10/12/2017

2º Domingo do Advento

"Endireitai as estradas do Senhor!"

 

 

Feliz quem acolhe sem reservas aquele que vem para nos salvar. O Tempo do Advento nos prepara para o encontro com o Senhor. No meio do mundo tão barulhento é possível ouvir a voz daquele que nos chama para entrar em seu caminho. Basta ter sinceridade e abertura de alma. Nele está a realização plena de nossa esperança. Nele são desfeitas nossas ilusões e a alegria e a paz ocupam seu lugar em nós. Esperemos nele e andemos em seu caminho.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O Senhor nos chama para bebermos da fonte de sua Palavra e nos tornarmos seus mensageiros. Deus tudo prepara para que o povo acolha seu Filho Jesus, pois só nele encontram-se a vida e a salvação.  

 

 

1ª Leitura - Is 40,1-5.9-11

Leitura do Livro do profeta Isaías:

"Consolai o meu povo, consolai-o! — diz o vosso Deus —. Falai ao coração de Jerusalém e dizei em alta voz que sua servidão acabou e a expiação de suas culpas foi cumprida; ela recebeu das mãos do Senhor o dobro por todos os seus pecados". Grita uma voz: "Preparai no deserto o caminho do Senhor, aplainai na solidão a estrada de nosso Deus. Nivelem-se todos os vales, rebaixem-se todos os montes e colinas; endireite-se o que é torto e alisem-se as asperezas: a glória do Senhor então se manifestará, e todos os homens verão juntamente o que a boca do Senhor falou.

Sobre um alto monte, tu, que trazes a boa-nova a Sião; levanta com força a tua voz, tu, que trazes a boa-nova a Jerusalém, ergue a voz, não temas; dize às cidades de Judá: 'Eis o vosso Deus, eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina: eis, com ele, sua conquista, eis à sua frente a vitória. Como um pastor, ele apascenta o rebanho, reúne, com a força dos braços, os cordeiros e carrega-os ao colo; ele mesmo tange as ovelhas-mães'".

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 84

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, e a vossa salvação nos concedei!

 

Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.

 

A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade e a justiça olhará dos altos céus.

 

O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.

 

 

2ª Leitura - 2Pd 3,8-14

Leitura da Segunda Carta de São Pedro:

Uma coisa vós não podeis desconhecer, caríssimos: para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos como um dia. O Senhor não tarda a cumprir sua promessa, como pensam alguns, achando que demora. Ele está usando de paciência para convosco. Pois não deseja que alguém se perca. Ao contrário, que todos venham a converter-se.

O dia do Senhor chegará como um ladrão,  e então os céus acabarão com barulho espantoso; os elementos, devorados pelas chamas, se dissolverão, e a terra será consumida com tudo o que nela se fez. Se desse modo tudo se vai desintegrar, qual não deve ser o vosso empenho numa vida santa e piedosa, enquanto esperais com anseio a vinda do Dia de Deus, quando os céus em chama se vão derreter, e os elementos, consumidos pelo fogo, se fundirão?

O que nós esperamos, de acordo com a sua promessa, são novos céus  e uma nova terra, onde habitará a justiça. Caríssimos, vivendo nessa esperança, esforçai-vos para que ele vos encontre numa vida pura e sem mancha e em paz.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 1,1-8

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.

Está escrito no livro do profeta Isaías: "Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho. Esta é a voz daquele que grita no deserto: 'Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!'"

Foi assim que João Batista apareceu no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. Toda a região da Judeia e todos os moradores de Jerusalém iam ao seu encontro. Confessavam os seus pecados e João os batizava no rio Jordão.

João se vestia com uma pele de camelo e comia gafanhotos e mel do campo. E pregava, dizendo: "Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo".

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Este segundo domingo do Advento tem João Batista como figura central. Os Evangelhos nos apresentam João como o último dos profetas. No evangelho de Marcos, João Batista faz uma advertência ao povo daquela época: a vinda do Messias vai trazer grandes transformações, tanto para a vida pessoal quanto para a vida social. As pessoas que esperavam por esta transformação iam até João, confessavam seus pecados e pediam perdão. Elas experimentavam assim a grandeza da misericórdia de Deus. João é o profeta que clama por uma profunda renovação espiritual do povo. Ele foi o profeta que pôde apontar pessoalmente o Messias, o Filho de Deus. Nossa missão profética também consiste em apontar Jesus que está no meio de nós.

João veio atualizar a mensagem do texto de Isaías. Em pleno exílio da Babilônia, os discípulos de Isaías preparavam Jerusalém para a grande novidade trazida da parte de Deus: haverá um novo êxodo! O povo retornará para a terra prometida. Terminou o tempo da opressão. Acabou a escravidão. Deus é o nosso Redentor, caminhando conosco nesta travessia. Esta alegria é cantada também no Salmo de meditação. O salmo é uma oração comunitária de súplica, entoada logo após o retorno dos exilados. Nesta oração transparece que o povo estava enfrentando grandes dificuldades ao retornar para sua terra. Não é fácil recomeçar a vida depois de tanto sofrimento. A esperança do povo é saber que Deus se faz presente através do amor, da fidelidade, da justiça e da paz. Advento é celebrar essa certeza, renovando a esperança de que a presença de Deus nos garanta justiça, paz e alegria. Essa libertação definitiva chega até nós com a vinda de Jesus.

João soube ser fiel à sua vocação profética. Ele também enfrentou muitas dificuldades. Ao anunciar profundas transformações no povo e na sociedade, João é preso pelo rei Herodes Antipas, um rei covarde, fraco e indeciso, um "caniço agitado pelo vento" (Mt 11,17). Enfrentando com coragem os poderes de sua época, João Batista prepara o caminho para que Jesus possa vir e assumir sua missão. 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters  

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil