10/06/2018

10º Domingo do Tempo Comum

"Ouvir a Palavra e pertencer à Família divina!"

 

 

Do Evangelho de Cristo nasce sem cessar a esperança: nele temos a certeza do amor e da vida em plenitude. Quem ouve sua Palavra e faz a vontade de Deus pertence à Família divina. O Senhor, para nos libertar, expulsa para longe tudo o que nos escraviza, e ainda nos oferece sua misericórdia. Como podemos ainda desprezar um Deus que nos ama tanto assim? Recusar em reconhecê-lo como Senhor é negar seu próprio amor para conosco.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

A Palavra anuncia que jamais Deus nos abandona. Até mesmo quando recusamos seu projeto de amor, Ele continua a nos amar. Romper a relação com Deus é subverter todas as relações. Jesus é a imagem visível do amor do Pai, e mesmo que tentem desacreditá-lo, como os escribas e fariseus, Ele continua fiel.  

 

 

1ª Leitura - Gn 3,9-15

Leitura do Livro do Gênesis:

Depois que o homem comeu da fruta da árvore, o Senhor Deus chamou Adão, dizendo: "Onde estás?" E ele respondeu: "Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo, porque estava nu; e me escondi". Disse-lhe o Senhor Deus: "E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?" Adão disse: "A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi". Disse o Senhor Deus à mulher: "Por que fizeste isso?" E a mulher respondeu: "A serpente enganou-me e eu comi". Então o Senhor Deus disse à serpente: "Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 129

No Senhor toda graça e redenção!

 

Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, escutai a minha voz! Vossos ouvidos estejam bem atentos ao clamor da minha prece!

 

Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir? Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero.

 

No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra. A minh'alma espera no Senhor mais que o vigia pela aurora.

 

Espere Israel pelo Senhor, mais que o vigia pela aurora! Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. Ele vem libertar Israel de toda a sua culpa.

 

 

2ª Leitura - 2Cor 4,13-18-5,1

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: "Eu creio e, por isso, falei", nós também cremos e, por isso, falamos, certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus. Por isso, não desanimemos. Mesmo se o nosso homem exterior se vai arruinando, o nosso homem interior, pelo contrário, vai-se renovando, dia a dia. Com efeito, o volume insignificante de uma tribulação momentânea acarreta para nós uma glória eterna e incomensurável. E isso acontece, porque voltamos os nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas visíveis. Pois o que é visível é passageiro, mas o que é invisível é eterno. De fato, sabemos que, se a tenda em que moramos neste mundo for destruída, Deus nos dá uma outra moradia no céu que não é obra de mãos humanas, mas que é eterna.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 3,20-35

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, Jesus voltou para casa com os seus discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer. Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que estava fora de si. Os mestres da Lei, que tinham vindo de Jerusalém, diziam que ele estava possuído por Belzebu, e que pelo príncipe dos demônios ele expulsava os demônios. Então Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas: "Como é que Satanás pode expulsar a Satanás? Se um reino se divide contra si mesmo, ele não poderá manter-se. Se uma família se divide contra si mesma, ela não poderá manter-se. Assim, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, não poderá sobreviver, mas será destruído. Ninguém pode entrar na casa de um homem forte para roubar seus bens, sem antes o amarrar. Só depois poderá saquear sua casa. Em verdade vos digo: tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados, como qualquer blasfêmia que tiverem dito. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo, nunca será perdoado, mas será culpado de um pecado eterno".

Jesus falou isso, porque diziam: "Ele está possuído por um espírito mau". Nisso chegaram sua mãe e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: "Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura". Ele respondeu:

"Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?" E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: "Aqui estão minha mãe e meus irmãos. Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

A primeira leitura da celebração de hoje traz o ensinamento central de toda a Bíblia. A questão central é esta: entre a verdade que vem de Deus e a mentira que vem da serpente, por que o ser humano optou pela mentira e não assumiu suas responsabilidades diante do que fez? Quando Deus interroga: "Por acaso comeste do fruto da árvore que eu te proibi de comer?", o homem não assume a verdade nem pede perdão por ter desobedecido a Deus. Simplesmente coloca a culpa na mulher.

O texto conclui lembrando que, ao longo da história, haverá sempre uma luta entre os filhos da mulher contra os filhos da serpente. Sempre haverá conflito entre os que aceitam a verdade de Deus e contra os que seguem as mentiras das inúmeras serpentes que foram surgindo na caminhada da humanidade. Na celebração de hoje, as leituras pedem discernimento: de que lado eu me coloco? Vivo segundo o Espírito de Deus ou sigo os espíritos mundanos?

O Evangelho nos mostra que em Jesus se manifesta o Espírito de Deus. Agindo segundo esse Espírito, Jesus traz a todos a mensagem da vida que vem de Deus. Muita gente se reúne em busca dos gestos e das palavras de Jesus. Ao mesmo tempo, aumentam as resistências. Os parentes de Jesus saem lá de Nazaré e querem trazê-lo de volta para casa na marra. Pensavam que Jesus tinha ficado louco!

Já os escribas e doutores da Lei tentam desmoralizar Jesus frente ao povo. Acusam-no de estar possuído de um espírito impuro, chamado Belzebu. São acusações graves que buscam deslegitimar a Boa Nova trazida por Jesus. Aqui está o pecado contra o Espírito Santo. Peca quem atribui ao demônio as palavras e os gestos libertadores que vêm do Espírito de Deus através da ação de Jesus!

Por isso, Jesus chama o povo e fala diretamente. Ele acusa os doutores da Lei de estarem manipulando a Palavra de Deus. Eles deturpam a pregação de Jesus, transformando o bem em mal e o mal em bem. Invertem tudo! Quem ensina dessa forma, não pode querer o bem do povo. E, diante da resistência de seus próprios parentes, Jesus acolhe o povo que estava sentado ao seu redor e ensina: "Quem faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe!" A verdadeira família de Jesus são as pessoas que se tornam filhos e filhas da Verdade através do Batismo. Nós somos hoje a família de Jesus. 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil