03/12/2017

1º Domingo do Advento

"Estejamos vigilantes!"

 

 

Com a Liturgia de hoje iniciamos o Tempo do Advento. É um tempo de preparação para o encontro com o Senhor que vem. A Liturgia nos convida a prestarmos atenção e a estarmos vigilantes, para que não sejamos surpreendidos. Vigiar! O dono da casa vai voltar; pode ser à tarde, à meia-noite, de madrugada ou pelo amanhecer. Se ele vier de repente, não deve nos encontrar dormindo. "O que vos digo, digo a todos: Vigiai!" Estar vigilante é estar atento aos sinais de Deus em nossa vida. Quem abraça a fé autêntica está sempre vigilante no amor e na misericórdia.

 

 

Liturgia da Palavra - Deus nos fala

O profeta nos diz: "Ah! Se rompesses os céus e descesses!" A Palavra de Deus nos dá o sentido da vida, e a perseverança na fidelidade ao Senhor e no cumprimento de sua vontade. "Vigiai!", é a chamada de atenção que o Senhor nos dá para nosso próprio bem e salvação.  

 

 

1ª Leitura - Is 63,16b-17.19b;64,2b-7

Leitura do Livro do profeta Isaías:

Senhor, tu és nosso Pai, nosso redentor; eterno é o teu nome. Como nos deixaste andar longe de teus caminhos e endureceste nossos corações para não termos o teu temor? Por amor de teus servos, das tribos de tua herança, volta atrás. Ah! se rompesses os céus e descesses! As montanhas se desmanchariam diante de ti.

Desceste, pois, e as montanhas se derreteram diante de ti. Nunca se ouviu dizer nem chegou aos ouvidos de ninguém, jamais olhos viram que um Deus, exceto tu, tenha feito tanto pelos que nele esperam. Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos. Tu te irritaste, porque nós pecamos; é nos caminhos de outrora que seremos salvos.

Todos nós nos tornamos imundície, e todas as nossas boas obras são como um pano sujo; murchamos todos como folhas, e nossas maldades empurram-nos como o vento. Não há quem invoque teu nome, quem se levante para encontrar-se contigo; escondeste de nós tua face e nos entregaste à mercê da nossa maldade.

Assim mesmo, Senhor, tu és nosso pai, nós somos barro; tu, nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Salmo Responsorial - Sl 79

Iluminai a vossa face sobre nós, convertei-nos, para que sejamos salvos!

 

Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós que sobre os querubins vos assentais, aparecei cheio de glória e esplendor! Despertai vosso poder, ó nosso Deus e vinde logo nos trazer a salvação!

 

Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a! Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

 

Pousai a mão por sobre o vosso protegido, o filho do homem que escolhestes para vós! E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome!

 

 

2ª Leitura - 1Cor 1,3-9

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Para vós, graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Dou graças a Deus sempre a vosso respeito, por causa da graça que Deus vos concedeu em Cristo Jesus: Nele fostes enriquecidos em tudo, em toda palavra e em todo conhecimento, à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós. Assim, não tendes falta de nenhum dom, vós que aguardais a revelação do Senhor nosso, Jesus Cristo.

É ele também que vos dará perseverança em vosso procedimento irrepreensível, até ao fim, até ao dia de nosso Senhor, Jesus Cristo. Deus é fiel; por ele fostes chamados à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus!

 

 

Evangelho - Mc 13,33-37

Anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, escrito por Marcos:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento. É como um homem que, ao partir para o estrangeiro, deixou sua casa sob a responsabilidade de seus empregados, distribuindo a cada um sua tarefa. E mandou o porteiro ficar vigiando.

Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer. Para que não suceda que, vindo de repente, ele vos encontre dormindo. O que vos digo, digo a todos: Vigiai!"

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Reflexão

Celebrar o Advento significa preparar-se para a chegada de Deus em nossa vida. Ele quer viver no meio de nós. Advento é reafirmar o ponto central da nossa fé: Ele está no meio de nós! Mas, quando e como ele virá no meio de nós? Essa pergunta não é só nossa; é também dos discípulos do tempo de Jesus. A resposta de Jesus à pergunta é a parábola do patrão que volta de repente, sem aviso prévio. Nessa parábola, Jesus menciona todas as possibilidades de horários dentro dos costumes daquela época. Dessa forma, ele deixa claro que Deus sempre é imprevisível. Nossa missão de discípulos e discípulas é perseverar no testemunho e não desanimar, mesmo quando mergulhados no meio das incertezas e crises de fé.

Esse apelo à perseverança é reforçado pelas outras leituras deste domingo. O texto do profeta Isaías é uma confissão do povo e, ao mesmo tempo, uma súplica que grita: "Rasga o céu e vem ao nosso encontro!" Esse grito reforça a certeza da fé no nome de Deus: "Teu Nome é desde sempre Nosso Redentor!" O Nome de Deus nos santifica porque expressa a certeza de que Ele está sempre presente entre nós, nos santificando e nos salvando. O Salmo de Meditação reforça esse grito. O Salmo é uma oração comunitária de súplica, pedindo perdão pelos desvios passados e reafirmando o compromisso do povo em fazer a vontade de Deus. A oração conclui com o compromisso do povo: Nunca mais nos afastaremos de Ti!

Ao começar sua Carta aos Coríntios, o apóstolo Paulo tenta colocar por escrito toda sua alegria em perceber na Comunidade de Corinto a força e a vida nova que vieram através da opção por Jesus. A Comunidade concretizou essa opção assumindo seu batismo. Também nós, neste tempo de Advento, temos que renovar nossos compromissos batismais. Paulo diz que a Comunidade recebeu toda a riqueza da presença de Deus ao acolher a Palavra e o conhecimento de Deus, que vem através de Cristo, a ponto de "não faltar mais nada" para eles. É evangelizando que confirmaremos nossa esperança na vinda definitiva de Deus. Transmitindo a riqueza do Evangelho e a sabedoria da vida cristã, nós estamos atualizando o grito que expressa nossa fé: Ele está no meio de nós! 

Francisco Orofino e Frei Carlos Mesters  

Este texto faz parte do folheto litúrgico deste domingo - Deus Conosco - Ed. Santuário.

 

 

 

   

 

© desde 25/12/2006 - Basílica Nossa Senhora do Carmo - Campinas - SP - Brasil