17/12/2017

3º Domingo do Advento

"Sou a voz que grita no deserto!"

 

 

Vivemos o tempo da espera e da conversão. O Senhor nos dá a alegria do encontro com Ele. João deu testemunho da Luz, anunciando a chegada do Redentor. Despertou o povo para a plenitude da vida. Desde Betânia, a voz do Precursor ressoou por todo o mundo. Feliz quem vai ao encontro da Luz que dissipa toda treva e escravidão. O cristão é a voz que ressoa hoje no coração do mundo; mesmo que haja desertos à nossa volta não tenhamos medo de anunciar, como João Batista.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O profeta anuncia a mensagem de paz e de libertação aos infelizes e tristes, e mostra a grandeza da misericórdia do Senhor. Mas é em Cristo que está a plenitude da vida e a realização de toda promessa e salvação. Nele estão a paz, a salvação e a eterna alegria. 

 

 

1ª Leitura - Is 61,1-2a.10-11

Leitura do Livro do profeta Isaías:

O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu; enviou-me para dar a boa-nova aos humildes, curar as feridas da alma, pregar a redenção para os cativos e a liberdade para os que estão presos; para proclamar o tempo da graça do Senhor.

Exulto de alegria no Senhor e minh'alma regozija-se em meu Deus; ele me vestiu com as vestes da salvação, envolveu-me com o manto da justiça e adornou-me como um noivo com sua coroa ou uma noiva com suas joias.

Assim como a terra faz brotar a planta e o jardim faz germinar a semente, assim o Senhor Deus fará germinar a justiça e a sua glória diante de todas as nações.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Ct. Lc 1

A minh'alma se alegra no meu Deus.

 

A minha alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

 

O Poderoso fez por mim maravilhas. E Santo é o seu nome! Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam.

 

De bens saciou os famintos, e despediu os ricos sem nada. Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor.

 

 

2ª Leitura - 1Ts 5,16-24

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

Irmãos: Estai sempre alegres! Rezai sem cessar. Dai graças em todas as circunstâncias, porque essa é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo.

Não apagueis o espírito! Não desprezeis as profecias, mas examinai tudo e guardai o que for bom. Afastai-vos de toda espécie de maldade! Que o próprio Deus da paz vos santifique totalmente, e que tudo aquilo que sois — espírito, alma, corpo — seja conservado sem mancha alguma para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo! Aquele que vos chamou é fiel; ele mesmo realizará isso.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Jo 1,6-8.19-28

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por João:

Surgiu um homem enviado por Deus; seu nome era João. Ele veio como testemunha, para dar testemunho da luz, para que todos chegassem à fé por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Este foi o testemunho de João, quando os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para perguntar: "Quem és tu?" João confessou e não negou. Confessou: "Eu não sou o Messias".

Eles perguntaram: "Quem és, então? És tu Elias?" João respondeu: "Não sou". Eles perguntaram: "És o Profeta?" Ele respondeu: "Não".

Perguntaram então: "Quem és, afinal? Temos que levar uma resposta para aqueles que nos enviaram. O que dizes de ti mesmo?" João declarou: "Eu sou a voz que grita no deserto: 'Aplainai o caminho do Senhor'" — conforme disse o profeta Isaías.

Ora, os que tinham sido enviados pertenciam aos fariseus e perguntaram: "Por que então andas batizando, se não és o Messias, nem Elias, nem o Profeta?"

João respondeu: "Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis, e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias".

Isso aconteceu em Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Hoje é o domingo em que celebramos a alegria. Tanto a primeira leitura quanto o cântico de meditação nos colocam diante da contribuição de Maria para a chegada do Salvador. Natal é celebrar o mistério da Encarnação de nosso Deus. É acompanhar com esperança a gravidez de Maria. O texto de Isaías ressalta a alegria de quem vive intensamente uma experiência da presença de Deus. Essa alegria é confirmada por Maria em seu cântico. Ao entoar o cântico, Maria proclama a mudança que aconteceu em sua própria vida. O olhar amoroso de Deus, cheio de misericórdia, voltou-se para a pequenez desta jovem, residente numa pequena e esquecida aldeia do interior da Galileia, periferia do mundo. Maria atende às exigências da Palavra de Deus e diz "sim" ao chamado para a missão materna. Ela se coloca como serva da palavra e, através desta obediência, faz Jesus nascer para todos nós. Por isso, ela canta feliz, exultante de alegria em Deus Salvador por tão grandiosa missão.

O mistério da Encarnação é ressaltado também pelo Evangelho de hoje. É um pequeno trecho do Prólogo do Evangelho de João. João Batista veio para ajudar o povo a descobrir e saborear a presença luminosa e consoladora da Palavra de Deus. O testemunho do Batista foi tão importante que muita gente pensou que ele fosse o Messias. Por isso, o texto esclarece dizendo: "João não era a luz! Veio apenas para dar testemunho da luz!" Ele veio apontar a presença de Deus em Jesus, a verdadeira luz que ilumina todo ser humano que vem a este mundo. Hoje nós devemos ser as testemunhas fiéis que anunciam a presença de Deus no meio de uma sociedade violenta, agressiva e consumista. Nosso testemunho deve ser a vida em comunidade de acordo com os pedidos e conselhos de Paulo na Carta aos Tessalonicenses, na qual ele diz: estejam sempre alegres, rezem sem cessar. Não extingam o Espírito!

O grande recado da celebração de hoje é o que dizia Isabel a Maria, a mãe de Jesus: Feliz aquela que acreditou! O recado é este: crer na Palavra de Deus, pois ela tem força para realizar aquilo que nos diz. A Palavra de Deus é Palavra criadora e salvadora. 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters  

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil