20/01/2019

2º Domingo do Tempo Comum

"Fazei o que Ele vos disser!"

 

 

Depois que Jesus foi batizado, Ele transformou a água em vinho nas núpcias de Caná da Galileia. Foi um sinal solidário, de alegria e de esperança. Foi sinal da salvação que chegara a todos os homens e todas as mulheres. Ele veio para restaurar todas as coisas, a velha humanidade, abandonada e desalentada por falta de vida, de liberdade e de esperança. Jesus desposa com seu amor toda a humanidade. Maria pede-nos para que "façamos tudo", pois Ele é o vinho novo de nossa redenção. 

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Os judeus que viviam no exílio da Babilônia receberam uma alegre notícia: Deus se dispôs a unir-se com eles, como um esposo à sua esposa. E nas bodas de Caná Jesus manifesta o sentido de sua missão libertadora: devolver a vida aos que estão oprimidos. Ele é o Redentor.

 

 

1ª Leitura - Is 62,1-5

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Por amor de Sião não me calarei, por amor de Jerusalém não descansarei, enquanto não surgir nela, como um luzeiro, a justiça e não se acender nela, como uma tocha, a salvação.

As nações verão a tua justiça, todos os reis verão a tua glória; serás chamada com um nome novo, que a boca do Senhor há de designar. E serás uma coroa de glória na mão do Senhor, um diadema real nas mãos de teu Deus. Não mais te chamarão Abandonada, e tua terra não mais será chamada Deserta; teu nome será Minha Predileta e tua terra será a Bem-Casada, pois o Senhor agradou-se de ti e tua terra será desposada.

Assim como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposam; e como a noiva é a alegria do noivo, assim também tu és a alegria de teu Deus.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 95

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, manifestai os seus prodígios entre os povos!

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome! 

 

Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

 

Ó família das nações, dai ao Senhor, ó nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

 

Adorai-o no esplendor da santidade, terra inteira, estremecei diante dele! Publicai entre as nações: "Reina o Senhor!" Pois os povos ele julga com justiça.

 

 

2ª Leitura - 1Cor 12,4-11

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito.

Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor.

Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos.

A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum.

A um é dada pelo Espírito a palavra da sabedoria. A outro, a palavra da ciência segundo o mesmo Espírito. A outro, a fé no mesmo Espírito. A outro, o dom de curas no mesmo Espírito. A outro, o poder de fazer milagres. A outro, profecia. A outro, discernimento de espírito. A outro, falar línguas estranhas. A outro, interpretação de línguas.

Todas estas coisas as realiza um e o mesmo Espírito, que distribui a cada um conforme quer.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 2,1-11

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Naquele tempo, houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento. Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: "Eles não têm mais vinho". Jesus respondeu-lhe: "Mulher, por que dizes isto a mim? Minha hora ainda não chegou".

Sua mãe disse aos que estavam servindo: "Fazei o que ele vos disser".

Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros.

Jesus disse aos que estavam servindo: "Enchei as talhas de água". Encheram-nas até a boca. Jesus disse: "Agora tirai e levai ao mestre-sala". E eles levaram.

O mestre-sala experimentou a água, que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham tirado a água.

O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse: "Todo mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora!"

Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

A vida cristã começa com o Batismo que é, até hoje, a única porta de acesso à Igreja de Cristo. O episódio das bodas de Caná é, ao mesmo tempo, o início da vida pública de Jesus e o da catequese batismal das Comunidades do Quarto Evangelho.

Na Primeira Leitura, o profeta Isaías compara a restauração de Israel com imagens de um casamento e confirma que já no Antigo Testamento o casamento simbolizava o amor de Deus para com seu povo, o casamento entre Deus e a humanidade. Nesse processo da restauração, a cidade abandonada receberá um nome novo e lhe será dada a oportunidade de recomeçar a vida. Assim é para nós o Batismo: um novo nascimento e uma nova oportunidade que Deus nos oferece para recomeçar a vida. É o primeiro sinal que recebemos de Jesus.

No Evangelho de João, Jesus faz seu primeiro sinal público numa festa de casamento. No meio da festa o vinho se acaba. A antiga religião da pureza, simbolizada nas seis talhas de pedra vazias, estava esgotada. A velha Aliança já não era mais capaz de purificar o povo e de gerar vida nova. A mãe de Jesus, símbolo do povo fiel do Antigo Testamento, reconhece os limites do antigo e abre espaço para a chegada do novo. Ela vai até Jesus e constata: "Eles não têm mais vinho".

Essa palavra vinda da Antiga Aliança desperta Jesus para trazer o vinho novo, símbolo da Nova Aliança. Dirigindo-se aos servidores, a mãe resume a proposta de vida para uma pessoa batizada: "Façam tudo o que Ele lhes disser!" Daqui para frente serão os gestos e as palavras de Jesus que vão dar rumo à vida cristã.

Tanto as iniciativas da mãe de Jesus quanto as do próprio Jesus acontecem à revelia dos donos da festa. A renovação, a vida nova, passa pelos empregados que não pertencem aos centros de poder. O grande recado da celebração de hoje é esse: se soubermos colocar a água do nosso batismo a serviço de Jesus, nós também transformaremos a água da nossa vida em vinho, sinal do Reino, tão bem cantado no Salmo de Meditação da celebração de hoje. 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (20/01/2019)

 

 

Oração da Comunidade

Ó Pai, vimos, humildemente, vos suplicar por nossas necessidades. Assim como Maria, que esteve atenta às necessidades daqueles noivos, vinde em nosso auxílio.

 

1. Fazei-nos fiéis à vossa Igreja e ao ensinamento de Cristo, nós vos rogamos, Senhor.

- Por vosso amor, transformai-nos, Senhor!

 

2. Tornai fecunda a vida de nossas Comunidades pela prática do bem e da caridade, nós vos rogamos, Senhor.

- Por vosso amor, transformai-nos, Senhor!

 

3. Ajudai-nos a confiar plenamente em vosso amor, para que sejamos transformados por ele, como a água transformada em vinho, nós vos rogamos, Senhor.

- Por vosso amor, transformai-nos, Senhor!

 

4. Dai-nos a graça de viver sempre unidos na fraternidade e na solidariedade, pois nos concedeis todos os dias vosso amor misericordioso, nós vos rogamos, Senhor.

- Por vosso amor, transformai-nos, Senhor!

 

5. Outras intenções...

 

Aceitai, Senhor Deus, as preces que colocamos em vossas mãos e em vosso coração, e esperamos alcançar o vinho novo de vosso amor. Vós, que viveis e reinais para sempre.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil