17/03/2019

2º Domingo da Quaresma

"Escutai o que Ele diz!"

 

 

Elevemos nosso olhar para o alto e subamos a montanha da vida para o encontro com Deus. Lá, contemplemos seu amor radical, transfigurado por causa de sua fidelidade ao Pai. Ele nos chama para termos um olhar novo sobre as pessoas, sobre a natureza e nós mesmos. Nele descobrimos nossa real necessidade, que é a vida, a paz, a harmonia e a concórdia. Ele nos ensina a viver com os pés na terra, mas sem nos esquecermos de que somos cidadãos do infinito, do céu. "Escutemos, pois, o que Ele nos diz". 

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Abrão abandona as certezas humanas e confia seu futuro ao Senhor. E Jesus revela à humanidade inteira sua glorificação, diante dos apóstolos. Mas, o que significa hoje estar no monte Tabor com Jesus? Sem deixar de pisar na terra, Ele quer que sejamos cidadãos do céu.  

 

 

1ª Leitura - Gn 15,5-12.17-18

Leitura do Livro do Gênesis:

Naqueles dias, o Senhor conduziu Abrão para fora e disse-lhe: "Olha para o céu e conta as estrelas, se fores capaz!" E acrescentou: "Assim será a tua descendência".

Abrão teve fé no Senhor, que considerou isso como justiça. E lhe disse: "Eu sou o Senhor que te fez sair de Ur dos Caldeus, para te dar em possessão esta terra".

Abrão lhe perguntou: "Senhor Deus, como poderei saber que vou possuí-la?" E o Senhor lhe disse: "Traze-me uma novilha de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, além de uma rola e de uma pombinha".

Abrão trouxe tudo e dividiu os animais pelo meio, mas não as aves, colocando as respectivas partes uma frente à outra.

Aves de rapina se precipitaram sobre os cadáveres, mas Abrão as enxotou. Quando o sol já se ia pondo, caiu um sono profundo sobre Abrão e ele foi tomado de grande e misterioso terror.

Quando o sol se pôs e escureceu, apareceu um braseiro fumegante e uma tocha de fogo, que passaram por entre os animais divididos.

Naquele dia, o Senhor fez aliança com Abrão, dizendo: "Aos teus descendentes darei esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio, o Eufrates".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 26

O Senhor é minha luz e salvação.

 

O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu tremerei?

 

Ó Senhor, ouvi a voz do meu apelo, atendei por compaixão! Meu coração fala convosco confiante, é vossa face que eu procuro.

 

Não afasteis em vossa ira o vosso servo, sois vós o meu auxílio! Não me esqueçais nem me deixeis abandonado, meu Deus e Salvador!

 

Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!  

 

 

2ª Leitura - Fl 3,17-4,1

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:

Sede meus imitadores, irmãos, e observai os que vivem de acordo com o exemplo que nós damos.

Já vos disse muitas vezes, e agora o repito, chorando: há muitos por aí que se comportam como inimigos da cruz de Cristo.

O fim deles é a perdição, o deus deles é o estômago, a glória deles está no que é vergonhoso e só pensam nas coisas terrenas.

Nós, porém, somos cidadãos do céu. De lá aguardamos o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Ele transformará o nosso corpo humilhado e o tornará semelhante ao seu corpo glorioso, com o poder que tem de sujeitar a si todas as coisas.

Assim, meus irmãos, a quem quero bem e dos quais sinto saudade, minha alegria, minha coroa, meus amigos, continuai firmes no Senhor.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 9,28b-36

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, Jesus levou consigo Pedro, João e Tiago, e subiu à montanha para rezar. Enquanto rezava, seu rosto mudou de aparência e sua roupa ficou muito branca e brilhante.

Eis que dois homens estavam conversando com Jesus: eram Moisés e Elias. Eles apareceram revestidos de glória e conversavam sobre a morte que Jesus iria sofrer em Jerusalém.

Pedro e os companheiros estavam com muito sono. Ao despertarem, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele. E, quando estes homens se iam afastando, Pedro disse a Jesus: "Mestre, é bom estarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias". Pedro não sabia o que estava dizendo.

Ele estava ainda falando , quando apareceu uma nuvem que os cobriu com sua sombra. Os discípulos ficaram com medo ao entrarem dentro da nuvem.

Da nuvem, porém, saiu uma voz que dizia: "Este é o meu Filho, o Escolhido. Escutai o que ele diz!"

Enquanto a voz ressoava, Jesus encontrou-se sozinho. Os discípulos ficaram calados e naqueles dias não contaram a ninguém nada do que tinham visto.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Os textos deste domingo nos evocam os pactos do Senhor. Abraão tenta o impossível: contar as estrelas do céu. E o Senhor lhe garante que sua descendência terá o limite do impossível. O evangelista, ao narrar a transfiguração do Senhor diante de Pedro, João e Tiago, desvela-nos, simbolicamente, o pacto com as Comunidades dos diferentes unidas pelo amor de Jesus: Pedro funda a Igreja de Roma; Tiago funda a Igreja de Jerusalém e, entre eles, João, o discípulo amado. 

O pacto que sempre se renova é o despertar de um sono profundo que amortece nossos sentimentos, embaça nosso olhar e impede nossa visão de futuro. Tanto Abraão quanto os discípulos estavam caídos nesse sono, que prendia seus corpos à terra e reduzia seus olhares aos limites do chão. A transfiguração de Jesus, mais do que uma antecipação da sua ressurreição, é a presença da Trindade e de toda a história da salvação - Moisés [a Torah], Elias [os profetas] - nesse corpo predestinado à Cruz, em que será selado, para sempre, o pacto entre o Senhor e a Humanidade.

A transfiguração é o novo êxodo que culminará no Reino de Deus. Não podemos cair na tentação de Pedro de querer fixar o Reino em nossos próprios limites afetivos e históricos. Não podemos querer a plenitude e a glória sem passar pela paixão, feita de sofrimento e morte.

Como nos escreveu Saint Exupéry: "É certo que o ser humano precisa de um espaço fechado onde possa fixar suas raízes e, como uma semente, vir a ser. Mas também precisa da grande Via Láctea no alto do céu e dos vastos espaços marinhos, embora nem as estrelas nem o oceano sirvam às suas necessidades diárias".

O Espírito de Deus sempre nos transfigura em expansões de amor como uma semente e o fermento. O pão que pedimos, a cada dia, todo dia se constrói interiormente pela oração, partilha e bênção.

Pe. Paulo Botas, mts

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (17/03/2019)

 

 

Oração da Comunidade

Senhor Deus, vós que desejais nos transformar a exemplo de vosso Filho, ouvi a nós, vossos filhos e filhas, que vos suplicamos:

- Senhor, transfigurai-nos em vosso amor!

 

1. Olhai com misericórdia para vossa Igreja, para que ela, superando suas dificuldades humanas, faça resplandecer no meio da humanidade vossa misericórdia, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, transfigurai-nos em vosso amor!

 

2. Aumentai em cada coração humano o amor à vida e aos mais sofredores, para que os rostos desfigurados dos feridos em sua dignidade sejam curados e transformados, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, transfigurai-nos em vosso amor!

 

3. Tornai-nos sempre fiéis e decididos na fé, na vida de caridade e na vivência fraterna em nossa família e na Comunidade, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, transfigurai-nos em vosso amor!

 

4. Dai-nos a força de vosso amor, para que no desejo de ajudar e transfigurar os outros, sejamos nós mesmos transformados, transfigurados, nós vos suplicamos, Senhor.

- Senhor, transfigurai-nos em vosso amor!

 

5. Outras intenções...

 

Deus de infinita bondade e compaixão, estendei sobre vosso povo vosso auxílio divino, e tende misericórdia de nós, que desejamos amar mais a vós e a vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil