28/04/2019

2º Domingo da Páscoa

Domingo da Divina Misericórdia

"Junto dele é sem fim a misericórdia!"

 

 

O Tempo Pascal nos faz dizer como os discípulos: "Ele está vivo". Também nos leva a abraçar com alegria a certeza de sua misericórdia e presença junto de nós. Estar longe da Comunidade, como estava Tomé, é perder a oportunidade de participar de sua presença consoladora e que nos renova na fidelidade, na ação apostólica, na caridade. Precisamos todos purificar o olhar de nossa fé, pois crer é ser capaz de enxergar. Celebremos, pois, com fervor, nossa fé no Cristo ressuscitado. 

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Escutar decididamente a Palavra é deixar a força da ressurreição desabrochar dentro de nós. Assim, onde impera a morte a vida sairá vencedora, e onde há incredulidade o Senhor se fará presente e romperá toda descrença. São felizes os que creem sem terem visto.

 

 

1ª Leitura - At 5,12-16

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Muitos sinais e maravilhas eram realizados entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos os fiéis se reuniam, com muita união, no Pórtico de Salomão.

Nenhum dos outros ousava juntar-se a eles, mas o povo estimava-os muito.

Crescia sempre mais o número dos que aderiam ao Senhor pela fé; era uma multidão de homens e mulheres. Chegavam a transportar para as praças os doentes em camas e macas, a fim de que, quando Pedro passasse, pelo menos a sua sombra tocasse alguns deles.

A multidão vinha até das cidades vizinhas de Jerusalém, trazendo doentes e pessoas atormentadas por maus espíritos. E todos eram curados.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 117

Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! "Eterna é a sua misericórdia!"

 

A casa de Israel agora o diga: "Eterna é a sua misericórdia!" A casa de Aarão agora o diga: "Eterna é a sua misericórdia!" Os que temem o Senhor, agora o digam: "Eterna é a sua misericórdia!"

 

"A pedra que os pedreiros rejeitaram tornou-se agora a pedra angular. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós. Alegremo-nos e nele exultemos! 

 

Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, ó Senhor, dai-nos também prosperidade!" Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

 

 

2ª Leitura - Ap 1,9-11a.12-13.17-19

Leitura do Livro do Apocalipse de São João:

Eu, João, vosso irmão e companheiro na tribulação, e também no reino e na perseverança em Jesus, fui levado à ilha de Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho que eu dava de Jesus.

No dia do Senhor, fui arrebatado pelo Espírito e ouvi atrás de mim uma voz forte, como de trombeta, a qual dizia: "O que vais ver, escreve-o num livro".

Então voltei-me para ver quem estava falando; e ao voltar-me, vi sete candelabros de ouro. No meio dos candelabros havia alguém semelhante a um "filho de homem", vestido com uma túnica comprida e com uma faixa de ouro em volta do peito.

Ao vê-lo, caí como morto a seus pés, mas ele colocou sobre mim sua mão direita e disse: "Não tenhas medo. Eu sou o Primeiro e o Último, aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para sempre. Eu tenho a chave da morte e da região dos mortos. Escreve pois o que viste, aquilo que está acontecendo e que vai acontecer depois".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 20,19-31

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: "A paz esteja convosco".

Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.

Novamente, Jesus disse: "A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio".

E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: "Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos".

Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: "Vimos o Senhor!"

Mas Tomé disse-lhes: "Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão do seu lado, não acreditarei".

Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: "A paz esteja convosco".

Depois disse a Tomé: "Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel".

Tomé respondeu: "Meu Senhor e meu Deus!"

Jesus lhe disse: "Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!"

Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Eu sou o Caminho

"Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom! 'Eterna é a sua misericórdia!' [...] Os que temem o Senhor agora o digam: 'Eterna é a sua misericórdia!'" (Sl 117(118),1.4). Hoje celebramos a Festa da Divina Misericórdia, instituída por nosso saudoso São João Paulo II. Em 01 de setembro de 1994, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos aprovou o texto da Missa votiva "De Dei Misericordia", sendo celebrada em toda a Igreja, pela primeira vez, no primeiro domingo depois da Páscoa de 1995. Em 30 de abril do ano 2000, no primeiro domingo após a Páscoa (segundo domingo da Páscoa), portando no dia da Festa da Divina Misericórdia, o Santo Padre, o Papa João Paulo II, canonizava e declarava santa Faustina Kowalska, que nasceu na Polônia, em 25 de agosto de 1905. Na visão que ela teve em 1931, Jesus lhe dizia: "Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia" (Diário de Santa Faustina, p.12).

 

A Verdade

O Evangelho de João (20,19-31) mostra que, ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, dia da ressurreição, Jesus aparece aos seus discípulos, desejando-lhes a paz e os envia em missão, e diz: "Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados eles lhes serão perdoados; a quem não perdoardes, eles lhes serão retidos" (Jo20,22-23).

Tomé não acredita nos amigos, quer ver e tocar no ressuscitado. Jesus o adverte e a nós também: "Bem-aventurados os que creram sem terem visto!" Acreditamos verdadeiramente que Jesus está ressuscitado no meio de nós?

 

E a vida

Diz o ditado: "Termina a missa, começa a missão". Como discípulos e discípulas missionários(as), somos convidados, conforme disse o Papa Francisco, a ir às periferias, ajudar a limpar as lamas que atingem os mais pobres e contrair o cheiro das ovelhas. Sermos apóstolos de uma vida nova. Jesus enviou seus discípulos em missão e envia-nos hoje ao dizer: "Como o Pai me enviou, também eu vos envio".

Pe. Francisco Albertin - Campestre-MG

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (28/04/2019)

 

 

Oração da Comunidade

Senhor Deus, vossa Palavra nos ilumina e nos aquece, nos exorta e nos conforta. Fortalecidos na fé em vosso Filho ressuscitado, vos dirigimos confiantes nossos rogos. Escutai-nos.

 

1. Fortalecei o Papa e todos os Ministros de vossa Igreja, para que sejam anunciadores destemidos da verdade de Cristo, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, ouvi-nos!

 

2. Educai sem cessar nossas Comunidades na vivência do Evangelho e na prática da solidariedade fraterna, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, ouvi-nos!

 

3. Olhai com bondade e iluminai com a ressurreição de vosso Filho os pobres e sofredores, os migrantes, injustiçados e abandonados, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, ouvi-nos!

 

4. Tornai-nos atentos e comprometidos com a vida, com a dignidade das pessoas e com a união entre irmãos, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, Deus de misericórdia, ouvi-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Sede-nos propício, Senhor Deus, ouvi os desejos daqueles que vos suplicam e realizai os pedidos dos que creem em vós. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil