10/03/2019

1º Domingo da Quaresma

"Jesus, no deserto, era guiado pelo Espírito!"

 

 

O grande convite quaresmal é para nos deixarmos guiar pela Palavra do Senhor. Abandonar-se inteiramente nas mãos de Deus; abandono confiante. É ter a mesma atitude de Jesus que, no deserto, foi tentado, mas escolheu confiar-se inteiramente ao Pai. Deus nos dá a legítima liberdade, pela qual podemos tomar uma decisão radical. É preciso saber escolher, como fez Jesus, e Deus estará sempre presente em nossa vida, no mais profundo de nossa existência, pois nos ama.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O israelita vive sua fé num único e só Senhor. Diante da atitude de Cristo que se abandonou confiante e radicalmente ao Pai, perguntemos a nós mesmos qual é o lugar que a verdade de Cristo tem em nossa existência. Escutemos o Senhor e deixemo-nos tocar por sua Palavra.  

 

 

1ª Leitura - Dt 26,4-10

Leitura do Livro do Deuteronômio:

Assim Moisés falou ao povo: "O sacerdote receberá de tuas mãos a cesta e a colocará diante do altar do Senhor teu Deus. Dirás, então, na presença do Senhor teu Deus: 'Meu pai era um arameu errante, que desceu ao Egito com um punhado de gente e ali viveu como estrangeiro. Ali se tornou um povo grande, forte e numeroso. Os egípcios nos maltrataram e oprimiram, impondo-nos uma dura escravidão.

Clamamos, então, ao Senhor, o Deus de nossos pais, e o Senhor ouviu a nossa voz e viu a nossa opressão, a nossa miséria e a nossa angústia. E o Senhor nos tirou do Egito com mão poderosa e braço estendido, no meio de grande pavor, com sinais e prodígios. E conduziu-nos a este lugar e nos deu esta terra, onde corre leite e mel. Por isso, agora trago os primeiros frutos da terra que tu me deste, Senhor'. Depois de colocados os frutos diante do Senhor teu Deus, tu te inclinarás em adoração diante dele".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 90

Em minhas dores, ó Senhor, permanecei junto de mim!

 

Quem habita ao abrigo do Altíssimo e vive à sombra do Senhor onipotente, diz ao Senhor: "Sois meu refúgio e proteção, sois o meu Deus, no qual confio inteiramente".

 

Nenhum mal há de chegar perto de ti, nem a desgraça baterá à tua porta; pois o Senhor deu uma ordem a seus anjos para em todos os caminhos te guardarem.

 

Haverão de te levar em suas mãos, para o teu pé não se ferir nalguma pedra. Passarás por sobre cobras e serpentes, pisarás sobre leões e outras feras.

 

"Porque a mim se confiou, hei de livrá-lo e protegê-lo, pois meu nome ele conhece. Ao invocar-me, hei de ouvi-lo e atendê-lo, e a seu lado eu estarei em suas dores". 

 

 

2ª Leitura - Rm 10,8-13

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: O que diz a Escritura? "A palavra está perto de ti, em tua boca e em teu coração". Essa palavra é a palavra da fé, que nós pregamos.

Se, pois, com tua boca confessares Jesus como Senhor e, no teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. É crendo no coração que se alcança a justiça e é confessando a fé com a boca que se consegue a salvação. Pois a Escritura diz: "Todo aquele que nele crer não ficará confundido".

Portanto, não importa a diferença entre judeu e grego; todos têm o mesmo Senhor, que é generoso para com todos os que o invocam. De fato, todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 4,1-13

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão, e, no deserto, ele era guiado pelo Espírito. Ali foi tentado pelo diabo durante quarenta dias. Não comeu nada naqueles dias e, depois disso, sentiu fome. O diabo disse, então, a Jesus: "Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão". Jesus respondeu: "A Escritura diz: 'Não só de pão vive o homem'".

O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo e lhe disse: "Eu te darei todo este poder  e toda a sua glória, porque tudo isso foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu". Jesus respondeu: "A Escritura diz: 'Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás'".

Depois o diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo, e lhe disse: "Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo! Porque a Escritura diz: 'Deus ordenará aos seus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado!' E mais ainda: 'Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra'". Jesus, porém, respondeu: "A Escritura diz: 'Não tentarás o Senhor teu Deus'". Terminada toda a tentação, o diabo afastou-se de Jesus, para retornar no tempo oportuno.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Hoje iniciamos o tempo que nos é oferecido pela Igreja para um mergulho no deserto de nós mesmos. Quaresma vem de quadragesimus e evoca os quarenta anos do povo de Israel e os quarenta dias de Jesus no deserto. Não devemos temer este voltar a nós mesmos  e nos defrontarmos com a trama tecida, pela nossa prática, em nossos corações.

É um tempo para nos convertermos ao essencial que dá razão e sentido a nossa existência. É um tempo de revermos as tentações provadas no turbulento deserto do mundo e nas falsas seguranças oferecidas pelo poder, pela riqueza e pelo prestígio. Jesus denuncia que por trás da abundância e da fartura de alguns está a fome de muitos. Jesus renuncia ao poder e à riqueza. O poder é conseguido graças à negação da liberdade: um manda e os outros obedecem, e a riqueza é obtida pelo roubo e acúmulo de bens que deveriam ser repartidos entre todos. Jesus se nega a abusar da confiança de Deus e de colocá-lo à prova, e não sucumbe ao capricho de uma vaidade pessoal. O evangelista nos alerta que as tentações continuarão no tempo oportuno do diabo. No deserto da nossa travessia existem tentações que nos atraem e acabam devorando corpo, alma e espírito: a vaidade e o orgulho. E, por isso, como Jesus, devemos saber que a vida é enfrentamento e a solidariedade com a vida é luta e se faz na luta. 

Como diz o papa Francisco: "Vejo a Igreja como um hospital de campanha após uma batalha. Devemos cuidar das feridas. Em seguida, abordar o resto". Mais do que nunca, nesta Quaresma é preciso saber que "o amor ao dinheiro é a fonte de todos os tipos de males. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos" (1Tm 6,10).

Pe. Paulo Botas, mts

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (10/03/2019)

 

 

Oração da Comunidade

Ó Pai, vosso Filho que viveu no deserto nos ensina a caminhar com Ele para a Páscoa. Ajudai-nos, como Igreja, a percorrer esse mesmo caminho, e, em vossa bondade, ouvi-nos.

 

1. Fortificai-nos na fé e no compromisso cristão, para que sejamos uma boa notícia que alenta a vida e anima na esperança, nós vos clamamos, Senhor.

- Senhor, atendei-nos e convertei-nos!

 

2. Firmai nossa coragem para testemunhar a  verdade de Cristo num mundo em constante transformação, nós vos clamamos, Senhor.

- Senhor, atendei-nos e convertei-nos!

 

3. Ajudai-nos e despertai-nos para a partilha da vida, do tempo, dos bens e dos dons, e assim vivamos em vosso amor que nos dá a verdadeira liberdade, nós vos clamamos, Senhor.

- Senhor, atendei-nos e convertei-nos!

 

4. Inspirai nossa Comunidades neste tempo favorável de vossa graça, e que elas alcancem a alegria em vos amar e vos servir nos irmãos e irmãs, nós vos clamamos, Senhor.

- Senhor, atendei-nos e convertei-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Pai Santo, vós conheceis nossa sede de vida e de paz. Fazei-nos viver intensamente a fé em vós e em vosso Filho, e alcançarmos de vós a paz e a concórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil