07/02/2021

5º Domingo do Tempo Comum

 

 

 

Somos chamados pelo Senhor, para que façamos a experiência libertadora do encontro com Ele e com seu Reino. Ser discípulos, pertencer ao Reino, viver profundamente a fé implicam estar ao lado da vida, da justiça, da harmonia, da obediência aos desígnios do Senhor. Diante da verdade de Cristo precisamos levantar-nos sempre, ressuscitarmos para a vida! 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Quem se encontra com Jesus, escuta e acolhe sua Palavra, torna-se discípulo dele e é capaz de dizer ao sofredor: "Levanta-te e anda".

 

 

1ª Leitura - Jó 7,1-4.6-7

Leitura do Livro de Jó:

Jó disse: "Não é acaso uma luta a vida do homem sobre a terra? Seus dias não são como os dias de um mercenário? Como um escravo suspira pela sombra, como um assalariado aguarda sua paga, assim tive por ganho meses de decepção, e couberam-me noites de sofrimento.

Se me deito, penso: Quando poderei levantar-me? E, ao amanhecer, espero novamente a tarde e me encho de sofrimentos até ao anoitecer.

Meus dias correm mais rápido do que a lançadeira do tear e se consomem sem esperança. Lembra-te de que minha vida é apenas um sopro e meus olhos não voltarão a ver a felicidade!"

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 146

Louvai a Deus, porque ele é bom e conforta os corações.

 

Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, cantai ao nosso Deus, porque é suave: ele é digno de louvor, ele o merece! O Senhor reconstruiu Jerusalém, e os dispersos de Israel juntou de novo.

 

Ele conforta os corações despedaçados, ele enfaixa suas feridas e as cura; fixa o número de todas as estrelas e chama a cada uma por seu nome.

 

É grande e onipotente o nosso Deus, seu saber não tem medida nem limites. O Senhor Deus é o amparo dos humildes, mas dobra até o chão os que são ímpios.  

 

 

2ª Leitura - 1Cor 9,16-19.22-23

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Pregar o Evangelho não é para mim motivo de glória. É antes uma necessidade para mim, uma imposição. Ai de mim se eu não pregar o evangelho! Se eu exercesse minha função de pregador por iniciativa própria, eu teria direito a salário. Mas, como a iniciativa não é minha, trata-se de um encargo que me foi confiado. Em que consiste então o meu salário? Em pregar o evangelho, oferecendo-o de graça, sem usar os direitos que o evangelho me dá.

Assim, livre em relação a todos, eu me tornei escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível. Com os fracos, eu me fiz fraco, para ganhar os fracos. Com todos, eu me fiz tudo, para certamente salvar alguns. Por causa do evangelho eu faço tudo, para ter parte nele. 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 1,29-39

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los.

À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. A cidade inteira se reuniu em frente da casa. Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.

De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. Quando o encontraram, disseram: "Todos estão te procurando". Jesus respondeu: "Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim". E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Anunciar, servir, amar e testemunhar

Estar na presença de Deus não significa ausência de dor e angústia. Ao contrário, quando nos damos conta do amor de Deus, a nossa vida ganha sentido e objetivo diferentes. Se a dor e o sofrimentos atingir o profundo da nossa alma, do nosso existir, também nos levam ao crescimento humano, à maturidade, à experiência do amor e da fidelidade de Deus que fez aliança conosco. Esse aprendizado podemos constatar na história de inúmeros personagens bíblicos que foram provados e testados pela dor, perseguição e impiedade de tantos.

O amor autêntico apresenta, necessariamente, uma lógica diferente daquela que o mundo, oponente ao plano de Deus, prega e valoriza. Por outro lado, vanglória e ostentação não combinam com o anúncio do Evangelho. Somente aquele que recebe a missão de pregar o Evangelho que o faça. Ora, são condições e identidade de todos que fazem parte dos amigos de Jesus, anunciar e testemunhar o Evangelho com a própria vida, seja pelo sofrimento e perseguição, seja pela alegria e esperança. Somos chamados, dia  a dia, a aderir ao projeto de Jesus para caminhar de modo novo como discípulo dele.

O Evangelho, ao contrário de muitas teorias, é prático, é encarnado, liberta-nos e nos ensina a assumir compromissos concretos de doação e caridade, sendo solidários em favor dos pequenos, indefesos e pobres. O agir cirstão nos leva a fazer tudo para ter parte nele. Jesus cura os doentes e os liberta das amarras que os tornam prisioneiros de mentalidades e práticas culturais e religiosas, que impõem condições para servir. Mas a única condição para servir é o amor.

As ações de Jesus são sustentadas na comunhão dele com o Pai. Ao ser encontrado pelos discípulos, Jesus toma atitude de ir mais adiante, para outros lugares da redondeza, não para fugir, mas para pregar e expulsar tudo aquilo que causa divisão e impede a vida, isto é, a realização do reinado de Deus. Encontramos em Jesus clareza da sua identidade e missão, diante da humanidade e do mundo; por isso, Ele é caminho, é vida, é mestre. 

Pe. Luís Rodrigues Batista, C.Ss.R.

Deus Conosco dia a dia - Ed.Santuário (07/02/2021)

 

 

Preces da Comunidade

Senhor Deus, vós que sois nossa certeza de vida e de esperança, confirmai-nos na pertença de vosso Reino e ouvi a nós que vos clamamos:

- Fazei-nos, Senhor, servidores de vosso Reino!

 

1. Abençoai vossa Igreja, e que ela seja sinal, força e presença de vosso Reino no mundo, nós vos pedimos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, servidores de vosso Reino!

 

2. Fortalecei nossas Comunidades na vivência da fé e no testemunho da caridade, nós vos pedimos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, servidores de vosso Reino!

 

3. Acompanhai com vossa graça os destemidos missionários do Evangelho de vosso Filho, nós vos pedimos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, servidores de vosso Reino!

 

4. Dai aos cristãos Leigos a graça de viver com alegria e simplicidade o sacerdócio batismal, nós vos pedimos, Senhor.

- Fazei-nos, Senhor, servidores de vosso Reino!

 

5. Outras intenções...

 

Conservai-nos, Senhor Deus, em vosso amor e na comunhão com vosso Filho Jesus Cristo, que convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil