

 

Sejam nossos rogos de vosso agrado, Senhor, nosso Deus, e dai ao nosso tempo e à nossa vida vossa paz. Isso vos pedimos, por Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil