20/12/2020

4º Domingo do Advento

 

 

   

 

 

Aproxima-se o dia de celebrarmos o mistério da encarnação do Filho de Deus. Hoje, com Maria, preparemos nosso coração e nossa família para acolher o Senhor que deseja estar conosco. Eis o que vamos contemplar nos ritos, palavras e gestos da Sagrada Liturgia: o Verbo eterno do Pai, o Filho imenso, infinito, existente antes dos séculos, fez-se homem, fez-se pequeno e veio habitar entre nós. 

  

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

Com o "Sim" resoluto de Maria, a promessa de Deus é realizada. Deus vem ao nosso encontro, se faz presente fisicamente entre nós na simplicidade da criança de Belém.  

 

 

1ª Leitura - 2Sm 7,1-5.8b-12.14a.16

Leitura do Segundo Livro de Samuel:

Tendo-se o rei Davi instalado já em sua casa e tendo-lhe o Senhor dado a paz, livrando-o de todos os seus inimigos, ele disse ao profeta Natã: "Vê: eu resido num palácio de cedro, e a arca de Deus está alojada numa tenda!" Natã respondeu ao rei: "Vai e faze tudo o que diz o teu coração, pois o Senhor está contigo". Mas, nessa mesma noite, a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: "Vai dizer ao meu servo Davi: 'Assim fala o Senhor: porventura és tu que me construirás uma casa para eu habitar? Fui eu que te tirei do pastoreio, do meio das ovelhas, para que fosses o chefe do meu povo, Israel. Estive contigo em toda a parte por onde andaste, e exterminei diante de ti todos os teus inimigos, fazendo o teu nome tão célebre como o dos homens mais famosos da terra. Vou preparar um lugar para o meu povo, Israel: eu o implantarei, de modo que possa morar lá sem jamais ser inquietado. Os homens violentos não tornarão a oprimi-lo como outrora, no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo, Israel. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. E o Senhor te anuncia que te fará uma casa. Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então, suscitarei, depois de ti, um filho teu, e confirmarei a sua realeza. Eu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre'".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 88

Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor!

 

Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! Porque dissestes: "O amor é garantido para sempre!" E a vossa lealdade é tão firme como os céus.

 

"Eu firmei uma Aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, de geração em geração garantirei o teu reinado!

 

Ele, então, me invocará: 'Ó Senhor, vós sois meu Pai, sois meu Deus, sois meu Rochedo onde encontro a salvação!' Guardarei eternamente para ele a minha graça e com ele firmarei minha Aliança indissolúvel".   

 

 

2ª Leitura - Rm 16,25-27

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: Glória seja dada àquele que tem o poder de vos confirmar na fidelidade ao meu evangelho e à pregação de Jesus Cristo, de acordo com a revelação do mistério mantido em sigilo desde sempre. Agora este mistério foi manifestado e, mediante as Escrituras proféticas, conforme determinação do Deus eterno, foi levado ao conhecimento de todas as nações, para trazê-las à obediência da fé. A ele, o único Deus, o sábio, por meio de Jesus Cristo, a glória, pelos séculos dos séculos. Amém!

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Lc 1,26-38

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Lucas:

Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!"

Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: "Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim". Maria perguntou ao anjo: "Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?" O anjo respondeu: "O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível". Maria, então, disse: "Eis aqui a serva do Senhor; faça -se em mim segundo a tua palavra!" E o anjo retirou-se .

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

O Natal aproxima-se! Qual é o espírito que podemos captar das leituras que ouvimos neste dia, especialmente do Evangelho? O quadro cênico é o de uma Anunciação: nascimento de Jesus e de João Batista. Portanto, trata-se de um texto de cunho jubilar, enquanto alegria, no sentido mais profundo do termo, e também enquanto tempo novo para a humanidade. Está aí a essência da mensagem e, por isso, preparação para celebrar o Sol Nascente que nos veio visitar.

Se o texto do Evangelho nos fala de tanta vida e a anuncia de forma tão contundente, ao romper a esterilidade dos homens e mulheres novos, renovando-os na vida nascente de conversão (João Batista) e do amor divino que se materializa no humano (Jesus), comunicando-nos, assim, uma boa notícia, a indagação que nos vem é: como nós, cristãos, estamos sendo comunicadores de boa notícia? O que temos para comunicar de diferente em tempos tão obscuros, de tantas inverdades e de tanta superficialidade? Como vamos comunicar aos outros nosso Natal?

A impressão é que nós cristãos estamos cansados e, em meio a tantas vozes, não escutamos a nossa própria ecoar e, muitas vezes, essa é marginalizada, pois não traz nenhum atrativo à sociedade atual. Vamos nos tornando um pequeno rebanho, desunido e desnutrido, com medo, e vendo pouco a pouco o Natal ser apenas uma data em que as pessoas realizam seus bons propósitos, recordam de seu próximo e, no dia seguinte, esquecem-se de tudo. Este modo esquizofrênico de sermos (ou não sermos) cristãos vai nos afastando do centro do mistério que devemos celebrar e isso é muito perigoso para nossa fé.

O encorajamento para superar os tempos difíceis, sem horizontes claros, vem do próprio anjo a Maria que nos repete as mesmas palavras: "Não tenhas medo porque encontraste graça diante de Deus" (v. 30). A graça de Deus nos dá a ousadia para romper com o cansaço, com o pessimismo, que nos tiram a criatividade de pensar horizontes cheios de luz. "O povo que andava nas trevas viu uma grande luz" (Is 9,2). Essa alegria de ver a luz deve-nos fazer mensageiros de uma boa notícia, portadora de esperança para a humanidade. A fonte na qual bebemos, o Evangelho, é rica e, mesmo naqueles contextos onde não é possível seu anúncio explícito, é possível chegar por meio do agir ético que dele aprendemos e pelo respeito ao outro, sob o fundamento do amor ao próximo.

Usemos nossa criatividade para fazer chegar essa boa noticia aos corações humanos e, ao mesmo tempo, fecundar os ventres estéreis da humanidade, para que essa gere valores que promovam o ser humano para que tenha vida em abundância (Jo 10,10). Esse anúncio não é fake news, e é sempre novidade.

Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R.

Folheto litúrgico Deus Conosco - Ed.Santuário (20/12/2020)

 

 

Preces da Comunidade

Após ouvir e meditar vossa Palavra, vos apresentamos, ó Pai, nossas preces, na certeza de que a vinda de Jesus Cristo é a garantia de nossa salvação. Por isso, nós vos suplicamos:

- Vinde, Senhor, e salvai-nos!

 

1. Vinde, Senhor, iluminai vossa Igreja, a fim de que ela leve a alegria do Evangelho a todos os povos e nações. Nós vos suplicamos, Senhor.

- Vinde, Senhor, e salvai-nos!

 

2. Vinde, Senhor, alegrai os tristes, animai os cansados, consolai os abatidos e os sem esperança neste mundo ferido. Nós vos suplicamos, Senhor.

- Vinde, Senhor, e salvai-nos!

 

3. Vinde, Senhor, livrai as crianças, os adolescentes, os jovens, as famílias e os idosos das artimanhas dos malvados do mundo que não amam e nem respeitam a vida. Nós vos suplicamos, Senhor.

- Vinde, Senhor, e salvai-nos!

 

4. Vinde, Senhor, fazei que, a exemplo da Virgem Maria, sejamos atentos e solidários às necessidades de nossos irmãos e irmãs. Nós vos suplicamos, Senhor.

- Vinde, Senhor, e salvai-nos!

 

5. Outras intenções...

 

Ouvi, ó Pai Santo, as súplicas de vossa Igreja que aguarda o nascimento de vosso Filho, que é Deus conosco, e convosco vive e reina para sempre.

- Amém.

 

*   *   *

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil