23/12/2018

4º Domingo do Advento

"A alegria dos pobres do Reino!"

 

 

Reunidos para a Eucaristia, neste último domingo do Advento, somos convidados a abrir nosso coração ao Príncipe da Paz, que está para chegar. É Jesus que vem ao nosso encontro. Ele é Deus Conosco para iluminar nossa existência e trazer alegria aos pobres que não desacreditam das promessas e da ação de Deus em sua vida, a exemplo de Maria e Isabel. Façamos como Jesus e com Jesus a vontade do Pai, que volta para nós sua face e nos dá a vida.  

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

A ação de Deus e seu plano de salvação não passam pelos centros do poder e sim nas realidades nas quais estão os pobres e marginalizados. Os simples serão exaltados, pois repartem seus bens e seus dons e, através deles, Deus concretiza suas promessas.  

 

 

1ª Leitura - Mq 5,1-4a

Leitura da Profecia de Miquéias:

Assim diz o Senhor: Tu, Belém de Éfrata, pequenina entre os mil povoados de Judá, de ti há de sair aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade.

Deus deixará seu povo ao abandono, até o tempo em que uma mãe der à luz; e o resto de seus irmãos se voltará para os filhos de Israel.

Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor e com a majestade do nome do Senhor seu Deus; os homens viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até os confins da terra, e ele mesmo será a Paz.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 79

Iluminai a vossa face sobre nós, convertei-nos para que sejamos salvos!

 

Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós que sobre os querubins vos assentais, aparecei cheio de glória e esplendor! Despertai vosso poder, ó nosso Deus e vinde logo nos trazer a salvação! 

 

Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a! Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a e ao rebento que firmastes!

 

Pousai a mão por sobre o vosso Protegido, o filho do homem que escolhestes para vós! E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida e louvaremos vosso nome!

 

 

2ª Leitura - Hb 10,5-10

Leitura da Carta aos Hebreus:

Irmãos: Ao entrar no mundo, Cristo afirma: "Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo. Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. Por isso eu disse: 'Eis que eu venho. No livro está escrito a meu respeito: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade'". Depois de dizer: "Tu não quiseste nem te agradaram vítimas, oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado" - coisas oferecidas segundo a Lei - ele acrescenta: "Eu vim para fazer a tua vontade". Com isso, suprime o primeiro sacrifício, para estabelecer o segundo. É graças a esta vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 1,39-45

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.

Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Profetas da Esperança

Eis que já estamos às vésperas de celebrarmos a festa do nascimento de Jesus. Neste último domingo do Advento, a liturgia da Palavra prepara nosso coração para participarmos da grande alegria do Natal. O motivo dessa alegria é a recordação de que Deus cumpre sua promessa, enviando a seu povo, tantas vezes oprimido, o instrumento de sua paz. A tradição cristã viu na missão dada ao chefe anunciado por Miquéias, a figura de Jesus. Identificou, assim, a parturiente com Maria (Mq 5,1). As Comunidades de hoje também são chamadas a serem profetas da esperança, comunicando ao mundo a paz e a vida plena.

Jesus, um de nós

Paulo, na passagem da Carta aos Hebreus que hoje meditamos, nos relembra que aquele menino, cujo nascimento celebraremos, é o Filho de Deus. Ele se tornou um de nós para oferecer ao Pai a consumação de seu plano de salvação. Jesus vem ao mundo para reestabelecer com sua entrega a vida e a comunhão quebradas.

Ele, com sua própria vida, oferece-nos de maneira consciente a capacidade de sermos também protagonistas de nossa salvação. Agora não são mais os sacrifícios e holocaustos que nos salvam, mas nosso engajamento e nosso esforço na construção do Reino de Deus (Hb 10,6). É nesse sentido que também podemos nos reconhecer como responsáveis pelo acontecimento no Natal, em nosso tempo e na vida de nossos irmãos.

Aquela que acreditou

No Evangelho vemos o encontro profético de duas mulheres grávidas: Maria, a virgem, e Isabel, a estéril. São duas inegáveis provas da grandeza e da força de Deus, que claramente se põe ao lado dos pequenos e humildes. Nos ventres das duas mulheres estão a esperança de um novo tempo e salvação do mundo. Isabel sente pular em seu ventre o filho que, como nós hoje, também se alegrou ao perceber que a vinda do Senhor estava próxima.

Isabel reconhece que aquilo foi possível porque Maria acreditou e aceitou a Palavra que lhe foi anunciada pelo anjo. A fé é entrega à Palavra que compromete por inteiro nossa vida. A partir do momento em que acreditamos e confiamos em Deus toda a nossa vida ganha um novo sentido, nos tornamos capazes de perceber e realizar coisas que nunca nos demos conta antes. Para Maria foi o fato de acreditar que mudou todas as coisas. É por isso que ela se tornou ícone para os crentes de todos os tempos, verdadeira mãe na fé.

Pe. Fábio Evaristo da Silva, C.Ss.R. 

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco -

Ed. Santuário.

 

 

Oração da Comunidade

Na aproximação do Natal do Senhor, supliquemos ao Pai que transforme nossos corações para acolher a salvação que Ele nos reservou. Peçamos:

- Senhor, convertei-nos e salvai-nos!

 

1. Iluminai, Senhor, o coração de todos os homens e mulheres para que, assim, reconheçam no Cristo a inspiração para realizarem vossa vontade hoje e sempre, nós vos suplicamos confiantes.

- Senhor, convertei-nos e salvai-nos!

 

2. Senhor, abençoai o Papa, nossos bispos, presbíteros e diáconos, para que na humildade do serviço testemunhem vosso amor aos mais pobres e àqueles mais distantes de nossas Comunidades, nós vos suplicamos confiantes.

- Senhor, convertei-nos e salvai-nos!

 

3. Olhai, Senhor, por nossas famílias, para que, escutando vossa palavra a exemplo de Maria, possam ir ao encontro dos irmãos e irmãs que necessitam de nossa atenção e serviço, nós vos suplicamos confiantes.

- Senhor, convertei-nos e salvai-nos!

 

4. Senhor, fazei dar frutos todas as iniciativas que promovem a paz no mundo, principalmente nas regiões assoladas pela violência da guerra e pelo egoísmo, nós vos suplicamos confiantes.

- Senhor, convertei-nos e salvai-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Senhor, acreditamos que vós ouvis nossos pedidos. Atendei-nos em nossas necessidades e assim cantaremos vosso amor e vossa fidelidade. Por Cristo, nosso Senhor.

- Amém.

 

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil