06/05/2018

6º Domingo da Páscoa

"Eu vos escolhi!"

 

 

Amar, viver no amor é a palavra de ordem de Cristo. O Pai nos amou inteiramente e eternamente nos amará em seu Filho Jesus. Por isso, Jesus tem toda a autoridade para nos dizer: "Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor". Fomos escolhidos pelo Senhor e não há grandeza que supere tão grande dádiva: ser amado por Jesus! Vivamos, pois, na intimidade do Senhor, que se põe ao nosso lado e caminha conosco: "Não fostes vós que me escolhestes, eu que vos escolhi".

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

A Palavra nos aponta o caminho que devemos seguir: amar a Deus e aos irmãos e irmãs. O Pai é a fonte eterna do amor que nos transforma, nos traz alegria e a salvação. A verdade de Cristo nos faz superar os limites e vencer as barreiras que impedem a vivência autêntica do amor.  

 

 

1ª Leitura - At 10,25-26.34-35.44-48

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Quando Pedro estava para entrar em casa, Cornélio saiu-lhe ao encontro, caiu a seus pés e se prostrou. Mas Pedro levantou-o, dizendo: "Levanta-te. Eu também sou apenas um homem".

Então, Pedro tomou a palavra e disse: "De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença".

Pedro estava ainda falando, quando o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a palavra.

Os fiéis de origem judaica, que tinham vindo com Pedro, ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo fosse derramado também sobre os pagãos. Pois eles os ouviam falar e louvar a grandeza de Deus em línguas estranhas. Então Pedro falou: "Podemos, por acaso, negar a água do batismo a estas pessoas que receberam, como nós, o Espírito Santo?" E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Eles pediram, então, que Pedro ficasse alguns dias com eles.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 97

O Senhor fez conhecer a salvação e revelou sua justiça às nações.

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

 

O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

 

Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

 

 

2ª Leitura - 1Jo 4,7-10

Leitura da Primeira Carta de São João:

Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus.

Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus, pois Deus é amor.

Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele.

Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 15,9-17

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. Eu vos disse isso, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena.

Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.

Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Todos chamados à salvação

No capítulo décimo dos Atos dos Apóstolos, vemos Pedro e seus companheiros surpresos porque aqueles não judeus eram chamados à salvação. Tanto que recebiam o dom do Espírito. Para eles aquilo foi uma revelação divina. A Comunidade de Jesus abriu-se assim também para nós e para todos os povos. Todos nós, seres humanos, somos favorecidos pela graça de Deus, chamados a participar da vida divina por nossa união de vida com Jesus, o Filho de Deus, que veio viver nossa vida.

Todos chamados por amor

Na primeira Carta de João, capítulo quarto, encontramos reafirmado que Deus nos amou primeiro, antes que nós o amássemos. Ele nos salva gratuitamente, por puro favor. E ele nos salva modificando nosso coração, fazendo-nos capazes de amá-lo, e também de amar nosso próximo. Isso é importante: só podemos amar porque Deus nos dá essa capacidade. Antes, então, de ser obrigação, amar é privilégio, favor divino. Só podemos amar se somos salvos, e sabemos que somos salvos se amamos.

Todos chamados para o amor

Nós, homens e mulheres, fomos criados por amor e para o amor. Só podemos ser felizes amando e sendo amados. Foi para nos dar essa felicidade que o Filho de Deus, que nos amava com amor divino, quis também amar-nos com amor humano, igual ao nosso, mas muito mais generoso.

No Evangelho de João (15,9-17) diz Jesus: "Eu vos disse estas coisas para que minha alegria esteja em vós, e vossa alegria seja plena". Ensinando-nos a amar, ou melhor, fazendo-nos capazes de amar, Jesus dá-nos sua alegria, a única bastante para nos satisfazer.

E ele continua dizendo que seu mandamento, seu ensinamento de vida para nós, é que devemos amar sem medida, e que, amando assim, seremos felizes sem medida, porque seremos seus amigos.

Fomos escolhidos por amor e para o amor. Se aceitamos seu favor, ele poderá enviar-nos, e seremos fatores de salvação e felicidade para todos.

Pe. Flávio Cavalca de Castros, C.Ss.R. 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil